segunda-feira, 3 de abril de 2017

(3)POSTE-ZERO DE ABRIL/2017! (arquivo taroucando)

«A IMPRENSA É UM DOS PILARES DA DEMOCRACIA!» (nelson mandela)


Caros Bloguistas!

A pedido de vários "chefes de família" criamos esta rubrica, pra enviarmos os textos trazidos de outros Blogues, Facebook, Jornais, etc, a fim de "arejar" a rubrica dos Diversos!

No fundo vai servir como uma espécie de "arquivo público"!

Aqui os textos "encontrados" nos outros órgãos de CS, serão colocados tal e qual como foram publicado na fonte. Mas depois podem ser transformados em post e, neste caso, poderão sofrer pequenos ajustes, tais como cortes! (de acordo com as regras)

Aquele Abraço!
ProfAnónima

NB: OS PRIMEIROS TEXTOS VÃO SER CASEIROS: UM SOBRE O CONGRESSO DA CIDADANIA E OUTRO SOBRE O COMUNICADO QUE O CANDIDATO SOCIALISTA, AFONSO DIA, FEZ CHEGAR A CASA DE TODOS OS TAROUQUENSES A SEMANA PASSADA!

32 comentários:

  1. ESCLARECIMENTO:

    Desta vez esta rubrica está um pouco atrasada porque causa do "Dia das Mentiras" ao qual se seguiu uma avaria no PC!

    Gratos pela V/compreensão!

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  2. ESPAÇO PRA COLOCARMOS UM TEXTO DO BLOG ASAS DA MONTANHA SOBRE O PRÓXIMO CONGRESSO DA CIDADANIA POLÍTICA DE TAROUCA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

      Congresso da Cidadania Política - 2017

      O primeiro em movimento no Mundo!

      Congresso de características únicas!

      O Congresso da Cidadania Política - 2017, é organizado por todas as forças políticas da Assembleia Municipal de Tarouca e aberto a todo o Douro Sul - Assembleias Municipais, Escolas, Associações, Cidadãos!

      Propósito central: "A Sustentabilidade do Território"

      Em 2727 de fevereiro, precisamente a 90 dias da sua realização, foi dado a conhecer este Congresso de características únicas em Conferência de imprensa com a presença de todos os Deputados Municipais.
      Precisamos da sua ajuda para fazer do dia 27 de maio de 2017, um dia marcante para toda a região do Douro Sul!

      Sublinhe-se que este conferência de imprensa decorreu no Centro Paroquial Santa Helena da Cruz, uma vez que o incêndio deixou o edifício da Câmara Municipal com evidentes estragos, decorrendo agora a recuperação do imóvel.
      Um Congresso em Movimento!

      "O Caminho Faz-se Caminhando"!

      Importa a participação dos cidadãos neste Congresso, porque em democracia as ideias dos cidadãos contam.»

      Eliminar
    2. Organizado por todas as força politicas?

      Eliminar
  3. ESPAÇO PRA COLOCARMOS A 1ª COMUNICAÇÂO ESCRITA DO CANDIDATO DO PS AOS TAROUQUENSES:

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal esta comunicação está escrita como "imagem" pelo que não pode ser colocada aqui! (vamos coloca-la no post 5 ou 6, se...)

      Eliminar
  4. http://www.jn.pt/nacional/galerias/interior/marcelo-foi-distribuir-refeicoes-aos-sem-abrigo-5775039.html

    IN JN-6/4/2017

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «Marcelo foi distribuir refeições aos sem-abrigo

      O Presidente da República esteve na quarta-feira à noite a distribuir refeições a sem-abrigo, em Lisboa, defendendo que é seu dever manter "os pés na terra" e olhar para "fatias da sociedade que estão a ficar para trás".

      06 Abril 2017 às 09:52»

      Eliminar
  5. PR considera "muito especial" condecoração a Aristides de Sousa Mendes

    AQUI:https://www.publico.pt/2017/04/03/politica/noticia/pr-considera-muito-especial-condecoracao-a-aristides-de-sousa-mendes-1767513

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. IN EXPRESSO-24/2/2017

      NÚMERO DE EMIGRANTES

      «REVISTA DE IMPRENSA

      Portugal é o segundo país da União Europeia com mais emigrantes

      24.02.2017 às 7h31
      Google+
      Linkedin
      Pinterest

      UPER PORTUGAL. Irá a Torre Eiffel, ao fundo, iluminar-se domingo com as cores da bandeira portuguesa?
      AURORE ALIFANTI
      De acordo com o último relatório do Observatório da Emigração, havia 2,3 milhões de portugueses a morar fora do país em 2015

      Expresso
      EXPRESSO
      A expectativa era que tivesse ocorrido uma queda no número de portugueses a sair do país em 2015, mas os números mostram outra realidade. Tal como em 2014, em 2015 saíram do país mais de 110 mil cidadãos – número que só encontra paralelo com tendências dos anos 1960 e 1970. De acordo com o último relatório do Observatório da Emigração, havia 2,3 milhões de portugueses a morar fora do país em 2015, conta o “Público” esta sexta-feira.

      Este número deixa Portugal como o segundo país europeu com maior taxa de emigrantes em proporção com a população residente: 22%. Em primeiro lugar, aparece Malta, com 24,3%; e em terceiro lugar surge a Croácia, com 20,6%.

