quarta-feira, 2 de julho de 2014

(2) DIVERSOS DE JULHO/2014!(pergunte, informe, denuncie, elogie...)

PROVÉRBIO CHINÊS: «OS SÁBIOS DISCUTEM IDEIAS, OS COMUNS DISCUTEM FACTOS E OS MEDÍOCRES DISCUTEM PESSOAS» Caros Bloguistas! Aqui está o post pra onde pode enviar os seus elogios, as suas denúncias, as informações úteis prós tarouquenses, mas também onde pode colocar as suas perguntas/dúvidas!(e neste caso, esperar que alguém apareça a responder) Aquele Abraço! ProfAnónima Informações Adicionais: Voltamos a lembrar que o TAROUCAndo, além dos postes com assuntos específicos (notícias, resumos sobre isto ou aquilo, etc), também tem, desde o início, postes pra assegurar as Rubricas Classicas: -Por Tarouca Aconteceu/Vai Acontecer (noticias locais/regionais) - Tarouca Foi Notícia: Saiba Porquê! - As Figuras TAROUCAndo! - Rir Faz Bem! -Se Recordar é Viver: Recordemos... - Eles/Elas Disseram:E Agora?! -ETC.

119 comentários:

  1. INFORMAÇÃO 1:

    A rubrica do "se recordar é viver:recordemos", poderá não voltar a surgir se continuarmos impedidos de postar cartazes/fotos.

    Recordamos que este blog começou a "laborar" sem tem essa capacidade, mas entretanto ganhou-a milagrosamente; e foi milagrosamente que a perdeu, nos inicios de Junho/2014!:(

    Agora não deixou de ser giro que o TAROUCAndo tivesse registado um maior número de leitores/visitantes, desde que tal aconteceu! E entender isto?!

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  2. INFORMAÇÃO 2:

    Se em Junho tivemos muitas e variedades actividades, pudemos avançar desde já que Julho NÃO vai ficar atrás!

    Entre outras coisas vamos ter a visita do circo EDDY CIRCUS (dias 4, 5 e 6), que anuncia uma série de números fantáticos e a presença de muitos animais: cabras, burros, etc, etc.

    ProfAnónima

    NB:AMANHÃ ANUNCIAREMOS MAIS ACTIVIDADES NA RUBRICA: "POR TAROUCA ACONTECEU/VAI ACONTECER".

    ResponderEliminar
  3. INFORMAÇÃO 3:

    Algumas das actividades previstas prós inicios de Julho/14, já se encontram divulgados nos últimos comentários da rubrica "Por Tarouca Aconteceu/Vai Acontecer" de Junho/14!(post 7)

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  4. INFORMAÇÃO 4/ELOGIU: II CONGRESSO DA CIDADANIA POLITICA DE TAROUCA

    Conforme o previsto, no passado dia 21 de Junho decorreu o 2º Congresso da Cidadania Politica, no Auditório Adácio pestana.

    Sobre este GRANDE acontecimento, fizemos os seguintes postes especificos (em junho):

    -Post 68: "Axegas" ao 2º Congresso: Programa

    -Post 70: Diversos/Compilação: Aqui poderá encontrar praticamente tudo que diga respeito ao 2º congresso;

    -Post 71:O Balanço feito pelo mentor do evento: Dr Domingos Nascimento.

    -Post 80: As 13 Instituições que apresentaram projectos ao Concurso do Cidadão Participa;

    -Post 83: Os 5 Temas propostos pelos irganuzadores prós Senhores(as) Congressistas debaterem/refletir;

    PrifAnónima

    NB:NOS POSTES 80 E 83 CHEGARAM ALGUMAS QUESTÕES QUE SERÃO (ALGUMAS) RESPONDIDAS PELA MALTA DO TAROUCAndo!(as outras....)

    ResponderEliminar
  5. DENUNCIA/INFORMAÇÃO 5: DIA 30/6 HOUVE UMA REUNIÃO DA AM

    Ontem, dia 30 de Junho, houve mais uma reunião da Assembleia Municipal, pelas 14:30h, mas lamenta-se que a divulgação da mesma só tenha acontecido no próprio dia pelas 15:30h.

    Sobre esta questão elaboramos o Post 94 (onde informávamos o evento e manifestávamos o n/desagrado), e seguiram-se um conjunto de questões!(que vão continuar ainda....)

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  6. INFORMAÇÃO 6: PENSÕES PRA 2015

    Como é sabido está em curso um "estudo" com vista a substituir a CES (contribuição extraordinária solidária) por outra coisa. A semana passada a Ministra das Finanças anunciou a possibilidade de trocar esta "taxa" pela CS (contribuição de sustentabilidade), dizendo que esta é mais vantajosa pra TODOS os pensionistas.

    (SAIBA MAIS NO POST 92 DE JUNHO/14)

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  7. INFORMAÇÃO 7: OS (não) CORTES NOS SUBSIDIOS

    Depois do TC decretar incontitucionais os cortes previstos nos subsidios de 2014, o Governo procurou fazer um "entendimento" do acordão.

    (SAIBA MAIS NO POST 66)

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  8. INFORMAÇÃO 8: OCUPAÇÃO DA PEQUENADA NAS FÉRIAS ESCOLARES

    Segundo o Douro Hoje, saido na passada 6ª feira, a Câmara Municipal de Tarouca (*) vai levar acabo o Atelier "Crescer a Sorrir", entre 15 de Julho a 29 de Agosto.

    (PRA MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE: WWW.CM-TAROUCA.PT)

    ProfAnónima

    (*)Segundo o mesmo Jornal, são os "Serviços Sociais e da Saúde da Câmara" a promover esta actividade.

    ResponderEliminar
  9. INFORMAÇÃO 9:REORGANIZAÇÃO DO DESPORTO/FUTEBOL EM TAROUCA

    A Câmara Municipal continua empenhada em reorganizar o Futebol em Tarouca.

    O TAROUCAndo soube, junto de fonte MUITO segura que, na próxima época ainda vamos ter os 2 Clubes de Futebol, pra não impedir que o Tarouquense suba de divisão, mas depois "logo se vê".

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  10. INFORMAÇÃO 10: O MERCADINHO DE TAROUCA

    Várias são as vozes a dizerem por aí que o mercadinho está pronto. Aliás, o Sr presidente da Câmara voltou a dizer isso mesmo aquando do 2º Congresso da Cidadania. O certo é que ainda não se vê o dito cujo!

    Mas não tem sido este "atraso" que tem impedido o "Grupo-Elas", de andarem por aí a vender/trocar o que produzem nos quintais e em casa.

    A próxima Feira (d)Elas vai ser, no próximo sábado, em Salzedas e conta com o apoio da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia Local!

    Profanónima

    ResponderEliminar
  11. INFORMAÇÃO 11: QUEM NOS VISITA NESTE MOMENTO?!

    Ora aqui está uma pergunta a qual ninguém pode responder pois essas actualizações estão (novamente) atrasadas, mas prontos!

    «URLs de referência
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.
    Sites de referência
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.
    Pesquisar palavras-chave
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  12. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF (1/7)]

    DESEMPREGO: VOLTOU A CAIR...

    «Desemprego: Portugal registou «segunda maior descida» da UE
    Publicado hoje às 16:53

    O primeiro-ministro sublinha que Portugal registou a «segunda maior descida» da taxa de desemprego na União Europeia, apesar de reconhecer que ainda permanece elevada.

    «No mês passado, a taxa de desemprego cifrou-se em 14,3 por cento, um nível ainda elevado, mas que representa uma descida de 2,6 pontos percentuais face ao mesmo mês de 2013», sublinhou Passos Coelho.
    Esta descida, acrescentou o chefe do Governo, «foi a segunda maior registada em toda a União Europeia».

    Relacionados

    Desemprego em Portugal desce 2,6 pontos percentuais num ano
    Publicado hoje às 10:19»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  13. OLHA CHEGOU:

    «O seu comentário ficará visível após aprovação.»!?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. NESTE MOMENTO ESTÃO A "COMER" OS N/COMENTÁRIOS!ENFIM::DESDE QUE NÃO ALTEREM O CONTEÚDO DOS TEXTOS!(SIM; É QUE NOS AINDA NÃO APRENDEMOS A FAZER COMO O Sr PROVEDOR QUE SÓ OS PUBLICA EM PDF!)

      Eliminar
  14. Que confusão vai neste blog... A autora faz os pots e faz os comentários. Passa a vida a remeter para outros locais do blog... Não haverá uma linha lógica neste blog!????
    Anúncios de acontecimentos são mais do que muitos. Mas ... notícias e reportagens sobre os acontecimentos são quase nulas. E é de reportagem isenta que os leitores precisam.
    Por outro lado algum narcisismo e autoelogio dispensam-se. Queremos isenção e mais presença no terreno.
    Cumprimentos,
    Ana Malíngua

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. DEMOROU(*) MAS...COMO PODE VER...ACABAMOS POR DIVULGAR O SEU COMENTÁRIO, APESAR DE POUCO SIMPÁTICO!

      A MODERADORA PRINCIPAL DO TAROUCAndo

      (*)DEMOROU PQ FOI PARAR AO ARQUIVO DO SPAM!

      Eliminar
  15. TRAZIDO DO POST 1 DE JULHO/14:

    «Anónimo1 de Julho de 2014 às 23:08

    TESTE:ABC/1

    O seu comentário ficará visível após aprovação.»

    ResponderEliminar
  16. INFORMAÇÃO:

    E enquanto estavamos por aí a "alimentar" o blog (na boa...) eis que apareceu (regressou?) um(a) bloguistas pelas 23:24 com uma converseta da treta.

    Não nos referimos à bloguista que fez meia dúzia de comentários e os assinou, naturalmente!

    ProfAnónima

    NB:ALGO NOS DIZ QUE É A MESMA QUE, UM DIA, ASSINOU COM "CELESTE DO PIPO"!(e que conseguiu entrar aqui sem passar por nenhum email, e esta heim?!)

    ResponderEliminar
  17. Muito Boa Tarde!

    Acabamos de aqui chegar e convidamos os n/leitores (ou simples curiosos...) a fazer esta experiência connosco:enquanto aqui estivermos, vamos ver que

    1º)em principio, o painel de controle não actualiza:não regista quem nos visita.

    «URLs de referência
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.
    Sites de referência
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.
    Pesquisar palavras-chave
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.»

    2º)???

