terça-feira, 10 de junho de 2014

(30)10 DE JUNHO:REACÇÔES AO DISCURSO DO Sr PR!(politica nacional)

10 DE JUNHO:COMEMORAÇÕES DO DIA DE PORTUGAL NA SEQUÊNCIA DO DISCURSO DO SENHOR PRESIDENTE DA REPÚBLICA, ONDE ESTE PEDIU, MAIS UMA VEZ, "UM ENTENDIMENTO ALARGADO ENTRE TODOS OS PARTIDOS" (DURANTE 10 ANOS), SEGUIRAM-SE ALGUMAS REACÇÕES. VER NOS COMENTÁRIOS ALGUMAS DESSAS REACÇÕES:DÊ UMA ESPRETADE-LA E DEIXE A SUA OPINIÃO! A MODERADORA PRINCIPAL DO TAROUCAndo

10 comentários:

  1. REACÇÃO DO CDS/PP: Drª TERESA CAEIRO

    0 Junho: Teresa Caeiro (CDS) diz esperar que entendimento seja concretizável


    A vice-presidente do CDS-PP Teresa Caeiro disse hoje esperar que seja «concretizável» um entendimento entre as forças políticas do 'arco da governabilidade, tal como o Presidente da República apelou ao início da tarde.

    «Espero que isso seja concretizável, penso que é isso que os portugueses esperam», afirmou Teresa Caeiro, em declarações aos jornalistas no final da sessão solene do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que decorreu na Guarda-
    Sustentando que o apelo do chefe de Estado é dirigido a «todas as forças políticas do arco da governabilidade», Teresa Caeiro defendeu que é necessário que sejam capazes de se sentar à mesma mesma e de encontrar pontos de consenso.

    «Os portugueses não compreendem como é que para além a luta política não haja pontos de entendimento», frisou.

    (TRAZIDO DA TSF--ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  2. REACÇÃO DO PSD: Dr CARLOS CARREIRAS

    Carlos Carreiras "Tem de haver sempre condições para compromissos"

    Carlos Carreiras reagiu esta tarde, em nome do PSD, aos dois discursos proferidos por Cavaco Silva neste feriado de 10 de junho, dia de Portugal.

    Carlos Carreiras abordou hoje, em nome do PSD, os dois discursos proferidos pelo Presidente da República, em dia de feriado nacional.

    Na perspetiva do dirigente socialdemocrata, “têm de haver sempre condições para compromissos” entre os chamados partidos do ‘arco da governação’. Essa é uma condição essencial “para sermos responsáveis”, acrescentou.

    Relativamente às palavras de Cavaco Silva, Carlos Carreiras destacou o “profundo patriotismo” e a “grande oportunidade” dos dois discursos, considerando que “há um desígnio por cumprir, e esse desígnio é Portugal”.

    Recorde-se que o dia de celebrações inseridas nas comemorações do 10 de junho, a decorrer na Guarda, foi marcado pelo desmaio de Cavaco Silva, enquanto discursava perante formações das forças armadas portuguesas.

    (TRAZIDO DO NOTÍCIAS AO MINUTO--ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  3. REACÇÃO DO PS: Dr ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

    Seguro: entendimentos não se conseguem com cortes

    António José Seguro respondeu ao apelo para um entendimento, feito por Cavaco Silva, com os cortes feitos pelo Governo

    No discurso do 10 de Junho, Cavaco Silva avisou que o preço a pagar pode ser muito elevado, caso os partidos não cheguem a um entendimento político sobre a trajetória da divida e as prioridades de médio prazo.

    Na resposta, o secretário-geral do PS considerou que «todos os compromissos» são «bons» para o país, após o apelo para um entendimento partidário defendido pelo Presidente da República.

    Mas no entender de António José Seguro, «a questão coloca-se em concreto: isto é, qual é a base para esse compromisso», referindo que o PS tem «insistido que a base para esse compromisso tem que ter uma prioridade: o crescimento da nossa economia e a criação de emprego no nosso país».

    «E esse tem sido o consenso que tem sido gerado na sociedade portuguesa e, portanto, como é sabido, há aí uma divergência em relação ao atual Governo que coloca no empobrecimento a sua principal prioridade», referiu.

    Para o líder nacional do PS, «cortes e mais cortes não são solução» como «infelizmente os portugueses têm sentido».