      Maria Filomena Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Demografia, em declarações ao matutino defende que o número de portugueses a morar fora do país não está relacionado com a crise ou o pós-crise. “Resulta do nosso passado, da nossa história demográfica”, diz. “Mesmo quando a emigração baixou, os portugueses nunca deixaram de emigrar.”

      Segundo o mesmo relatório, os jovens portugueses continuam a ser os que mais têm emigrado nos últimos anos – Portugal continua a ter uma das mais altas percentagens de desemprego entre os mais novos. Estes têm viajado principalmente para países europeus. “A percentagem de portugueses (residentes no estrangeiro) a viver na Europa passou de 53% em 1990 para 62% em 2015, de acordo com estimativas da ONU”, lê-se no relatório.»

      http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2017-02-24-Portugal-e-o-segundo-pais-da-Uniao-Europeia-com-mais-emigrantes

      Eliminar
    2. TRANSFORMADO NO POST 17!

      Eliminar
  7. TRAZIDO DO PUBLICO-8/4/2017

    ONU: GUTERRES NOMEIA MALALA PRA MENSAGEIRA DA PAZ!

    «Guterres nomeia Malala mensageira da paz da ONU

    A primeira designação para o cargo por parte do novo secretário-geral das Nações Unidas tem como objectivo sensibilizar para a importância e necessidade da educação das raparigas em todo o mundo.
    Leonete Botelho
    LEONETE BOTELHO 8 de Abril de 2017, 14:10

    (FOTO)

    Malala é a mais jovem mensageira de paz da ONU de sempre REUTERS/JAMAL SAIDI
    PUB

    A mais jovem laureada com o Prémio Nobel da Paz Malala Yousafzai foi escolhida pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, como mensageira da paz na ONU, com atenção especial na educação das raparigas.

    PUB

    É a primeira escolha de Guterres para mensageiro da paz, um papel com a qual se pretende reconhecer figuras públicas que ajudam a despertar a consciência mundial para os ideais e actividades da ONU. Através de aparições públicas, contactos com a imprensa internacional e trabalho humanitário, os mensageiros da paz “contribuem para a compreensão pública de como as Nações Unidas ajudam a melhorar as vidas das pessoas em todos os lugares”, lê-se na mensagem divulgada na sexta-feira pelas Nações Unidas.

    A cerimónia de designação decorre na segunda-feira, em Nova Iorque, e será seguida de um debate entre Guterres, Malala e representantes de jovens de todo o mundo que lutam pela educação das raparigas.

    O melhor do Público no email
    Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.
    Subscrever×
    “Mesmo correndo perigo grave, Malala Yousafzai mostrou um compromisso inabalável com os direitos das mulheres, das meninas e de todas as pessoas”, afirmou António Guterres na designação da jovem paquistanesa, anunciada sexta-feira pela ONU. “A sua coragem no activismo pela educação das raparigas já inspirou muita gente por todo o mundo. Agora, como a nossa mais jovem mensageira da paz, Malala pode fazer ainda mais para ajudar um mundo mais justo e pacífico”, acrescentou.

    Nascida no Paquistão a 12 de Julho de 1997, Malala tornou-se um símbolo internacional da luta pelo direito à educação das mulheres depois de ter sido baleada, em Outubro de 2012, por se opor à ordem do regime talibã de proibir a educação feminina. Sobreviveu ao ataque e tornou-se o símbolo de milhões de raparigas a quem a educação é recusada em todo o mundo.

    Em 2013, ela e o pai fundaram a Fundação Malala com o objectivo de sensibilizar para o impacto social e económico da educação das raparigas e capacitá-las para exigirem mudanças. Em Dezembro de 2014, tornou-se a laureada com o Prémio Nobel da Paz mais jovem de sempre.

    tp.ocilbup@ohletobl»

    ResponderEliminar
  8. TRAZIDO DA CONTA GERINGONÇA-11/4/2017

    QUE DESTINO A DAR AO FORTE DE PENICHE?

    «BREVES
    Esquerda aprova preservação da memória histórica do Forte de Peniche, direita abstém-se

    GERINGONÇA11/04/2017

    A maioria dos deputados à Assembleia da República aprovou três projetos de resolução que recomendam ao Governo que elabore um programa faseado de recuperação, requalificação e valorização do Forte de Peniche, símbolo da resistência anti-fascista e da luta pela liberdade e pela democracia.

    Os três diplomas do PS, BE e PCP surgiram no âmbito de uma petição com o mesmo objetivo promovida por várias personalidades como Carvalho da Silva, Maria do Céu Guerra, Domingos Abrantes e Diana Andringa, dinamizada após relatos na imprensa que davam conta da possibilidade de uma concessão parcial da fortaleza a privados. A petição foi entregue ao Governo e à Assembleia da República após ter recolhido as assinaturas de mais de 9000 cidadãos.

    O projeto do PCP recomenda que “o Forte de Peniche seja recuperado, requalificado e valorizado enquanto património nacional, tendo como parte integrante e fundamental o núcleo museológico dedicado à denúncia da repressão fascista, à resistência antifascista e à luta pela liberdade e a democracia”; a iniciativa dos deputados do Bloco de Esquerda pede ao Governo que “seja dada particular atenção aos aspetos museológicos relacionados com a Resistência Antifascista, de modo a que o Forte de Peniche seja cada vez mais memória viva da luta pela democracia e pela liberdade”; e o diploma do PS solicita ao executivo que “assegure a realização dos procedimentos necessários à realização de intervenção de proteção do património arquitetónico militar da Fortaleza de Peniche, em particular, de intervenções consideradas mais urgentes”.