    ProfAnónima

    NB:UM(A) TAL "CELESTE DO PIPO", VOLTOU:COM UMA CALIGRAFIA DIFERENTE MAS COM O PALAVRIADO DE SEMPRE!ENFIM...

    ResponderEliminar
  18. INFORMAÇÃO: PELO FACEBOOK:


    O BTT-Tarouca esta a fazer passar uma mensagem de agradecimento aos patrocinadores e colaboradores da 6ª Prova do INATEL, realiza em opor cá:

    «Tarouca Btt adicionou 2 fotos novas.

    Em nome da Associação Tarouca BTT, um agradecimento especial a todos os patrocinadores e a todos os voluntarios que fizeram parte desta organização da 6ª Etapa UP and DOWN BTT 2014 COMPETITION MARATONA e MEIA MARATONA.»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  19. ESTÁGIOS PROFISSIONAIS(CONTINUAÇÃO)

    A situação deve-se, segundo o antigo responsável do instituto, à “generosidade” dos apoios. E lembra que até à publicação, em Março, de uma alteração ao regulamento (que passou a recusar candidaturas de empresas que não tenham admitido pelo menos um estagiário em cada três) verificava-se “falta de selectividade” na aprovação destes estágios. Porém, o Governo não revelou qual o montante já comprometido com as candidaturas aprovadas nem qual o reforço orçamental que será necessário.

    A demora, que em alguns casos chega aos quatro meses, na resposta aos jovens estagiários é outro dos problemas apontados ao programa. É o caso de Filipa Oliveira. A jovem mestre em Educação Pré-escolar e Ensino do 1.º ciclo recebeu uma proposta de estágio numa creche no início de Dezembro, contudo, começou a trabalhar em finais de Abril, mais de quatro meses depois. Filipa garante conhecer muitos colegas que estão na mesma situação.»

    (ENVIADO POR:VS)

    ResponderEliminar
  20. INFORMAÇÃO/PEDIDO DE DESCULPAS

    Muitos dos textos que deveriam ter sido enviados pra este post, acabaram por ser enviados prós Diversos de Junho/2014!:(

    Pelo lapso as n/desculpas!

    ProfAnónima

    NB:AQUI, OS ÚNICOS CULPADOS SOMOS NÓS!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. VAMOS PROCURAR COLOCA-LOS LÁ ABAIXO!

      Eliminar
  21. INFORMAÇÃO:

    ALGUNS TEXTOS/ARTIGOS DE DIVERSOS ÓRGÃOS DE CS, RELATIVOS A JULHO/14, FORAM COLOCADOS NOS DIVERSOS DE JUNHO/ 14:ALGUNS DELES IRÃO SER COLOCADOS AQUI E/OU EM POSTES!

    A MODERADORA PRINCIPAL DO TAROUCAndo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. VAMOS PROCURAR COLOCA-LOS LÁ ABAIXO!

      Eliminar
  22. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(5/7)]

    RESUMO DO COMENTÁRIO DO DR MARQUES MENDES

    Marques Mendes

    Vítor Bento e Moreira Rato são “Messi e Neymar” da banca

    No seu habitual comentário na SIC, Marques Mendes falou este sábado sobre a crise no BES e sobre os nomes avançados para a liderança do Banco, afirmando que confia plenamente em Vítor Bento e Moreira Rato.

    O social-democrata falou ainda sobre o debate do Estado da Nação que apelidou de ‘pobrezinho’ e do Conselho de Estado, que disse ter reforço o apelo de consenso do Presidente da República, Cavaco Silva.

    [POLÍTICA Vítor Bento e Moreira Rato são “Messi e Neymar” da banca DR
    22:15 - 05 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    Relativamente ao principal tema da agenda mediática nos últimos dias, a crise no BES, Luís Marques Mendes disse confiar na escolha de Vítor Bento e Moreira Rato para liderarem o banco, lembrando a competência do primeiro e a forte ligação do presidente do IGCP aos investidores, afirmando que também os mercados reagiram bem a esta ideia.

    “Os mercados deram ontem o primeiro sinal que acham bem esta decisão [proposta de Vítor Bento e Moreira Rato para a liderança do BES]”, afirmou o social-democrata, lembrando que tanto investidores, como acionistas, mas também o Banco de Portugal pretendiam ter um nome distante da administração cessante. Sobre as críticas dos partidos, Mendes lembrou que “são dois técnicos”, “sem filiação partidária”, razão pela qual, considerou que “os críticos não têm razão nenhuma”.

    Sobre a dupla Bento e Rato, Marques Mendes disse considerar que a escolha não poderia ter sido melhor, desenhando uma analogia com o mundo do futebol dizendo que este era um “dream team (…) uma espécie de Messi e Neymar aplicado à banca”. Individualizando, sobre Vitor Bento disse que é “competente, credível, sério e prestigiado”, chegando a afirmar que a aceitação desta posição acontece quase por “serviço patriótico”.

    Sobre o presidente do IGCP lembrou a estratégia gizada de regresso de Portugal aos mercados, atestando a “grande influência junto dos investidores”, algo que considerou muito importante dadas as funções que ocupará, provavelmente, no BES.

    Noutro ponto, sobre o Conselho de Estado, que se realizou no final desta semana, Marques Mendes lembrou a “importância do apelo ao consenso”, afirmando que “Cavaco Silva marcou pontos”, sobretudo por considerar que, face ao atual ambiente político e com eleições legislativas à porta, nesse momento, “ganhe quem ganhar, provavelmente não vai haver maioria absoluta”, reforçando o discurso do Presidente da República que voltou a apelar ao consenso.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (CONTINUAÇÃO)


      Sobre o debate do Estado da Nação, que se realizou no Parlamento, o antigo dirigente do PSD frisou que Passo Coelho estava numa posição mais confortável face aos dados económicos recentes e que António José Seguro combate em dois campos de batalha, numa alusão à luta pela liderança interna do PS, mas também ao facto de este ter de fazer oposição parlamentar ao Governo. Todavia, caracterizou todo o debate como "pobrezinho".

      “Foi um debate sem história. Foi dos debates mais pobrezinhos que assisti no Parlamento. Se os deputados acham que é assim que se vai prestigiar o Parlamento estão enganados. Os portugueses não ligaram quase nada ao debate do Estado da Nação e não perderam nada”, atirou, acrescentando que “Seguro tem uma tarefa muito difícil. Com as primárias a decorrer ninguém sabe se deve levar a sério o que ele diz”, concluindo que “no essencial, tudo o que era importante [debater] passou ao lado do debate [natalidade, impostos, entre outros]”.

      Por fim, sobre a escolha para Comissário Europeu português, Mendes frisou a importância de consensualizar nomes entre os dois principais partidos com assento parlamentar, afirmando que Vítor Bento estaria, antes de entrar para o BES, numa ‘shorlist’ para a posição, afastando ainda a possibilidade de ser nomeada uma figura do Governo e avançando os nomes de António Barreto, Silva Peneda, Luís Amado ou Jaime Gama, como potenciais candidatos à posição.

      Sobre uma eventual crise na coligação disse Mendes que o que se passou “não foram arrufos de namorados, mas foram arrufos de parceiros de coligação”, afirmando ser da opinião “vamos ter um acordo global em setembro”, sobre se os partidos concorreram a eleições conjuntamente ou separados.

      (ENVIADO POR:PA/DI)

      Eliminar
  23. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO NOTÍCIAS AO MINUTO(3/7)]

    ??

    «Negociações Associação de investigadores criminais processa Ministério da Justiça

    A Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC) vai acionar judicialmente o Ministério da Justiça e a direção da Polícia Judiciária por causa do seu estatuto profissional, admitindo, também, recorrer à greve.

    [PAÍS Associação de investigadores criminais processa Ministério da Justiça Lusa-12:46 - 03 de Julho de 2014 | Por Lusa]

    Em comunicado, a ASFIC/PJ lembra que o Ministério da Justiça (MJ) se comprometeu até 31 de maio a concluir as negociações do estatuto e a realizar concursos de promoção, mas o que fez foi adiar a reunião agendada para 20 de maio alegando "ocorrência de situações inesperadas".

    Segundo a ASFIC, tal adiamento deve-se ao facto de o ministério ter verificado que a proposta de estatuto elaborada pela própria direção da PJ foi construída no pressuposto que a nova Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (LGTFP) "não se iria à aplicar à PJ", ao contrário do que vai acontecer na PSP, GNR e militares.

    "Ao deparar-se com a indignação da ASFIC/PJ e a sua crítica de que a proposta de estatuto da direção da PJ era tudo menos consensual e que, por isso mesmo, não podia sequer servir de base de trabalho, o MJ ficou de mãos vazias, sem saber o que fazer", conclui a ASFIC, observando que tudo continua assim na "estaca zero".

    Assim, a ASFIC anuncia que vai solicitar ainda este mês reuniões com todos os grupos parlamentares, com a Procuradora-geral da República, Provedor de Justiça e outras entidades e elaborar ações judiciais a interpor nos tribunais portugueses e instâncias europeias.

    A associação de investigadores criminais diz sentir-se "maltratada" pelo Governo e pelos partidos da maioria, em especial pelo PSD, criticando também a direção da polícia por não retirar as devidas ilações e "agir em conformidade" relativamente à forma como a PJ foi "desconsiderada" no processo legislativo da LGTFP.

    "A resposta política que temos tido por parte do MJ parece ser a de deixar a PJ arder em lume brando", diz a associação, acrescentando que "a resposta tem sido sempre um silêncio incomprensível" por parte da direção da PJ.

    Uma das ações em defesa dos direitos, a intentar contra o MJ e a direção da PJ, dará entrada em Agosto, sendo complementada com diversas ações com "visibilidade pública".

    Em setembro, a ASFIC quer desencadear um processo interno de auscultação e decisão sobre os estatutos, admitindo recorrer a ações de luta "mais gravosas", como é o caso do recurso à greve.»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  24. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(5/7)]

    ??

    «Silva Peneda "Europa regressa às origens com Juncker"

    No programa Conversas Cruzadas da Renascença, Silva Peneda defendeu este domingo que a Europa irá regressar às suas origens com a Escolha de Jean Claude Juncker para a presidência da Comissão Europeia, defendendo que a liderança do luxemburguês, associados a outros factores, o enchem de esperança.

    [Europa regressa às origens com Juncker DR14:55 - 06 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    “Há aqui coisas a ser revistas numa perspetiva política. O próprio Jean Claude Juncker disse já – e é algo que não pode ser menosprezado – que qualquer futuro programa de assistência não pode começar sem uma prévia análise das implicações económicas e sociais” nota o presidente do Conselho Económico e Social, em declarações à Rádio Renascenaça.