    «Por isso, os compromissos que têm que ser feitos, têm que ser feitos nesta base do crescimento da nossa economia, em consolidação sustentável das nossas contas públicas e não como tem existido este aumento de dívida pública», declarou Seguro.

    (TRAZIDO DA TSF--ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  4. INFORMAÇÃO ADICIONAL:

    JÁ ONTEM, SILVA PENEDA, RESPONSÁVEL PELAS COMEMORAÇÕES DO 10 DE JUNHO, FALAVA NA NECESSIDADE DE UM "AMPLO ENTENDIMENTO":

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PORTUGAL

      Silva Peneda apela a um pacto de regime ao mais alto nível
      Publicado ontem às 11:19

      O presidente do Conselho Económico e Social, que está a organizar as comemorações do 10 de Junho, diz que só com um acordo alargado pode alcançar-se um caminho de futuro.

      Silva Peneda apela a um pacto de regime assente em três objetivos

      Silva Peneda, presidente do Conselho Económico e Social que está a organizar as comemorações do 10 de Junho e vai discursar na cerimónia, vai aproveitar a intervenção de terça-feira para defender a necessidade de um pacto de regime alargado.

      Ouvido pela TSF, Silva Peneda diz que só com um compromisso politico de longo prazo se pode alcançar um caminho de crescimento do país. Um compromisso, diz, assente em três ideias: equilibrio das contas publicas, por economia a crescer e reformar o Estado.

      Mesmo admitindo a dificuldade de alcançar esse consenso politico, o presidente do conselho económico e social considera que vale a pena o esforço para que Portugal possa desenvolver-se.

      (TRAZIDO DA TSF--ENVIADO POR:PA/DI)

      Eliminar
  5. UMA CONSTATAÇÃO (GIRA):

    E depois de recebermos um "503" pró post 2 (diversos de junho), eis que chegou um "503" também pró 30!

    Achamos bem, porque assim lá está: ninguém se fica rir!:)

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  6. SOBRE O ACTUAL MOMENTO QUE PORTUGAL VIVE, ONTEM, O Sr PRESIDENTE DA REPÚBLICA, MOSTROU-SE CONFIANTE NO FUTURO E PEDIU AOS PORTUGUESES PRA NÃO BAIXAREM OS BRAÇOS:

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (TRAZIDO DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS: 9/6)

      PRESIDENTE DA REPÚBLICA

      Cavaco apela a portugueses a não baixarem braços
      por Lusa, texto publicado por Sofia Fonseca

      O Presidente da República disse hoje ter "muita esperança" que da crise que Portugal atravessa saia uma economia mais dinâmica, mais sustentável e competitiva, exortando os portugueses a não 'baixarem os braços'.

      "Eu tenho de facto muita esperança de que desta crise saia uma economia mais dinâmica, mais sustentável, mais integrada nos mercados internacionais e mais competitiva", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa intervenção no final de uma visita ao Centro Interpretativo do Vale Glaciar do Zêzere, em Manteigas, na Serra da Estrela.

      Elogiando a forma como os empresários portugueses enfrentarem as "adversidades", alterando modelos de negócios, procurando novas estratégias de produção e comercialização, Cavaco Silva exortou os portugueses a não baixarem os braços.

      (ENVIADO POR:PA/DI)

      Eliminar
  7. Esta página Web não está disponível

    Menos
    A página Web em http://taroucando.blogspot.pt/2014/06/3010-de-junhoreaccoes-ao-discurso-do-sr.html poderá estar temporariamente inactiva ou poderá ter sido movida permanentemente para um novo endereço Web.
    Código de erro: ERR_INVALID_ARGUMENT

    ResponderEliminar
  8. INFORMAÇÃO ADICIONAL:

    Cavaco agradece apoio e solidariedade após indisposição no 10 de Junho
    Publicado hoje às 21:04
    Cavaco Silva confirmou, numa nota no site da Presidência da República, que já se encontra restabelecido e destacou a forte adesão dos portugueses à celebração do Dia de Portugal.

    O Presidente da República agradeceu o apoio e a solidariedade que recebeu depois da indisposição que sentiu durante as cerimónias do 10 de Junho, na Guarda.

    Numa curta nota no site da Presidência da República, Cavaco Silva confirmou que já se encontra restabelecido e destacou a forte adesão dos portugueses à celebração do Dia de Portugal

    (ENVIADO POR: A.M.)

    ResponderEliminar