    Os três projetos de resolução foram aprovados na passada sexta-feira pelos deputados do PS, BE, PCP, PEV e PAN e contaram com a abstenção dos deputados do PSD e do CDS-PP.

    TAGS DEMOCRACIA FASCISMO FORTE DE PENICHE LIBERDADE MEMÓRIA PRESERVAÇÃO REPRESSÃO VALORIZAÇÃO»

    DAQUI:http://geringonca.com/2017/04/11/esquerda-aprova-preservacao-da-memoria-historica-forte-de-peniche-direita-abstem-se/

    ResponderEliminar
  9. TRAZIDO DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS-11/4/2017

    EDUCAÇÃO: UM TEXTO SOBRE O CASO DA VIAGEM DE FINALISTAS!(que acabou ao 3º dia...)

    «Escolas defendem envolvimento dos pais nas viagens de finalistas
    Espanha

    11 DE ABRIL DE 2017
    00:10
    Ana Bela Ferreira
    Alguns estudantes do secundário começaram já a regressar da viagem de finalistas que fizeram ao sul de Espanha | FÁBIO POÇO/GLOBAL IMAGENS
    PUB

    Alguns pais pensam que as escolas estão envolvidas na organização, justifica presidente da Confap. O psiquiatra Daniel Sampaio fala num "défice de autoridade"

    Mais do que as escolas, deviam ser os pais a estar envolvidos na organização das viagens de finalistas, de forma a minimizar os distúrbios, como aqueles que terão levado cerca de mil estudantes a ser expulsos de um hotel em Espanha, este fim de semana. A ideia é defendida pelos diretores de escolas e até a própria Confap (Confederação Nacional das Associações de Pais) considera que esta alternativa faz sentido à opção de envolver as escolas.

    "Atendendo ao caráter lúdico da atividade e ao facto de esta ser organizada pela associação de estudantes, não vejo que faça sentido a escola envolver-se. Embora veja com bons olhos que os pais através das suas associações ou de forma individual vão a estas viagens ou se envolvessem mais na sua organização", aponta Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP). No mesmo sentido, Manuel António Pereira, presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), não vê como necessária o envolvimento das escolas, "talvez se a associação de pais se envolvesse, atendendo ao historial de problemas, seria mais fácil evitar estas situações".

    Do lado dos pais, Jorge Ascenção - presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) - defende que "as associações não se devem envolver, é uma questão turística, cada um faz o contrato com os promotores e as associações de pais estão lá para estar nos projetos educativos das escolas". Já os pais isoladamente faz algum sentido que se possam envolver, o que não acontece com tanta frequência, sublinha Jorge Ascenção, porque "têm a ideia de que as escolas estão envolvidas e isso dá-lhes alguma segurança, por isso, é que apelamos a que participem na vida da escola, a estar mais atentos".

    Tanto os diretores, como professores e os pais, alertam que apenas uma minoria cria problemas nas viagens e que no caso que envolveu cerca de mil estudantes expulsos de Torremolinos, em Espanha, pode ter havido um empolamento dos números e das consequências. No caso de sábado, o hotel reclama prejuízos de 50 mil euros e os alunos queixam-se de incumprimento do contrato (ver texto ao lado).

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (CONTINUAÇÃO)

      Ter havido distúrbios no hotel "não deixa de ser uma preocupação, mas não estamos a falar de milhares, são meia dúzia de jovens e que vão responder pelos seus atos", defende Jorge Ascenção. O presidente da Confap tem reforçado esta ideia de que "há formas cívicas de fazermos respeitar os nossos direitos", depois de alguns pais - entre as quais uma vice-presidente da Confap - terem desculpabilizado o comportamento dos jovens, considerando-o até "normal".

      Uma atitude que o psiquiatra juvenil Daniel Sampaio considera ser um reflexo de "um défice de autoridade" por parte dos pais. "Os jovens devem ser responsabilizados pelos seus gestos e comportamentos. Depois os pais têm de exercer autoridade, não autoritarismo, mas autoridade baseada numa relação de regras com cumprimento de direitos e deveres, que deve começar na infância."

      Os professores Paulo Guinote e Alexandre Henriques lembram que estes problemas não são uma coisa de hoje. "A anormalidade tornou-se normal, este tipo de comportamentos bastante irresponsáveis tornaram-se normais até para os próprios pais", lamenta Paulo Guinote. Enquanto Alexandre Henriques, professor do ensino secundário e coordenador de um gabinete de combate à indisciplina, lembra que os dados de violência entre os jovens apontam para um aumento: "Estamos, se calhar, a assistir a um crescendo de negligência."»