    Noutro ponto, defende Silva Peneda que é necessário um orçamento europeu, reclamando também mais força nas decisões europeias, de forma a que todos sintam que estas são legitimadas por alguém.

    “Eu queria um orçamento para a zona euro. É preciso criar um órgão que legitime as decisões, as reformas para a zona euro. Não sei quem legitimou o programa de que Portugal foi alvo. Não sei quem legitimou, do ponto de vista político, a intervenção. O Parlamento Europeu foi completamente colocado à margem. Os burocratas decidiram”, afirma.

    Com o fim da crise das dívidas públicas à beira do fim, Silva Peneda diz confiar em Juncker para liderar uma nova fase europeia, reclamando um papel mais ativo da UE no mundo, mas também um regresso ao espírito e valores fundadores da união económica e política.

    “Sei que vamos entrar numa fase em que a Europa não pode ficar arredada do seu papel activo no mundo, mas não pode renegar os valores na base do seu próprio projecto. Sei ser um exercício difícil de compatibilizar, mas se há alguém com experiência para o tentar fazer é Jean Claude Juncker” sustenta Silva Peneda. »

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  25. [TRAZIDO DO FB:JORNAL PÚBLICO (6/7)]

    DESPORTO/FUTEBOL:???

    «Benfica recebe Sporting na 3ª jornada da I Liga

    (EM ACTUALIZAÇÃO: PÚBLICO 06/07/2014 - 19:24)

    Primeiro "clássico" da época disputa-se logo no início do campeonato.

    O sorteio dos campeonatos da Liga deste domingo ditou um "clássico" logo na 3ª jornada entre o Benfica e o Sporting. Uma das condicionantes do sorteio era a impossibilidade de Benfica, FCPorto e Sporting não se poderem encontrar nas duas primeiras jornadas.

    A I Liga arranca a 17 de Agosto, com o Benfica a receber o Paços de Ferreira e o FC Porto a enfrentar, no Estádio do Dragão, o Marítimo. O Sporting viaja até Coimbra para defrontar a Académica.

    O segundo "clássico" da época vai ser na 6ª jornada entre o Sporting e o FC Porto. Na 13ª jornada, disputada antes do Natal, o FC Porto recebe o Benfica.

    A última jornada terá os seguintes jogos dos três grandes: FC Porto-Penafiel, Benfica-Marítimo e Rio Ave-Sporting.

    Veja aqui o calendário completo.

    Eis os jogos da 1ª jornada da I Liga:

    Académica - Sporting

    Arouca - Estoril

    Benfica - Paços de Ferreira

    Gil Vicente - Vitória Guimarães

    Rio Ave - Vitória Setúbal

    Penafiel - Belenenses

    Braga - Boavista

    FC Porto - Marítimo

    Nacional - Moreirense



    Jornada inaugural da II Liga:

    Olhanense - Leixões

    Freamunde - Atlético

    Aves - Marítimo B

    V. Guimarães B - Feirense

    Santa Clara - Oriental

    Benfica B - Trofense

    Beira-Mar - União da Madeira

    Chaves - Académico de Viseu

    Farense - Sporting B

    Tondela - Braga B

    Portimonense - Sporting Covilhã

    FC Porto B - Oliveirense

    ResponderEliminar
  26. [TRAZIDO DO SITE OFICIAL DO JORNAL DE NOTÍCIAS/JN:REGULAMENTO DO CONCURSO "REGRESSO ÀS AULAS"]

    «Regulamento

    Publicado em 2014-05-30

    1. A "Global Notícias, Publicações, S.A.", através da sua publicação Jornal de Notícias, organiza uma iniciativa denominada "REGRESSO ÀS AULAS".


    2. Esta iniciativa destina-se a todos os pais de crianças entre os 7 e os 11 anos de idade, que sejam maiores de 18 anos.

    3. A iniciativa "REGRESSO ÀS AULAS" é promovida pelo "Jornal de Notícias" e visa a atribuição de 10 vales de 500euro oferecidos pela Staples.

    4. Esta iniciativa terá a seguinte duração:

    a. Envio das candidaturas até 25 de julho de 2014;

    b. Seleção das candidaturas de 28 julho a 1 de agosto de 2014;

    c. Os 10 premiados serão divulgados dia 10 de agosto de 2014;

    d. Acompanhamento trimestral das crianças selecionadas (até ao final do ano letivo 2014/2015).

    5. A participação nesta ação pressupõe o envio do comprovativo de rendimentos da Junta de Freguesia à qual pertencem os participantes, bem como o comprovativo de rendimento escolar das crianças, devendo os filhos dos participantes frequentar o 1.º e 2.º ciclos (1.º, 2.º, 3.º, 4.º, 5.º e 6.º anos) relativo ao ano letivo 2013/2014 para a seguinte morada: Edifício Jornal de Notícias, Direção de Marketing, Rua Gonçalo Cristóvão, 195, 4049-011 Porto ou para o endereço de email mailto:marketing.jn@jn.pt, conforme indicado no anúncio da presente ação que será publicada no JN, DN, O JOGO, quer em papel quer on-line e na TSF - rádio e online.

    6. A escolha das 10 crianças premiadas será feita por um júri composto pela Staples e Jornal de Notícias, visando premiar os alunos com as melhores notas inseridos em agregados familiares que apresentem baixo rendimento económico.

    7. Os vales da Staples têm que ser utilizados numa única compra de valor igual ou superior ao valor nominal do vale (500euro). Podem ser utilizados na compra de quaisquer produtos comercializados nas lojas Staples (à exceção de cheques-brinde) e não são convertíveis em dinheiro. A ida à loja para desconto do vale será agendada pela Global Notícias e a respetiva reportagem publicad a no Jornal de Notícias ou em qualquer outra publicação da Global Notícias, Publicações S.A., quer em papel, quer online, bem como nas respetivas redes sociais.

    8. A Global Notícias, Publicações S.A. reserva-se o direito de publicar o nome, sobrenome, idade e cidade em legenda às fotografias e vídeos das crianças vencedoras para efeitos de conteúdo editorial ou promocional relacionado com a presente iniciativa, sem que por isso tenham direito a qualquer compensação.

    9. A Global Notícias, Publicações S.A. reserva-se o direito de acompanhar trimestralmente o desenvolvimento académico dos alunos selecionados, que consiste na publicação das notas trimestrais ou evolução de cada criança promovendo e encorajando o seu mérito e empenho, a título de exemplo para todas as crianças .

    10. Os pais das crianças vencedoras serão contactados pela direção de marketing do Jornal de Notícias, de forma a agendar local e hora para entrega dos vales e acompanhamento das compras efetuadas. Para o levantamento dos vales deverá ser apresentado o original do bilhete de identidade. Sem a apresentação deste não se procederá à entrega dos referidos prémios.

    11. A impossibilidade de receber os prémios dentro do prazo fixado no número anterior não confere aos vencedores o direito a qualquer compensação.

    12. No caso de os prémios não serem atribuídos a algum dos 10 vencedores, por motivo não imputável à Global Notícias, Publicações S.A., consideram-se vencedores os participantes classificados nos lugares imediatamente seguintes aos vencedores, por ordem de classificação.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
  27. [TRAZIDO DO SITE OFICIAL DO JORNAL DE TRAZIDO DO SITE OFICIAL DO JORNAL DE NOTÍCIAS/JN:REGULAMENTO DO CONCURSO "REGRESSO ÀS AULAS"] (Continuação)

    13. É vedada a participação nesta iniciativa "REGRESSO ÀS AULAS" a administradores ou trabalhadores da Global Notícias e da Staples, ou de outras entidades que com elas se encontrem em relação de grupo, bem como de administradores ou trabalhadores dos operadores que prestem serviços no âmbito da presente iniciativa. Não é ainda permitida a participação de todos aqueles que se encontrem objetivamente em condições de beneficiarem ilegitimamente de informação privilegiada e não pública, relacionada com esta ação.

    14. Os prémios correspondentes ao passatempo objeto do presente regulamento não poderão ser convertidos em outros prémios ou dinheiro. Os prémios serão atribuídos em data a combinar com os premiados até 12 de setembro de 2014.

    15. A Global Notícias, Publicações, S.A. reserva-se o direito de alterar o presente regulamento, sem necessidade de aviso prévio, passando as novas regras a vigorar logo a partir da respectiva divulgação.

    16. Quaisquer dúvidas relativamente ao passatempo e respectivas regras poderão ser esclarecidas através do telefone 222 096 289, disponível nos dias úteis das 9h às 12h e das 14h30 às 18h ou através do email mailto:marketing.jn@jn.pt

    17. A participação nesta iniciativa pressupõe o conhecimento e a aceitação sem reserva das regras estabelecidas no presente regulamento.

    Artigo Parcial»

    (ENVIADO POR: A.M)

    ResponderEliminar
  28. AGIRA TB A "RUBRICA DOS DIVERSOS" INTERESSA A ALGUÉM?!

    «Esta página Web não está disponível

    Menos
    A página Web em http://taroucando.blogspot.pt/2014/07/2-diversos-de-julho2014pergunte-informe.html poderá estar temporariamente inactiva ou poderá ter sido movida permanentemente para um novo endereço Web.
    Código de erro: ERR_INVALID_ARGUMENT»

    (ENVIADO POR:A.M)

    ResponderEliminar
  29. [TRAZIDO DO FB:JORNAL PÚBLICO (7/7):GREVE DOS MÉDICOS]

    SINDICALISMO:GREVE DOS MÉDICOS DIAS 8 E 9 DESTE MÊS!

    «Médicos mostram segundo cartão amarelo a Paulo Macedo com greve de dois dias

    [ROMANA BORJA-SANTOS 07/07/2014 - 08:31]
    Hospitais e serviços de saúde afectados na terça-feira e quarta-feira.

    Momento de contestação comparado ao do tempo de Leonor Beleza.

    O ministro da Saúde vai enfrentar nesta semana a segunda greve de médicos desde que assumiu a tutela do sector. Durante 48 horas, nesta terça-feira e quarta-feira, os clínicos dos hospitais e centros de saúde vão parar na sequência do pré-aviso lançado pela Federação Nacional dos Médicos (FNAM), que pretende obrigar Paulo Macedo e o Governo a deixarem de lado “simulacros de negociação e encenações teatrais” e a começarem uma “conversa séria” com os sindicatos. Dos problemas da classe à “destruição integral do Serviço Nacional de Saúde e da acessibilidade dos cidadãos a serviços de saúde de qualidade”, são vários os motivos que vão fazer os médicos sair à rua de bata, com o ponto alto dos protestos marcado para as 15h30 desta terça-feira frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa.

    Do lado do Ministério da Saúde, a posição é a de que "nenhum dos 22 pontos apresentados como razões para a greve é intransponível". Numa resposta escrita enviada ao PÚBLICO, o ministério garante que muitos dos problemas foram já resolvidos e manifesta-se disponível para continuar as negociações com os sindicatos "na certeza de que ainda é possível salvaguardar a normalidade da prestação de cuidados aos portugueses sem quaisquer interrupções", esperando-se que o pré-aviso de greve seja retirado.

    "O Ministério da Saúde não reconhece razões objectivas para a paralisação de dois dias", reitera a nota, que descreve a greve como "particularmente prejudicial para os cidadãos que precisam de cuidados médicos".

    De acordo com as estimativas que foram feitas por ocasião da greve de 2012, uma paragem a 100% das actividades médicas que estão foram dos serviços mínimos implicaria o adiamento de cerca de 5000 cirurgias e de 400 mil consultas. Na altura os sindicatos estimaram adesões na ordem dos 95% e a FNAM acredita que desta vez também ficará acima dos 90%.

    “Neste momento chegámos a um ponto sem retorno e iremos de radicalização em radicalização até termos os nossos direitos constitucionais e legais assegurados. O ministro teve o cinismo chocante de dizer que nunca se tinha investido tanto na saúde como nos últimos três anos e, perante isto, em termos de interlocução negocial este ministério não tem credibilidade e transformou a mentira em doutrina oficial”, contrapôs ao PÚBLICO o vice-presidente da FNAM, Mário Jorge Neves, garantindo que nada será desmarcado perante a “destruição integral” do Serviço Nacional de Saúde (SNS). “Que credibilidade mereceria o Ministério da Saúde se a escassos dias da greve viesse com alguma manifestação de boa vontade negocial? Nós acreditaríamos nesta conversão tão repentina do ministério?”, questionou.

    Para este sindicalista “esta é a situação mais grave pela qual os médicos portugueses se confrontaram”, assegurando que “nem no tempo da Leonor Beleza a gravidade das questões em cima da mesa tinham esta dimensão”. A par com Paulo Macedo, referiu, a antiga ministra da Saúde foi das que mais protestos enfrentou. Há 25 anos, Leonor Beleza assistiu a uma paralisação que contou precisamente com o apoio dos sindicatos e Ordem dos Médicos. Na altura, as questões corporativas como as carreiras médicas, as grelhas salariais e a dedicação exclusiva destes profissionais foram as que mais peso tiveram durante o primeiro mandato de Cavaco Silva. A hostilização era de tal forma que o então bastonário da Ordem dos Médicos, Machado Macedo, chegou a apelar a que nenhum médico participasse em eventos com “a persona non grata”.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. [TRAZIDO DO FB:JORNAL PÚBLICO (7/7):GREVE DOS MÉDICOS]-CONTINUAÇÃO

      SINDICALISMO:GREVE DOS MÉDICOS DIAS 8 E 9 DESTE MÊS!

      «Médicos mostram segundo cartão amarelo a Paulo Macedo com greve de dois dias
      Agora, apesar de se manterem muitos dos motivos invocados em 2012 e alguns da década de 1980, como as carreiras médicas, a grande bandeira apresentada pelos sindicatos vai para legislações que o Ministério da Saúde tem preparado sobre a reorganização dos hospitais, a passagem dos médicos para o regime de 40 horas semanais e a formação médica [ver texto que compara os dois protestos]. Questionam também o novo código de ética e conduta para as instituições de saúde, conhecido por “lei da rolha” por a versão inicial (que Paulo Macedo já prometeu que cairia) conter proibições aos comentários negativos que podem ser feitos pelos médicos, nomeadamente junto da comunicação social.



      Só que nesta semana há um nome de fora da greve: há dois anos a greve foi convocada pela FNAM e pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM), contanto com o apoio da Ordem dos Médicos e de associações de doentes e de outras áreas da sociedade; agora o SIM decidiu manter-se de fora. O secretário-geral desta estrutura explicou ao PÚBLICO que rejeitam a greve “unilateralmente declarada pela FNAM”, por ainda estar “convicto na negociação e no desenvolvimento da contratação colectiva”.

      Para Jorge Roque da Cunha, por agora, este é “o tempo do diálogo” e só se essa possibilidade se esgotar é que pensam em novas formas de luta.

      Questionado sobre o que está melhor agora em termos de negociações comparativamente com 2012, o médico apenas reiterou que acredita no diálogo.»

      (ENVIADO POR:PA/DI)

      Eliminar
  30. [TRAZIDO DO JORNAL PÚBLICO(7/7)]

    EDUCAÇÃO:QUEM VAI "MANDAR" NAS ESCOLAS PORTUGUESAS?!

    «Crato garante que municípios não vão gerir carreira ou salários de docentes no próximo ano

    [MARIA JOÃO LOPES 07/07/2014 - 15:19]

    Em causa está descentralização de competências do Ministério da Educação e Ciência para as autarquias. Uma das propostas prevê compensação monetária de municípios que consigam gerir escolas com menos docentes. Crato garante que, no seu mandato e para o ano, tal não vai avançar.

    [Nuno Crato diz que se trata de “um pré-projecto-piloto” em “fase de discussão” com “uma dezena de municípios” DANIEL ROCHA]

    O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, garantiu nesta segunda-feira que, pelo menos para o ano, não haverá qualquer transferência de competências da administração central para os municípios no que toca a salários, contratação de professores ou gestão da carreira docente. O governante foi questionado à saída de uma reunião com a Federação Nacional da Educação (FNE) sobre a proposta de descentralização de competências deste ministério para as autarquias e que inclui a possibilidade de estas serem monetariamente compensadas, caso consigam gerir as escolas com menos docentes, mas garantiu que tal não irá acontecer.

    “Eu sei o que vai acontecer no meu mandato e o que está em causa no meu mandato é, no próximo ano lectivo, haver uma transferência de competências para os municípios que não inclui a gestão dos salários e a contratação de professores. Não inclui. Continuará a ser feita pela administração central. E o que está em causa em linhas gerais é um maior envolvimento local na melhoria da educação, é só isto. Não vale a pena especularmos”, afirmou.

    Esta posição do ministro surge dias depois de reuniões com autarcas sobre a "municipalização" de escolas já em 2014-15 e de ter sido tornada pública uma proposta que previa prémios para as câmaras que trabalhassem com menos docentes nas escolas. Esta proposta de introdução do chamado “factor de eficiência” constava de documentos oficiais que o MEC e a Secretaria de Estado da Administração Local fizeram chegar às autarquias e aos quais o PÚBLICO teve acesso. Nesses documentos, reconhece-se ainda aos municípios “a competência de recrutamento de pessoal docente para projectos específicos de base local”. Isto, depois de o próprio Governo ter reconhecido, nos mesmos documentos, que a matéria relativa ao pessoal docente é a que encerra “maior complexidade, designadamente jurídica” e que, por isso, “maior ponderação e concertação deve envolver”.

    Questionado sobre se essa gestão de recursos, no que toca a professores, alguma vez passará para as câmaras, Nuno Crato disse que apenas responde pelo que se passará para o ano, no seu mandato, e que não faz “futurologia”: “Não sei o que vai acontecer no século XXII, sei o que vai acontecer para o ano.”

    O ministro adiantou que, na reunião, explicou à FNE que o projecto de transferência de competências para os municípios na área da educação é ainda “um pré-projecto-piloto”, em “fase de discussão” com “uma dezena de municípios”. “Após esta discussão serão esclarecidas quais são as formas de colaboração que existirão para essa transferência de competências para municípios. Mas não está em causa salários dos professores, contratação de professores, gestão da carreira docente, nada disso está em causa. Portanto, não há que haver qualquer preocupação no que se refere aos professores, que continuam a ser funcionários da administração central”, sublinhou. Nuno Crato acrescentou que o que se pretende “é um maior envolvimento local dos municípios” e que em discussão está “a possibilidade de incentivar uma melhor gestão dos recursos globais”. Questionado sobre o que significará na prática essa melhor gestão, o ministro disse que tal “resultará” precisamente da discussão que está a decorrer com os municípios.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (CONTINUA)

      O governante apelou ainda à “tranquilidade” em relação a este projecto de descentralização de competências. “Temos de olhar para todos estes assuntos com a maior tranquilidade. Está em cima da mesa um conjunto de ideias para uma transferência de competências para os municípios, com vista a que haja um maior envolvimento das populações locais através dos seus municípios e delas próprias na melhoria da qualidade do ensino”, declarou. Sublinhou que em cima da mesa estão para já “propostas gerais” e que “não vale a pena” especular sobre o que vai acontecer.

      CONT.

      “Estamos a conversar com os municípios e registamos o interesse da FNE em ser parceira deste acordo, ou seja, em envolver-se também nessa discussão. Mas, como dissemos à FNE, é cedo, porque estamos ainda a conversar com os municípios e conversaremos com outros parceiros a partir do momento em que estejam mais delineadas as posições que vão ser tomadas”, justificou.

      Fenprof promete “luta”

      O secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, também saiu da reunião com a equipa ministerial com a garantia de que as autarquias não poderão receber prémios por terem menos professores nas escolas: “A afirmação que foi feita muito claramente pelo senhor ministro foi a de que os professores são funcionários da administração central, continuarão a ser funcionários da administração central e que não está em causa qualquer transferência que diga respeito à gestão de professores ou a salários de professores.” Para João Dias da Silva, neste quadro, a hipótese de haver um prémio para as autarquias que consigam gerir escolas com menos docentes não se coloca: “Se aquilo que nos foi afirmado foi que não está em causa que os professores continuem a ser funcionários da administração central, que salários de professores só têm a ver com o MEC, que a gestão de recursos humanos só tem a ver com o MEC e as escolas, essa questão não se coloca.”