      DAQUI: http://www.dn.pt/sociedade/interior/escolas-defendem-envolvimento-dos-pais-nas-viagens-de-finalistas-6213525.html

      Eliminar
  10. GRECO

    Portugal criticado na luta contra a corrupção

    http://www.jn.pt/justica/interior/relatorio-insta-portugal-a-reforcar-criminalizacao-de-corrupcao-6219236.html

    ResponderEliminar
  11. PS anuncia 21 candidatos às câmaras do distrito (de viseu)

    http://www.jornaldocentro.pt/ps-anuncia-21-candidatos-as-camaras-do-distritos/

    ResponderEliminar
  12. Respostas
    1. DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS--18/4/2017

      TRAZIDO DO CALENDARR

      «Dia Internacional dos Monumentos e Sítios
      Compartilhar Tweetar
      Próximo Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 18 de Abril de 2017 (Terça-feira)

      O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios é celebrado a 18 de abril.

      A data visa promover os monumentos e sítios históricos e valorizar o património português, ao mesmo tempo que tenta alertar para a necessidade da sua conservação e proteção.

      O tema de 2017 é " Património Cultural e Turismo Sustentável".

      Neste dia decorrem várias iniciativas para celebrar a data, como visitas e entradas gratuitas nos monumentos. Ao longo da semana que integra este dia, também se realizam comemorações por todo o país, todos os anos com um novo tema.

      Monumentos e sítios abertos em Portugal

      Neste dia estarão abertos ao público locais como:

      Serralves
      Museu do Vinho do Porto
      Casa do Infante
      Museu Nacional Soares dos Reis
      Teatro Nacional São João
      Museu Bordalo Pinheiro
      Museu Interactivo do Megalitismo de Mora
      Museu Nacional do Azulejo
      Padrão dos Descobrimentos
      Palácio de São Bento
      Panteão Nacional
      Museu dos Biscainhos
      Pode conhecer todo o programa de atividades do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios por localidade no site da Direção-Geral do Património Cultural.

      Monumentos mais visitados em Portugal

      Mosteiro dos Jerónimos
      Torre de Belém
      Mosteiro da Batalha
      O Palácio Nacional de Mafra é o palácio mais visitado, enquanto que o Museu Nacional dos Coches é o museu mais visitado em Portugal.

      Os estrangeiros representam 85% das entradas nos monumentos nacionais, enquanto que 61% das entradas nos museus e palácios são feitas por portugueses.

      Origem da data

      A data foi instituída a 18 de Abril de 1982 pelo ICOMOS (Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios), uma associação de profissionais da conservação do património, e aprovada pela UNESCO em 1983.

      Outras Datas Comemorativas (...)»

      DAQUI:«https://www.calendarr.com/portugal/dia-internacional-dos-monumentos-e-sitios/»

      Eliminar
  13. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Texto levado pró arquivo do post 5 e prós comentários do post 20.

      Eliminar
  14. TRAZIDO DA TSF-19/4/2017

    INCÊNDIOS FLORESTAIS: TEMPO PROPÍCIO A INCÊNDIOS FLORESTAIS/PROIBIDO FAZER QUEIMADAS

    «ANPC
    Risco elevado de incêndios florestais
    19 DE ABRIL DE 2017 - 21:37
    As regiões Norte e Centro vão registar índices "elevados a muito elevados" de risco de incêndio na quinta-feira, informou em comunicado, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

    (FOTO)


    PARTILHAR
    MAIS

    Sociedade
    De acordo com o comunicado, emitido no seguimento de contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), no Comando Nacional de Operações de Socorro da ANPC, "destaca-se para os próximos dias a existência de um cenário desfavorável em termos de incêndios florestais", assente em temperaturas máximas que podem atingir valores entre os 28 e os 30 graus Celsius na generalidade do território, "situação que poderá manter-se nos próximos três dias" (quinta, sexta e sábado).

    Uma baixa humidade relativa, aliada a vento do quadrante leste nas regiões Norte e Centro, podendo, "nas terras altas" ocorrer rajadas até 70 quilómetros por hora, situação que pode estender-se até sábado, faz prever a existência de riscos de incêndio "elevados a muito elevados" naquelas zonas do país.

    Neste quadro, a ANPC alerta para a proibição de, nos locais onde o risco de incêndio é superior a "elevado", realizar queimadas.

    Para os locais onde o índice de risco de incêndio seja superior ao nível "muito elevado", não é permitido, entre outras medidas, fazer fogueiras para recreio ou lazer, ou para confeção de alimentos, queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração e lançar foguetes.

    PARTILHAR»

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. DAQUI:http://www.tsf.pt/sociedade/interior/risco-elevado-de-incendios-florestais-6231418.html?utm_content=TSF&utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=Echobox#link_time=1492634294

      (TRANSFORMADO NO POST 22)

      Eliminar
  15. TRAZIDO DO PÚBLICO--24/1/2017

    EDUCAÇÃO: ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS ESCOLARES

    «Directores de escolas a exercerem mandatos autárquicos estão em situação ilegal

    A própria Associação Nacional de Dirigentes Escolares admite que "há inúmeros casos" de alegada incompatibilidade e tenciona pedir ao provedor de Justiça que solicite a inconstitucionalidade do artigo que merece interpretações diversas, consoante os governos.