      (ENVIADO POR:PA/DI)

      MAIS
      Ministério da Educação propõe prémio para câmaras que trabalhem com menos docentes

      Municipalização do ensino é "um retrocesso da vida democrática"

      Ministério da Educação quer “escolas municipalizadas” em vários concelhos já no ano lectivo 2014/2015

      Eliminar
  31. INFORMAÇÃO: ESTAMOS NOVAMENTE OFF:

    URLs de referência

    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.
    Sites de referência
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.
    Pesquisar palavras-chave
    Ainda não há estatísticas. Tente mais tarde.

    MAS PRONTOSSS....

    ResponderEliminar
  32. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO DN(8/7)]

    ???

    «ALERTA
    O mar mudou, banhistas devem ter cuidados redobrados
    por Lusa, publicado por Marina Almeida

    O mar mudou, banhistas devem ter cuidados redobrados
    O presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera defendeu hoje que os frequentadores das praias devem adaptar-se às características do mar, que podem ter mudado depois das tempestades do último inverno, e ter cuidados redobrados.

    "É preciso que o comportamento das pessoas relativamente ao mar integre esta dinâmica,[e] se tivermos outros invernos agitados, têm de começar a perceber que, no verão, todas as praias são diferentes do que eram antes", disse Jorge Miranda à agência Lusa.

    O responsável alertou que "há uma diferença entre mar calmo e mar seguro" e falou sobre fenómenos de mistura de águas que não são visíveis, chamados agueiros, no entanto, "são muito perigosos".

    Por isso, é preciso "seguir as regras das autoridades que estão nas praias, e provavelmente tem de arranjar-se uma forma qualquer de aumentar o período da existência de nadadores salvadores", acrescentou.
    Para Jorge Miranda, "as pessoas têm de habituar-se a cumprir as normas, gerir a incerteza e ser capaz de viver numa situação de risco".

    Como em muitos fenómenos naturais, "a capacidade de previsão pode melhorar o nosso comportamento, a engenharia pode mitigar os efeitos, mas vai estar na responsabilidade de cada um ser capaz de viver com eles", disse o especialista em geofísica.

    As ações de regularização "são importantes, mas mais importantes são as ações de preparação, é perceber que os apoios de praia têm de estar preparados para invernos rigorosos, que as praias, às vezes, podem ser maiores [outras vezes] mais pequenas", insistiu o presidente do IPMA.
    Aliás, "muitas vezes existe a ideia de que a praia não é particularmente perigosa, contudo morrem pessoas, morre muita gente, portanto há aqui comportamentos que têm de ser alterados, a ideia de que uma pessoa que nade mediamente se pode afastar da costa e isso não tem problema porque é sempre capaz de voltar, não é verdade", alertou.

    Depois das tempestades do último inverno, que destruíram várias estruturas na costa, nomeadamente na Costa da Caparica, perto de Lisboa, foram reportadas mudanças de circulação costeira "aparentemente induzidas por mudanças da morfologia".

    A situação no inverno deveu-se à deslocação de uma massa de ar pólar para cima dos EUA, o que resultou num frio acentuado no norte da américa e fez tempestades sucessivas que vieram da costa americana até à costa europeia, atingindo o norte e centro do país.

    "As ondas eram muito grandes e, nestes casos, pode dar-se o transporte sedimentar, o fundo do mar altera-se e a areia é transportada de um lado para outro", por vezes, no próprio fundo da praia existem alterações do relevo da parte imersa e os fenómenos de rebentação, como todos os fenómenos relacionados com a dinâmica das ondas perto da praia, são alterados, explicou Jorge Miranda.

    Quanto ao futuro, "do ponto de vista do clima e da meteorologia, não temos capacidade de saber qual a probabilidade desta situação se vir a repetir", reconheceu o presidente do IPMA.»


    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  33. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF(8/7)]

    GREVE DOS MÉDICOS: A GUERRA DOS NÚMEROS!

    «Médicos/Greve: "Guerra" de números marca primeiro de dois dias de contestação

    Publicado hoje às 19:53

    A Federação Nacional dos Médicos, fala numa adesão de 90% a nível nacional, um dado que levou o gabinete do ministro Paulo Macedo, em comunicado, a falar em impossibilidade aritmética.

    Merlinde Madureira, da FNAM, fala dos números de adesão à greve
    Pedro Soares fala da adesão dos médicos da medicina no trabalho

    A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) estima que a adesão à greve dos médicos esteja hoje a rondar os 90 por cento a nível médio nacional.
    Num comunicado distribuído às redações, o Ministério da Saúde escusou-se a dar informação sobre a adesão à greve, lembrando: «os únicos dados rigorosos sobre a participação na paralisação são os que resultam do processamento salarial deste mês, pelo que se revela necessário aguardar alguns dias pelo apuramento a realizar por todos os serviços, hospitalares e outros».

    O Ministério da Saúde adianta ainda que as estimativas avançadas pela FNAM revelam «uma impossibilidade aritmética pelo simples facto de que há uma parte dos médicos, os que trabalham nos sectores privado e social, que não faz greve».

    Ouvida pela TSF no final da concentração junto ao Ministério da Saúde, Merlinde Madureira, presidente da FNAM, responde à justificação do Governo dizendo que «as greves medem-se por duas coisas: cirurgias programadas não efetuadas e consultas não realizadas. Esse número é muito muito grande».

    «O senhor ministro disse uma coisa espantosa, que foi contabilizar os médicos da privada. Nós não decretamos greve para ps medicos que não trabalham no serviço nacional de saúde. No SNS trabalham 26 mil médicos, foi para esses que decretámos a greve», adiantou.
    Ler Artigo Completo (Pág.1/2) Página seguinte

    Relacionados

    Médicos/Greve: Várias dezenas de médicos concentrados frente ao Ministério da Saúde
    Publicado hoje às 16:05
    Greve: Hospital de Santa Maria com adesão de 32 por cento
    Publicado hoje às 13:22
    Greve anula consulta que tinha sido marcada há cinco anos
    Publicado hoje às 12:34
    Greve dos médicos tem contornos políticos, diz secretário de Estado
    Publicado hoje às 10:20
    Médicos cumprem primeiro de dois dias de greve
    Publicado hoje às 08:30»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  34. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF (87)]

    FUNÇÃO PÚBLICA: ALTERAÇÕES NOS VENCIMENTOS DA FP!(tabela única e suplementos)

    «Função Pública: Governo quer apresentar até final do ano revisão das carreiras

    Publicado hoje às 16:39

    O Governo mantém o objetivo de apresentar, até final do ano, a revisão das carreiras da Função Pública.

    (Jornalista Judith Menezes e Sousa explica-nos o que está em causa=

    Esta manhã, na Assembelia da República, o Executivo escutou críticas da oposição. Quanto à reposição dos cortes salariais entre 3,5 e 10% nos salários dos trabalhadores do Estado.

    O secretário de Estado da Administração Pública voltou a garantir que a integração dos funcionários públicos na tabela salarial única não implica novos cortes.

    O Governo prometeu ainda critérios de aproximação entre público e privado.»

    (ENVIADO POR:A:M.)

    ResponderEliminar
  35. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF(8/7)]

    UE: QUEM VAI SER O COMISSÁRIO EUROPEU PORTUGUÊS?!(...)

    «Passos recebe Seguro na quarta-feira para abordar escolha de comissário europeu

    Publicado hoje às 20:23

    A iniciativa da reunião partiu do partiu do chefe do executivo PSD/CDS-PP depois do líder do PS ter dito que não abdicava de discutir com o Governo a escolha do próximo comissário europeu indicado por Portugal.

    O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, vai receber o secretário-geral do PS, António José Seguro, na quarta-feira de manhã, na residência oficial de São Bento, para abordar a escolha do comissário europeu a indicar pelo Governo português.

    De acordo com fonte do gabinete do primeiro-ministro, a reunião está marcada para as 9:30. Em resposta à agência Lusa, a mesma fonte adiantou que a iniciativa desta audiência partiu do chefe do executivo PSD/CDS-PP.

    No dia 20 de junho, durante um debate parlamentar preparatório da reunião do Conselho Europeu, António José Seguro disse que o PS não abdicava de discutir com o Governo a escolha do próximo comissário europeu indicado por Portugal, invocando a esse propósito a vitória nas eleições europeias de 25 de maio.

    No mesmo debate, Pedro Passos Coelho afirmou: «Não deixarei de conversar com PS sobre a escolha que deve ser feita para o lugar de comissário ou comissária de Portugal na Comissão Europeia, sendo certo que esse procedimento sempre teve lugar no passado».

    O último encontro entre o primeiro-ministro e o secretário-geral do PS divulgado publicamente realizou-se a 17 de março, na residência oficial do primeiro-ministro em São Bento, Lisboa.

    Na altura, após três horas de reunião, o secretário-geral do PS declarou aos jornalistas que havia uma «divergência insanável» entre o seu partido e o Governo quanto à estratégia orçamental e considerou que o executivo PSD/CDS-PP tinha a obrigação de criar condições para que Portugal voltasse aos mercados «sem necessidade de qualquer apoio».
    Artigo Parcial

    Relacionados

    PS «não abdica» de discutir com Governo próximo comissário europeu
    Publicado a 20 JUN 14 às 15:33

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  36. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF (9/7)]

    DISPUTA DA LIDERANÇA DO PS: CANDIDATOS ENTERRARAM OS MACHADOS DE GUERRA?!(parece que sim...)

    «PS: Comissão eleitoral agrada a Costa e Seguro
    Publicado hoje às 00:13

    A comissão eleitoral das primárias para a escolha do candidato socialista a primeiro-ministro foi aprovada esta terça-feira sem votos contra.

    (Reportagem de João Alexandre com reações de António José Seguro e António Costa à eleição da comissão eleitoral)

    A proposta de comissão eleitoral das primárias de 28 de setembro foi apresentada pelo secretário-geral, António José Seguro, e obteve 61 votos a favor e três abstenções.

    Presidida por Jorge Coelho, a comissão eleitoral integra ainda com direito a voto o ex-juiz do Tribunal Constitucional Armindo Ribeiro Mendes e a ex-deputada socialista Maria Carrilho.

    Cada uma das candidaturas na corrida às primárias indicará um representante para a comissão eleitoral, embora sem direito a voto.

    O dirigente socialista António Costa afirmou que a Comissão Política do PS tomou «finalmente uma boa decisão» sobre a comissão eleitoral das primárias e apelou à participação de simpatizantes e militantes neste processo.

    De acordo com António Costa, a comissão eleitoral das primárias «dá todas as garantias de que o processo decorrerá bem». «A partir de agora, o que é importante é o apelo para que todos se inscrevam a partir de 15 de julho para participarem no processo das eleições primárias. Este não é um processo interno do PS, mas uma questão nacional sobre quem deve liderar o processo de mudança no país», sustentou o autarca de Lisboa.
    Também o secretário-geral do PS manifestou-se muito satisfeito por a Comissão Política do seu partido ter aprovado apenas com três abstenções a comissão eleitoral das primárias.

    «O que me parece importante salientar é que nas questões fundamentais houve um grande consenso nesta Comissão Política, na marcação das primárias, na elaboração do regulamento e, sobretudo, na eleição desta comissão eleitoral. Como líder do PS, isso é o que me deixa mais satisfeito», declarou o líder socialista.

    Segundo o secretário-geral do PS, com o processo de eleições primárias a 28 de setembro, o seu partido «está a contribuir para a abertura à participação dos eleitores socialistas na escolha do candidato a primeiro-ministro». Artigo Parcial

    (ENVIADO POR: A. MONTEIRO)

    ResponderEliminar
  37. [TRAZIDO FO FB:CONTA DO CORREIO DA MANHÃ]

    ???

    «Ministério Público faz alerta Burlas na Internet com casas de férias

    DCIAP identificou vários casos de burlas com casas para férias, de norte a sul do País. Hoje, 13h10Nº de votos (0) Comentários (0) Por:Diana Ramos/João Mira Godinho O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) alertou ontem para a existência de burlas na Internet com arrendamentos de casas para férias, em que os clientes pagam o sinal e quando chegam ao local o imóvel não existe. Segundo este departamento do Ministério Público, que investiga a criminalidade organizada e complexa, já foram "identificados, por todo o País, vários casos", pelo que é aconselhada prudência. Ainda segundo o DCIAP, dirigido por Amadeu Guerra, em algumas situações as casas supostamente arrendadas pertenciam, afinal, a pessoas que desconheciam a situação. "É uma situação que é recorrente todos os verões, com as pessoas a procurarem preços mais baratos e a serem enganadas", assume Elidérico Viegas, presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, aconselhando as pessoas a "verificarem se a casa existe, está classificada ou registada na câmara antes de darem qualquer verba".

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/burlas-na-internet-com-casas-de-ferias»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  38. MOVIMENTO DE INTERVENÇÃO CÍVICA DE TAROUCA/MOVIMENTO LILÁS, INFORMA:

    «Paulo Morais, vice-presidente da TIAC dinamiza uma sessão pública em Lamego, no próximo dia 11 de julho, às 21h15, com o título “A Corrupção como Obstáculo ao Desenvolvimento”.

    O evento tem lugar no Salão de Festas da Obra Kolping, na Quinta da Cruz Alta, e é uma iniciativa conjunta da TIAC e de um grupo de cidadãos de Lamego.

    A entrada é livre


    «Uma leitura conjunta dos índices de desenvolvimento e dos indicadores de transparência a nível global mostra uma relação clara entre altos índices de corrupção e baixos níveis de desenvolvimento. Muito simplesmente, não há países desenvolvidos que sejam corruptos, nem países corruptos que sejam desenvolvidos. Portugal é um bom exemplo disto: olhando para a evolução do nosso país nos índices da Transparency International vemos como o avanço da corrupção nos últimos anos coincidiu com o agudizar da crise económica e social. Não podemos ter esperança de sair desta crise enquanto não vencermos este cancro da corrupção. É disto que vamos conversar no dia 11, em Lamego»

    Paulo Morais, vice-presidente da TIAC»

    (IN SITE DO TIAC)

    ENVIADO POR:MOVIMENTO LILÁS

    ResponderEliminar
  39. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS (9/7)]

    [COISAS DO PARLAMENTO EUROPEU: "NAMORO TELEFÓNICO", DURANTE O DEBATE, DO Sr PRESIDENTE IRRITOU O EURODEPUTADO PORTUGUÊS DA CDU?! AO LER "ISTO" FICA-SE COM ESSA IDEIA OU...TAKVEZ NÃO!]

    «Eurodeputado do PCP debate-se com Juncker por Lusa Ontem 12 comentários] Jean-Claude Juncker e o eurodeputado comunista João Ferreira travaram-se esta quarta-feira de razões num debate no Parlamento Europeu, com Juncker a afirmar que não precisa que lhe expliquem a realidade de Portugal. A troca de razões deu-se no quadro da ronda de discussões realizadas entre terça e quarta-feira com os diferentes grupos políticos da assembleia europeia, antes da votação para a presidência do executivo comunitário, agendada para o hemiciclo de Estrasburgo a 15 de julho. Juncker ouviu muitas críticas no debate com o Grupo da Esquerda Unitária Europeia, família que integra as delegações do PCP e Bloco de Esquerda, e que lhe declarou abertamente a oposição à sua designação para a presidência da Comissão. Insurgindo-se contra críticas e refutando o "rótulo" neo-liberal e capitalista, Juncker mostrou-se irritado durante a intervenção de João Ferreira, eurodeputado português, quando este pausou para que o candidato do Partido Popular Europeu desligasse o telemóvel. Depois de criticar o papel desempenhado em Portugal pela "troika", "que o senhor (Juncker) apoiou", e "chamar-lhe a atenção para a realidade" do país, referindo-se ao estado da economia e à escalada da dívida, João Ferreira fez uma pausa entre duas questões ao político luxemburguês, ao ver que este estava sem os auscultadores e manuseava o telemóvel. "Vou fazer uma pausa para que possa desligar o telemóvel", disse o deputado, retorquindo Juncker que respondia a uma mensagem da sua mulher. "Eu sei fazer duas coisas em simultâneo: escutá-lo e escrever «tudo está bem»", disse o político luxemburguês. "E percebe português também? Aguardava que colocasse os auscultadores", insistiu João Ferreira, ao que Juncker respondeu que cresceu rodeado de portugueses. "Cresci na parte industrial do Luxemburgo e os meus vizinhos são portugueses. Sei muitas coisas de Portugal, por isso pode ser mais breve, porque eu conheço" a realidade do país, disse, visivelmente agastado, acrescentando depois, já na fase de respostas aos deputados, que, enquanto presidente do Eurogrupo - na altura em que Portugal pediu assistência financeira - lutou mesmo contra a redução do salário mínimo em Portugal. "Interessei-me de muito perto e numa base diária pela situação na Grécia e em Portugal. Tenho muitos amigos nesses países, e, durante o período em que fui presidente do Eurogrupo, telefonei várias vezes por dia a testemunhas de rua para sentir a «temperatura» desses países, e sei bem as derrapagens que houve, os erros de percurso acumulados", diz o candidato a presidente da Comissão Europeia. "Não fui eu que obriguei na Grécia e Portugal a baixar o salário mínimo nacional, bem pelo contrário. No Eurogrupo lutei contra essa redução, e fiquei muito surpreso por ver que outros países ditos pobres e que o são foram aqueles que exigiram que tal política fosse aplicada", disse. "Por quem me julgam e por quem se julgam? Acham que sou um filho de um milionário, que nunca trabalhou, que nasci num berço de ouro? Não é o caso", disse, manifestando-se agastado por ser classificado como um "capitalista mau". Questionado por João Ferreira e pela eurodeputada Marisa Matias, do bloco de esquerda, sobre a possibilidade da renegociação da dívida pública, Juncker não abordou a questão, queixando-se de falta de tempo. Artigo Parcial»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  40. INFORMAÇÃO/ATENÇÃO: SONDAGEM SOBRE AS LEGISLATIVAS(2015)

    HOJE SAIU UM SONDAGEM DIVULGADA PELA SIC E PELO EXPRESSO.

    AGORA, ANDO À PROCURA DESSA SONDAGEM (a mais recente) MAS SÓ ME APARECEM OUTRAS SONDAGENS: BLOGUISTA TEM QUE TER MUITO CUIDADO NA RECOLHA DE INFORMAÇÃO!AH! POIS...

    A MODERADORA PRINCIPAL DO TAROUCANdo

    NB;SEGUEM-SE ALGUMAS SONDAGENS ENCONTRADAS PELAS NETES (ATENÇÃO ÀS DATAS)

    ResponderEliminar
  41. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO CORREIO DA MANHÃ (?/?)]

    SONDAGEM:COMO VOTARIA SE AS LEGISLATIVAS FOSSEM HOJE?!(...)

    «Sondagem CM/Aximage

    - PS com 31%, PSD 27,2% e CDS 8,3% PSD e CDS juntos ultrapassam socialistas

    Sondagem CM/Aximage indica que PSD e CDS obtêm 35,5%, superando em 4,5 pontos percentuais o resultado do PS (31%).

    [Hoje, 18h00 Por:José Rodrigues]

    A disputa pela liderança entre António José Seguro e António Costa, desencadeada devido à magra vitória nas eleições europeias de maio, está a prejudicar fortemente o PS na intenção de voto dos portugueses e a favorecer o PSD, pese embora as duras medidas de austeridade impostas pelo Governo.

    De facto, segundo uma sondagem Correio da Manhã/Aximage, realizada nos dias 4 a 7 deste mês, o PS obtém 31% das intenções de voto, contra 27,2 % no PSD. A diferença entre os dois partidos está agora em 3,8 pontos percentuais, quando em junho era de 7,1 pontos percentuais a favor dos socialistas.

    Segundo a sondagem, o PSD, em queda desde março deste ano, inverteu em julho a tendência e subiu 2,3 pontos percentuais, passando de 24,9% para 27,2%.

    Também o CDS subiu, mas mais ligeiramente, de 7,8% para 8,3 % (mais 0,5 pontos percentuais).

    Se estes dois partidos concorrerem coligados, como parece ser a intenção dos seus líderes, podem vencer as eleições legislativas no próximo ano. De facto, somadas as intenções de voto em julho, obtêm 35,5%, superando em 4,5 pontos percentuais o resultado do PS (31%).

    Na sondagem de junho, o PSD e o CDS juntos obtinham 32,7%, contra 32% do PS, ou seja, um empate técnico em termos estatísticos.

    A CDU, que teve um resultado muito positivo nas europeias de maio, surpreende nesta sondagem pela negativa, acompanhando o PS na queda, sendo que passa de 13% nas intenções de voto em junho para 10,7% em julho (menos 2,3 pontos percentuais).

    Já o BE consegue inverter a tendência de queda, passando de 6% para 6,9%.