    GRAÇA BARBOSA RIBEIRO 24 de Janeiro de 2014, 11:01 actualizado a 24 de Janeiro às 12:05 Partilhar notícia
    214 PARTILHAS

    (FOTO)

    AULO PIMENTA
    PUB

    De acordo com o Ministério da Educação e Ciência (MEC), o director de uma escola ou agrupamento de escolas não pode, segundo a lei, exercer "qualquer cargo resultante das eleições autárquicas, seja o de vereador, o de membro da assembleia municipal, o de vogal de junta de freguesia ou outro". Mas esta situação verifica-se em inúmeros municípios, como confirmou ao PÚBLICO Manuel Pereira, da Associação de Dirigentes Escolares (ANDE), que através do Provedor de Justiça vai pedir a verificação da constitucionalidade do artigo que estabelece o regime das incompatibilidades dos directores.

    Quando em Outubro tomou posse como presidente da Assembleia Municipal de Braga, depois de eleita nas listas da coligação PSD/CDS/PPM, Hortense Lopes dos Santos já era directora do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, naquele concelho. Pela mesma altura, Alcides Sarmento director do agrupamento de escolas de Moimenta da Beira, eleito pelo PS, assumiu o mesmo cargo no respectivo município; em Seia, o director do agrupamento de escolas local, João Viveiro, garantiu a continuidade na assembleia municipal, como deputado socialista; em Cinfães, o director da secundária, Avelino Evaristo Cardoso, eleito nas listas do PSD, tomou posse como vereador (embora viesse a pedir a suspensão do mandato, em finais de Novembro, por motivos de saúde); e em Guimarães José Augusto Araújo, socialista, director da secundária das Taipas, tomou o seu lugar como membro da assembleia municipal.

    PUB

    Todas estas situações foram confirmadas ao PÚBLICO pelos próprios e Manuel Pereira, dirigente da ANDE, admite que estão longe de se tratarem de casos isolados. Há mais, disse, incluindo o seu: foi eleito para a assembleia municipal de Cinfães pelo PSD e no mesmo dia em que tomou posse pediu a suspensão do cargo, alegando incompatibilidade com as funções de director, até ao esclarecimento cabal da situação junto do MEC. Só há dias renunciou.

    Através do gabinete de imprensa, o MEC explicou ao PÚBLICO por que nunca agiu contra situações que na sua perspectiva são ilegais: “Tanto a Direcção-Geral da Administração Escolar como a Inspecção-Geral da Educação e Ciência só podem actuar perante situações que sejam do seu conhecimento ou que lhes sejam reportadas”, informou, através de mensagem electrónica.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (CONTINUAÇÃO)

      Para fundamentar a sua interpretação do artigo que estabelece as incompatibilidades do exercício do cargo de director (que se mantém inalterado desde 2008, apesar de ter havido alterações ao Regime de Autonomia, Administração e Gestão dos Estabelecimentos Públicos da Educação Pré-Escolar e dos Ensinos Básico e Secundário) o MEC cita a lei e a orientação do director geral da Administração Escolar, que foi objecto de um despacho com data de 14 de Outubro de 2013. Explica, ainda, que à data não emitiu uma circular sobre o assunto porque “a interpretação da lei não suscita dúvidas e a norma já se encontrava em vigor relativamente ao mandato autárquico passado (2009 - 2013)”.

      Acontece que, como frisaram os vários directores eleitos nas listas do PS (o vereador de Cinfães e a presidente da assembleia municipal de Braga não quiseram fazer comentários), o Ministério da Educação do anterior Governo deu orientações opostas.

      A lei especifica que o regime de dedicação exclusiva dos directores implica a incompatibilidade do cargo dirigente “com quaisquer outras funções, públicas ou privadas, remuneradas ou não” e entre as excepções, “expressa e exaustivamente listadas”, não estão as referentes a cargos autárquicos, argumenta o actual MEC.

      “Perante precisamente o mesmo artigo, o então secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, concluiu que não havia incompatibilidade e homologou um despacho nesse sentido”, frisou José Augusto Araújo, da Secundária das Taipas, que em 2010 protagonizou o caso mais mediático relacionado com este assunto, precisamente por acumular as funções de vereador e de director. Nesse despacho interno, em que anotou que dele se devia dar conhecimento às direcções regionais e à inspecção, Valter Lemos baseia-se num parecer da Procuradoria Geral da República para sustentar que o exercício de cargo executivo autárquico em regime de não permanência não deve ser considerado actividade profissional para efeitos de aplicação do regime de exclusividade em funções públicas.

      José Eduardo Lemos, o recém-eleito presidente do Conselho das Escolas (um órgão consultivo do MEC), também disse ter na sua posse documentos da então Direcção Regional de Educação que em 2008 lhe permitiram assumir o cargo de director, apesar de ser membro das assembleias municipal e de freguesia da zona em que residia e trabalhava.

      “Isto é próprio de um país em que se prefere assobiar para o lado a corrigir as leis mal feitas”, critica Manuel Pereira. O dirigente da ANDE acabou por renunciar ao mandato de deputado, depois de a mesa da assembleia municipal de Cinfães ter recusado a suspensão, alegando que não existia incompatibilidade de funções, ao mesmo tempo que o MEC o informava de que essa incompatibilidade existia.

      “Se andarmos pelo país é o que vemos, em concelhos vizinhos: gente na mesma situação que eu, que se considera privada do direito constitucional de participação cívica e política, e outra que, com base numa outra interpretação do mesmo artigo feita por outro governo, exerce os respectivos mandatos na mais completa boa-fé, convencida de que está assegurada a legalidade”, disse.