    (FIM)


    FICHA TÉCNICA Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel. Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 593 entrevistas efectivas: 257 a homens e 336 a mulheres. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral. Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 4 a 7 de Julho de 2014, com uma taxa de resposta de 78,8%. Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 593 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma “margem de erro” - a 95% - de 4,00%). Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/psd-e-cds-juntos-ultrapassam-socialistas

    (ENVIADO PR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  42. CONTINUAMOS SEM ENCONTRAR A ÚLTIMA SONDAGEM PUBLICADA, HOJE, PELA SIC!:(

    ResponderEliminar
  43. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO CM (10/7]]

    POLITICA NACIONAL: CDS ASSINALA OS 40 ANOS DA SUA EXISTÊNCIA!(com festa e reiteira promessas feitas)

    «Política Portas reitera defesa de "IRS mais amigo da família"

    Líder do CDS-PP discursou no jantar que marcou o arranque das comemorações dos 40 anos do partido.

    [Hoje, 07h56)

    O líder do CDS-PP e vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, reiterou esta quinta-feira a necessidade de um "IRS mais amigo da família" e das "famílias com filhos".

    Portas falou também do que considera serem os "sinais de recuperação económica" em Portugal. "Aguardamos com responsabilidade os trabalhos da comissão de reforma do IRS", declarou Paulo Portas, no jantar que marcou o arranque das comemorações dos 40 anos do CDS-PP, na Lx Factory, em Lisboa.

    Portas disse que, apesar de não haver "varinhas mágicas" para o "inverno demográfico" que atingiu a Europa e, em particular, Portugal, tem que se começar "por algum lado" e sublinhou a possibilidade de começar pelo "lado fiscal".

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/portas-reitera-defesa-de-irs-mais-amigo-da-familia

    (ENVIADO POR:A.M)

    NB:PRA ASSINALAR OS 40 ANOS DO PARTIDO, FOI LANÇADO UM LIVRO ONDE TODOS OS EX-LÍDERES CONTRIBUIRAM COM UM TEXTO A FIM DE MOSTRAR QUE O CDS/PP TEM SIDO UM PARTIDO "DINÂMICO" AO LONGO DOS TEMPOS!

    ResponderEliminar
  44. (contém as médias de todos os exames realizados em 2012)

    RESULTADOS DOS EXAMES DO ENSINO SECUNDÁRIO/2012: NO ANO PASSADO O JN ESCREVIA ASSIM:

    « Razia nas notas dos exames do Secundário
    Publicado em 2012-07-09

    LEONOR PAIVA WATSON


    Razia nas notas dos exames do Secundário
    As médias totais dos exames finais de Português, e Matemática, do 12º ano, são negativas

    As médias totais dos exames finais de Português, e Matemática, do 12.º ano, são negativas. Às mesmas disciplinas escaparam os alunos do Básico, com uma média positiva, mas que não passa do suficiente.

    A média total do exame final de Português do 120 ano ficou-se pelos 9,5 valores, tendo subido relativamente ao ano passado (8,9). Baixam esta média os alunos externos, isto é, aqueles que, por exemplo, anularam a disciplina e só foram a exame. Se contabilizássemos apenas os alunos internos (aqueles que levaram a disciplina até ao fim do ano), a média seria positiva, com 10,4 valores.

    O mesmo se verifica com Matemática do 120 ano. A média total é de 8,7 valores, tendo baixado relativamente ao ano passado (9,2). Também aqui os alunos externos baixaram a média nacional e de uma forma significativa. Se contássemos apenas os alunos internos, a média seria 10,4 valores.

    Ainda no Secundário destacam-se Biologia e Geologia; Física e Química A, e Filosofia. Todos com médias totais negativas. A média de Biologia e Geologia desceu de 10,7 no ano passado para 9,3 este ano; e a de Física e Química A desceu de 9,9 para 7,5 valores. A média total de Filosofia, um exame que não se realizava desde 2007, ficou-se pelos 7,8 valores.

    Outras disciplinas foram sujeitas a exame final (num total de 25) e aquelas com média nacional positiva oscilaram, na sua maioria, entre os 10 e os 12 valores. Nesta primeira fase, informou o Ministério de Educação e Ciência, houve 362.414 inscrições, tendo sido realizadas 324.048 provas, o que corresponde a cerca de 90% das inscrições. Recorde-se que pela primeira vez, a primeira fase dos exames nacionais foi obrigatória.

    Básico consegue positiva

    Os alunos do Ensino Básico registaram melhores médias nacionais. A média total do exame final de Língua Portuguesa e de Matemática do 9.º ano foi, em ambas, de 53%.

    Destaca-se uma subida percentual de 10 pontos em relação ao ano passado, no caso da disciplina de Matemática.

    E mais uma vez os alunos externos baixaram a média dos exames nacionais. Neste caso, e em ambas as disciplinas, se contássemos apenas os alunos internos, teríamos uma média de 54%. No 9.º ano o número de provas realizadas foi de 92.976 a Língua Portuguesa, e 93.599 na disciplina de Matemática.

    Nos exames finais do 6.º ano, realizados pela primeira vez , a média total em Língua Portuguesa foi de 59% e em Matemática foi de 54%. Realizaram as Provas Finais de Língua Portuguesa e de Matemática, do 6.º ano , 111.767 e 112.631 alunos, respetivamente.

    Artigo Parcial»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ATENÇÃO/MUITA ATENÇÃO:

      -NESTE TEXTO ESTÃO OS RESULTADOS DOS EXAMES RELATIVOS A 2012!

      Eliminar
  45. EXAMES/2014:MÉDIAS DOS EXAMES DO ENSINO SECUNDÁRIO (IN JN)

    «Médias dos exames do secundário negativas a História e a Matemática
    Publicado ontem

    Médias dos exames do secundário negativas a História e a Matemática
    Os exames finais nacionais do ensino secundário foram realizados em 644 escolas

    As médias dos exames nacionais do ensino secundário na 1.ª fase foram negativas a História A, com 9,2, e a Matemática A, com 7,8, e ambas desceram em relação ao ano letivo anterior.

    Segundo os dados divulgados pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), as reprovações aumentaram tanto a História A, representando 15% do total dos exames, quando tinham sido 11%, em 2013, e a Matemática A foram 22%, quando no ano passado se situaram em 20%.

    A nota média de História A desceu ligeiramente este ano (tinha sido 9,9 em 2013), e a de Matemática A também (8,2 em 2013).

    Os exames finais nacionais do ensino secundário foram realizados em 644 escolas em Portugal Continental e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, assim como nas escolas no estrangeiro, com currículo português.

    Das 350.543 inscrições registadas, foram realizadas 321.955 provas por alunos internos e externos, o que corresponde a cerca de 92% do total.

    Na avaliação dos resultados, o MEC aponta que as classificações da 1.ª fase dos exames finais nacionais "evidenciam, na generalidade, uma melhoria relativamente aos anos anteriores".

    Globalmente, ainda segundo o MEC, registou-se um aumento da classificação média em treze disciplinas e uma redução nas restantes, com subidas das notas médias a Biologia e Geologia, com 10,7 (8,1 em 2013), e uma descida significativa nas reprovações nos exames, de 16% no ano passado, para 8% este ano.

    Também na disciplina de Português se verificou uma subida da nota média, com 10,7 (8,9 em 2013) e uma descida igualmente significativa das reprovações no exame, de 10% no ano passado, para 5% este ano.

    A Física e Química A, embora a média tenha subido - de 7,8 em 2013, para 8,8 este ano -, continua negativa, e as reprovações desceram de 24% para 19%, mantendo-se uma das disciplinas com mais "chumbos", tal como a Matemática.

    Em Geometria Descritiva A, a média foi negativa (9,9), registando uma ligeira descida em relação ao ano passado, que tinha sido positiva (10,2), e as reprovações subiram de 13% para 14%.

    Nas línguas estrangeiras, a média mais elevada foi para o Inglês (12,7), seguindo-se o Espanhol (12,1), o Francês (11.9) e o Alemão (11,4).

    Entre as 23 disciplinas sujeitas a exame nacional, a que registou um maior número de provas realizadas foi a de Português, com 70.953 provas, logo seguida pela de Biologia e Geologia, com 51.953 provas, e a de Física e Química A, com 50.863 provas.

    Estas notas dos exames nacionais do ensino secundário referem-se às médias totais, que incluem as notas dos alunos internos e externos.

    Os valores médios totais das notas apresentam, na generalidade, valores ligeiramente mais baixos do que as notas médias dos alunos internos, nas diferentes disciplinas, exceto a Alemão, em que o valor médio total é 11,4, enquanto o valor médio dos alunos internos é 11,3.

    Artigo Parcial

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  46. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(11/7)]

    SONDAGEM/LEGISLATIVAS:COMO PENSA VOTAR EM 2015?!

    «Sondagem PS volta a 'cair' e tem PSD (a crescer) cada vez mais colado
    O Partido Socialista liderado por António José Seguro registou nova queda nas intenções de voto dos portugueses e já tem o PSD de Passos Coelho no seu encalço a cinco pontos percentuais, revela uma sondagem realizada para o Expresso e a SIC pela Eurosondagem, relativamente aos últimos três meses.

    (POLÍTICA PS volta a 'cair' e tem PSD (a crescer) cada vez mais colado DR 21:02 - 11 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto)

    António José Seguro tem cada vez menos razões para sorrir. Se não é a crise interna, despoletada por António Costa, são as sondagens. Nas intenções de voto dos portugueses o Partido Socialista, que lidera, voltou a registar uma queda, desta feita de meio ponto percentual. Algo que parece penalizar o clima de crispação dentro do partido rosa, mas também um relativo bom desempenho do Governo nos últimos meses.

    Assim, o partido do Largo do Rato recolhe agora a preferência de 32,5% dos cidadãos, menos meio ponto percentual do que há 90 dias, tendo no seu encalço um PSD, que registou neste âmbito uma subida de 1,4%, alcançando um resultado de 27,5%. Com este score o partido de Pedro Passos Coelho fica a apenas cinco pontos percentuais de distância de nova vitória nas legislativas.

    Se se contabilizar o resultado alcançado pelo CDS de Portas, partido que forma a coligação de Governo, que capta 6,6% da preferência dos portugueses (descida de 0,3%), os socialistas que terão de decidir se apresentarão Costa ou Seguro a eleições têm ainda menos razões para se alegrarem. Isto porque, somados os resultados da coligação governativa, o resultado de PSD e CDS já permite ultrapassar o PS.