      (CONTINUA)

      Eliminar
    2. (CONTINUAÇÃO)

      O melhor do Público no email
      Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.
      Subscrever×
      O MEC não adiantou quais os motivos que justificam a incompatibilidade. Manuel Pereira e os directores de escolas contactados pelo PÚBLICO que aceitaram pronunciar-se sobre o assunto rejeitaram que ela possa resultar do facto de as câmaras terem representantes no Conselho Geral das escolas, que elege o director. “São três pessoas em 21 e podem ser da cor contrária. Terão sempre o peso que já tem”, comentou Manuel Pereira.

      “A interpretação do MEC não faz sentido nenhum – a ser assim, com mais incompatibilidades do que um director escolar só o Presidente da República”, criticou Alcides Sarmento, que encara a presidência da assembleia municipal de Moimenta da Beira (“um órgão fiscalizador”, frisa) como “um direito e um dever de participação cívica”. Na sua perspectiva – e na dos pareceres que conhece, como faz questão de sublinhar – não está a cometer qualquer ilegalidade. “Estou de consciência tranquila e até considero ridículo que ponham em causa o meu direito a exercer o mandato para que fui eleito. Não estando previsto nas excepções, considerará o MEC que eu o facto de eu possuir um pequeno terreno e cultivar as minhas batatas e tratar das minhas vinhas é incompatível com o cargo de director?”, ironiza.

      José Augusto Araújo, de Guimarães, acredita mesmo que, “colocada a questão em termos públicos, o MEC acabará por ponderar e concluir que o actual parecer não tem fundamento”. Considera que “não existe qualquer conflito de interesses” entre as funções e nem admite a possibilidade de ser destituído ou alvo de processo disciplinar. "Havendo dois pareceres em sentido contrário, de dois ministérios, um deles homologado por um secretário de Estado, Valter Lemos, no limite o MEC teria de nos informar de que teríamos de optar por um dos cargos”, defendeu, em declarações ao PÚBLICO. João Viveiro, de Seia, tem uma perspectiva semelhante. Afirma que está a dar o seu “contributo cívico” e que não vê “como é que a função de deputado pode ser incompatível com a de director escolar”. Admite que a questão se coloque em relação “aos vereadores”, “que, mesmo sem pelouro, apenas com o voto, têm peso e podem influenciar decisões num órgão executivo”. Mas mesmo em relação a esse aspecto, diz, precisaria de analisar “melhor e com mais tempo” a situação.

      DAQUI:https://www.publico.pt/2014/01/24/sociedade/noticia/mec-sustenta-que-directores-de-escolas-a-exercerem-mandatos-autarquicos-estao-em-situacao-ilegal-1620904

      Eliminar
  16. TRAZIDO DO CALENDARR

    DIA ESPECIAL: DIA MUNDIAL DA TERRA/PORQUÊ O DIA MUNDIAL DA TERRA?

    «Dia Mundial da Terra
    Compartilhar Tweetar
    Próximo Dia Mundial da Terra 22 de Abril de 2017 (Sábado)

    Todos os anos, a 22 de abril celebra-se o Dia Mundial da Terra.

    Origem da data

    A data foi criada em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson que resolveu realizar um protesto contra a poluição da Terra, depois de verificar as consequências do desastre petrolífero de Santa Barbara, na Califórnia, ocorrido em 1969.

    Inspirado pelos protestos dos jovens norte-americanos que contestavam a guerra, Gaylord Nelson, desenvolveu esforços para conseguir colocar o tema da preservação da Terra na agenda política norte-americana.

    A população aderiu em força à manifestação e mais de 20 milhões de americanos manifestaram-se a favor da preservação da terra e do ambiente.

    Atividades

    Todos os anos, no dia 22 de abril, milhões de cidadãos em todo o mundo manifestam o seu compromisso na preservação do ambiente e da sustentabilidade da Terra. Neste dia de cariz educativo escrevem-se frases e poemas sobre a importância do planeta Terra nas escolas, entre outras atividades.

    É possível juntar-se a atividades existentes, criar eventos próprios, doar dinheiro, ou tomar simples atos como plantar uma árvore ou separar o lixo, por exemplo.

    O Dia Mundial da Terra conta já com mais de mil milhões de atos realizados em prol do ambiente ao longo da história. É o maior dia do ano para o planeta Terra, desejando que todos os habitantes do mundo realizem algum ato que o proteja. Este ato será uma espécie de semente para regar durante o resto do ano.

    Para o ano de 2017, o tema das atividades é "Instrução ambiental e climática" (Environmental and Climate Literacy).

    Impacto ambiental

    Investigadores e associações ambientalistas alertam para o perigo e consequências do aquecimento global da Terra, nomeadamente:

    aumento da temperatura global da Terra;
    extinção de espécies animais;
    aumento do nível dos oceanos;
    escassez de água potável;
    maior número de catástrofes naturais, como tempestades, secas e ondas de calor.»

    ResponderEliminar
  17. TRAZIDO DO NOTÍCIAS AO MINUTO-30/4/2017

    RELAÇÕES INSTITUCIONAIS:???

    «Passos diz que não metia "rolha na boca" às instituições por o criticarem

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje que quando estava no Governo podia discordar do que as instituições diziam, mas não as ameaçava, manipulava ou lhes metia uma rolha na boca, ao contrário do atual Governo.

    © DR
    POLÍTICA PSD
    HÁ 4 HORAS
    POR LUSA
    Lusa
    PARTILHAR
    "Ficamos obviamente preocupados quando vemos que quando essas instituições não dizem o que é do agrado do Governo, quando não tecem elogios, quando não se convertem à maravilha dos resultados que são enunciados, quando chamam à atenção independentemente dos governos que estão para os problemas que existem, há uma grande diferença entre nós, quando nós estávamos no Governo podíamos não concordar com o que as instituições diziam, mas não ameaçávamos, não manipulávamos ou lhes metíamos uma rolha na boca", disse.

    Perante as críticas, o que o Governo PS faz é recusar os novos nomes que são propostos para essas entidades e recusar tantas vezes até que essas proponham quem o Governo quer, frisou o social-democrata durante o seu discurso, na apresentação dos candidatos às eleições autárquicas de Murça, no distrito de Vila Real.

    "É esta a Democracia praticada por quem está hoje no Governo, uma Democracia limitada e mais pobre e nós não queremos isso", salientou.

    Considerando que o país é hoje governado por quem diz uma coisa e faz outra, o ex-primeiro-ministro referiu a necessidade de continuar a existir instituições independentes fortes que possam defender os cidadãos das arbitrariedades, das manipulações e das inverdades de quem lidera.

    Na sua opinião, essas entidades são importantes para que as pessoas percebam e saibam o que se passa no país e possam ajuizar com rigor e independência o que é a ação do Governo, do Parlamento ou de outras instituições.

    O Conselho de Finanças Pública ou o Banco de Portugal, citou a título de exemplo o antigo governante, são instituições que existem também para dar garantias às pessoas de que têm acesso a informações sobre o que se passa.

    O PSD irá continuar apostado em "não calar esta voz de denúncia" contra os ataques que são feitos contra as instituições independentes, ressalvou Passos Coelho.

    Portugal conseguiu um défice de 2% e "ainda bem", mas à custa daquilo de quem hoje governa criticava no passado e, quando o Conselho de Finanças Pública vem chamar à atenção de como é que os resultados de 2016 foram alcançados, o Governo reage mal, considerou.

    "Criticava tão fortemente que dizia mesmo que não era possível ter um modelo de crescimento económico que não estivesse assente no investimento público, depois verificamos que não houve outro Governo em Democracia que tivesse cortado tanto no investimento público como este", sustentou.

    O presidente do PSD vincou que essas informações só são conhecidas porque há entidades independentes que apontam "claramente" esses resultados.»

    DAQUI: https://www.noticiasaominuto.com/politica/785457/passos-diz-que-nao-metia-rolha-na-boca-as-instituicoes-por-o-criticarem

    ResponderEliminar
  18. TRAZIDO DO PÚBLICO-28/4/2017

    BALEIA AZUL:PERIGOS QUE NOS CHEGAM VIA NETS

    «life&stylefamília e relações

    BALEIA AZUL

    Por que arriscam os jovens as suas vidas no jogo Baleia Azul?

    28.04.2017 Bárbara Wong

    Especialistas alertam os pais para estarem atentos aos comportamentos dos filhos e para dialogarem, mas sem proibir o acesso à Internet.

    Foi há uma semana que Bárbara Ramos Dias, psicóloga em Oeiras, recebeu o primeiro alerta para o jogo Baleia Azul. Um adolescente ligou-lhe porque não sabia o que havia de fazer. Se não jogasse matar-lhe-iam os pais, disse. A psicóloga descansou-o. Já esta semana, outro jovem contactou-a por causa do mesmo jogo e da mesma ameaça.

    A Baleia Azul tem cerca de meia centena de instruções – Tito de Morais, do projecto Miudos Seguros na Net, recusa-se a chamar-lhe “desafios” porque são “coisas terríveis” – que induzem quem adere ao jogo a praticar actos de automutilação. O fim último é o suicídio. Este jogo terá começado na Rússia e já se espalhou pelo mundo, tendo chegado agora a Portugal com o primeiro caso de uma jovem no Algarve que se atirou de um viaduto.

    Quem são os jovens que aderem? Para Bárbara Ramos Dias, que trabalha com adolescentes e faz consultas através do skype, são apenas miúdos que “acreditam naquelas ameaças, têm medo que façam mal aos pais e, por isso, fazem tudo o que o jogo manda”.

    Margarida Gaspar de Matos, especialista em saúde pública e responsável pelo estudo Health Behaviour in School-Aged Children, da Organização Mundial de Saúde, lembra que faz parte da adolescência querer arriscar e testar os limites, mas também aderirão os jovens mais “desorganizados e com menos perspectivas de futuro”.

    Rosário Carmona e Costa, psicóloga especialista em adição à Internet, cyberbullying e psicologia da web, que publicou recentemente o livro iAgora? sobre as dependências das crianças e adolescentes dos ecrãs, é da mesma opinião e lembra as corridas de alta velocidade na ponte Vasco da Gama como um dos comportamentos de risco e de tentativa de testar limites. “Esta é a versão electrónica do experimentar álcool ou drogas pesadas, ou outras coisas em que arriscamos e testamos os limites”, acrescenta Margarida Gaspar de Matos.

    CONTINUA

    ResponderEliminar
  19. BALEIA AZUL (cont.)

    Perguntas & Respostas sobre o jogo

    “O que me espanta não é como surgiu o jogo, mas como as pessoas que o fizeram são tão conhecedoras do comportamento humano. O jogo parece uma coisa improvável [pedir a alguém que se automutile], mas quem o fez sabe que quem vai jogar entra num clima crescente que o faz não querer parar e continuar a arriscar”, reflecte a especialista. Além disso, o facto de ser online faz parecer que nada daquilo é real e os jovens têm uma “sensação de invulnerabilidade e de que não estão a correr um risco real”.

    Bárbara Ramos Dias conta que um dos desafios é ouvir uma música psicadélica e subir a um prédio, ao mais alto possível. “É um jogo de manipulação”, define. E pode também ser de pressão social, avança Gaspar de Matos. Não esquecer que os adolescentes têm necessidade de pertença e de procurar a novidade, acrescenta Carmona e Costa.

    A psicóloga que dá consulta no Cadin, em Cascais, lembra que tem havido outros jogos na Internet com propostas semelhantes: sítios onde os adolescentes são convidados a cortarem-se em conjunto, outros onde lhes propõem o choro colectivo, incentivam ao suicídio, ou “quem disser mais mal de si próprio é o melhor”. O jogo Baleia Azul é um “cocktail explosivo”, sobretudo para miúdos que acreditam que são invulneráveis, que o mal só acontece aos outros ou então para aqueles que têm défice de auto-controlo. “É comum os adolescentes pensarem que têm tudo sobre controlo e não têm”, analisa Carmona e Costa.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
  20. BALEIA AZUL (cont.)

    Mais tempo de família, menos de telemóvel

    No livro iAgora?, Rosário Carmona e Costa analisa o comportamento dos pais quando os filhos têm um problema de dependência dos ecrãs e conta que, a maior parte das vezes, os pais demitem-se do seu papel por “acharem que não vale a pena intervir porque não são competentes para o fazer”. A psicóloga discorda desta atitude. “Os pais sabem o que é demais, o que é um comportamento que não se aceita. É importante que os filhos saibam que os pais estão a controlar os seus comportamentos. Os miúdos esperam isso dos pais”, defende.

    Sentados à mesa, pais e filhos estão, cada um, nos seus telemóveis. O filho adolescente pode estar a ver a próxima proposta que o jogo Baleia Azul lhe faz que os pais não saberão pois também eles estão embrenhados no mundo virtual. Aos pais cabe estar atentos e “dotar os filhos de competências e regras”, aponta a psicóloga. “Os pais têm de preparar os filhos para saberem identificar um comportamento de risco, para saberem dizer ‘não’ e, se já estiverem dentro do jogo, para saberem pedir ajuda”, enumera Carmona e Costa.

    Também Gaspar de Matos recomenda que não se ralhe nem se proíba o acesso às novas tecnologias, “isso é privá-los de estarem com os seus pares”. Em vez disso, há que estar atento, conversar – “conheces alguém? Como é que é esse jogo? Não achas que é um disparate?”. “É preciso que as famílias mostrem cumplicidade, é preciso uma grande serenidade por parte dos pais, mas sem proibir [porque se o fizerem] eles vão tentar”, alerta a especialista. “Eles fazem-no às escondidas, o jovem tende a esconder-se. Por isso, não vale a pena fazer um braço de ferro”, acrescenta.

    A psicóloga Bárbara Ramos Dias pede aos pais para, além de dialogarem com os filhos, estarem atentos a outros sinais: ver constantemente o corpo dos jovens para ver se há sinais de corte, estranhar se andarem muito vestidos, observar se se isolam, se o comportamento mudou, se estão apáticos. “O melhor é falar sobre o jogo e dizer-lhe que é mentira, que alguém o criou para lhes fazer mal e transmitir-lhes confiança”.

    No Brasil, conta Tito de Morais, foi criado o jogo Baleia Rosa com 50 desafios pela positiva. As famílias podem pegar nesse jogo e fazê-lo, propõe. Assim, em vez de a primeira indicação ser tatuar com uma faca na sua própria pele uma sigla, como pede a Baleia Azul, propõe-se escrever com uma caneta na "pele de alguém o quanto você a ama".

    Os jovens precisam de ter um sentido para a vida, aponta Gaspar de Matos, algo que descubram que os faça ter satisfação. Precisam de fazer outras coisas que não seja estar só à frente de um ecrã, aconselha Carmona e Costa. “É preciso promover tempos de família que protejam os jovens de comportamentos de risco”, conclui.

    Serviços telefónicos de ajuda e apoio ao suicídio

    SOS – Serviço Nacional de Socorro
    112

    SOS Voz Amiga
    (entre as 16 e as 24h00)
    21 354 45 45
    91 280 26 69
    96 352 46 60

    SOS Telefone Amigo
    239 72 10 10

    Telefone da Amizade
    22 832 35 35

    Escutar - Voz de Apoio - Gaia
    22 550 60 70

    SOS Estudante
    (20h00 à 1h00)
    808 200 204

    Vozes Amigas de Esperança
    (20h00 às 23h00)
    22 208 07 07»

    DAQUI: http://lifestyle.publico.pt/noticias/372997_por-que-arriscam-os-jovens-as-suas-vidas-no-jogo-baleia-azul

    TRANSFORMADO NO POST 34 DE ABRIL/17

    ResponderEliminar