    Quanto aos restantes partidos, apenas o Bloco de Esquerda, de Catarina Martins e João Semedo, poderão cantar vitória, apesar de modesta. Segundo demonstram os dados da Eurosondagem, subiram apenas 0,1 pontos, situando-se agora nos 4,9%.

    Quanto ao PCP de Jerónimo, de referenciar que é o terceiro partido ‘mais votado’ entre os auscultados, registando um resultado de 11,1%.

    Quanto ao MPT - Partido da Terra consegue já um resultado de 4%, apesar de uma pequena descida de 0,6 pontos, fechando depois o Livre, de Rui Tavares, recebe apenas 2% da preferência dos inquiridos.

    #

    Leia também:
    Sondagem que dá 'queda' ao PS aponta Costa como melhor líder
    PUB»

    (ENVIADO POR: A.M.)

    ResponderEliminar
  47. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO]

    SONDAGENS ANTÓNIO COSTA VS ANTÓNIO SEGURO

    «Marcos Perestrello Sondagem que dá 'queda' ao PS aponta Costa como melhor líder

    O deputado e dirigente socialista Marcos Perestrello, apoiante de António Costa, destacou hoje que a sondagem que aponta para uma descida do PS também indica que o presidente da câmara de Lisboa será o melhor líder do partido.

    (POLÍTICA Sondagem que dá 'queda' ao PS aponta Costa como melhor líder Lusa-13:58 - 07 de Junho de 2014 | Por Lusa)

    "O mesmo universo considera de forma esmagadora que António Costa será melhor líder do PS", afirma Marcos Perestrello, num comentário enviado à Lusa a propósito da sondagem hoje divulgada pelo semanário Expresso e da acusação de membros da direcção do PS a António Costa por ser responsável pela descida do partido nas sondagens.

    PUB

    De acordo com os dados da sondagem da Eurosondagem para o Expresso e para a SIC relativos ao mês de junho, o PS tem uma queda de cinco pontos percentuais em relação à última sondagem do semanário, dos 38% para os 33% nas intenções de voto dos portugueses.

    A mesma sondagem indica que 56,2% dos inquiridos acham que o próximo líder do PS e candidato a primeiro-ministro deve ser António Costa, contra 36% que indicaram o nome de António José Seguro.

    Já esta manhã, o secretário-geral do PS reagiu com indignação às sondagens do Expresso e do jornal i que dão "uma queda brutal" ao partido, dizendo num 'post' publicado na rede social Facebook que "este é o resultado da irresponsabilidade do António Costa".

    No comentário enviado à Lusa, Marcos Perestrello recorda que há 15 dias houve eleições para o Parlamento Europeu e que o PS obteve 31% dos votos, "menos do que o resultado" da sondagem do Expresso.

    "Curiosamente ainda, nesta mesma sondagem, com os mesmos portugueses a responderem, 60% das pessoas dizem que o PS sairá mais forte deste processo de escolha do líder e candidato a primeiro-ministro", acrescenta o deputado e dirigente, sublinhando que os eleitores "sabem bem o que está em causa, a escolha de uma liderança forte para o PS".

    António Costa anunciou dois dias depois das eleições europeias que queria disputar a liderança do PS e, na sexta-feira, apresentou no Porto as linhas programáticas de uma candidatura às primárias do partido, marcadas entretanto para 28 de setembro, e a secretário-geral.

    [notícia corrigida pela Lusa às 14h48]»

    (POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  48. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(12/7)]

    POLITICA NACIONAL: E ERA UMA VEZ UM "BE"?!(às tantas...)

    «Corrente criada por Miguel Portas desvincula-se do Bloco de Esquerda

    [LEONETE BOTELHO e RITA BRANDÃO GUERRA 12/07/2014 - 19:01 (actualizado às 19:20)]

    Fórum Manifesto quer trabalhar para "influenciar a governação do país" e diz que o BE está hoje "fechado sobre si próprio". Ana Drago poderá estar de saída do partido.

    A corrente do Bloco de Esquerda Fórum Manifesto, fundada por Miguel Portas e originalmente designada Política XXI, decidiu este sábado desvincular-se do partido e trabalhar desde já para as próximas legislativas no sentido de “contribuir para a formação de convergências fortes e credíveis à esquerda do PS, com claros objectivos de influenciar a governação do país”.

    Ana Drago, o rosto mais conhecido do Fórum Manifesto e que já se tinha demitido da comissão política, está a preparar a sua saída do partido, avançaram ao PÚBLICO duas fontes da actual direcção. Os outros dirigentes historicamente ligados a esta corrente – Marisa Matias, José Manuel Pureza e José Gusmão – deverão permanecer no BE, pois já anteriormente tinham aderido à tendência Socialismo, criada recentemente pelos coordenadores Catarina Martins e João Semedo com o objectivo de chegar à Convenção de Novembro com uma só moção.

    A decisão da Fórum Manifesto foi tomada em assembleia geral realizada este sábado à tarde em Lisboa e é justificada sobretudo por aquilo que é considerado o afastamento do BE da sua matriz e do seu eleitorado. "As derrotas consecutivas que o Bloco de Esquerda acumulou nos últimos anos, e que o conduziram à magra expressão eleitoral obtida nas últimas eleições europeias, não são um reflexo de factores externos", mas resultado "da acumulação de erros não corrigidos, inscritos numa orientação política que divorciou crescentemente o BE do seu potencial eleitorado", lê-se na resolução política agora aprovada.

    E explica-se porquê: “Perante a opinião pública, o Bloco vincou, ao longo dos últimos anos, a imagem de um partido cada vez mais virado sobre si próprio, indisponível para o diálogo e para a convergência com outras forças políticas à esquerda; centrado no protesto, e por isso indisponível para estabelecer compromissos efectivos de governação; revelando uma insuficiente, inconsistente e até, por vezes, contraditória construção programática”.

    Depois de lembrar que, na sua génese, o BE tinha “como compromisso matricial, o papel da construção de pontes e do fomento do diálogo entre as esquerdas”, a Manifesto entende que esse compromisso não foi cumprido, mas ainda pode ser. Para tal, vai promover, ao longo dos próximos meses, iniciativas concretas para a “formação de convergências forte e credíveis À esquerda do PS”, tendo como horizonte imediato as próximas eleições legislativas, previstas para 2015.

    O PÚBLICO está a tentar falar com Ana Drago, mas até ao momento não foi possível. Já João Semedo foi peremptório: “Não vou reagir, não tenho nenhum comentário a fazer”.

    Entretanto, o BE divulgou uma nota de imprensa em que afirma que "anteriores posições de alguns membros do Fórum Manifesto já anunciavam a decisão hoje tomada". E acrescenta: "O Bloco continuará empenhado em juntar forças, convicto que o impulso para dividir não reforça a esquerda".»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  49. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(12/7)]

    POLITICA NACIONAL: UM BREVE RESUMO DO COMENTÁRIO DO Dr MARQUES MENDES!

    «Marques Mendes "Quem vai perder são os portugueses e a economia"
    No seu espaço de comentário semanal na SIC, o antigo líder dos sociais-democratas, Marques Mendes dividiu a situação polémica do BES em três momentos, garantindo que é necessário “dar explicações sérias e úteis aos portugueses”, pois apesar de ser uma empresa privada, tornou-se agora num assunto público. Explicando ainda que os portugueses vão ser novamente os mais afetados. O antigo líder do PS falou ainda sobre a renegociação da dívida portuguesa e a fiscalidade verde.

    [ECONOMIA Quem vai perder são os portugueses e a economia DR
    21:42 - 12 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    “Correu tudo mal. A contaminação é a mais grave, a da nossa bolsa, a de várias bolsas europeias além de que os juros da dívida também contaminados subiram. Considerando ainda que a imagem de Portugal voltou a estar na capa dos jornais internacionais, pelas piores razões”, disse Marques Mendes sobre a situação do BES, no seu espaço de comentário semanal na SIC.

    O antigo líder do PS diz que é altura de explicar aos portugueses o que se passa pois, “as pessoas estão assustadas, preocupadas, revoltadas e não sabem o que pensar. Temos que dar explicações sérias e úteis. É um assunto público, apesar de ser uma empresa privada”.

    Em três momentos, o antigo líder dos sociais-democratas explicou o que o que realmente se passou com o BES. “Sabemos que em negócios ganha-se e perde-se dinheiro. Mas a dívida chega a aos cinco ou seis milhões de euros. Quem vai perder são os portugueses e a economia. Mas quem é o culpado?", questiona-se.

    Num segundo momento, faz referência ao empréstimo de 900 milhões de euros da Portugal Telecom ao Grupo Espírito Santo, a holding que ultrapassa grandes dificuldades. “Temos que pensar nas famílias que meteram lá dinheiro, as poupanças de muitos anos. Eles acreditaram, investiram e perderam. Porque a PT resolveu emprestar 900 milhões de euros ao GES. Correndo o risco de não ver mais esse dinheiro ou pelo menos não o ver na totalidade. Quem perde são as pessoas. A culpa morre solteira?”, pergunta.

    Num último momento, Marques Mendes garante que o problema passa também pela falta de administração no BES. Isto porque “há três semanas que na prática, o BES não tem administração. Deixemo-nos de formalidades. Tem que haver normalidade para que acabe a incerteza. O banco é sólido, não há perigo nenhum para as pessoas”.

    Relativamente à renegociação da dívida portuguesa, proposta por Francisco Louça juntamente com mais três economistas, Marques Mendes explica que este “veio propor uma alteração de prazos e juros unilateralmente e as consequências são: os bancos perdem a pique, entram em falência e teriam que ser nacionalizados, como BPN. Depois os depositantes levavam um corte e eram-lhes atribuídas ações, tiravam dinheiro e davam ações, ou seja, as pessoas queriam ir ao talho e pagavam com ações. Isto representa um desastre! A renegociação da dívida com esta proposta é um desastre. Não me surpreende”.

    Ainda sobre a fiscalidade verde, o antigo líder do PS garante que as medidas apresentadas são corretas, sensatas e modernas, mas este não é o momento certo. “Propuseram um aumento de impostos, mas onde está a redução? Portugal ainda está a recuperar economicamente. Este é um caminho virtuoso, mas tem que se escolher a oportunidade. É um bom contributo”.»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  50. CURIOSIDADE: URLs de referência

    Entrada Visualizações de páginas
    https://www.google.pt/
    3
    http://searches.globososo.com/search/web?fcoid=417&q=m%C3%A9dia%20dos%20exames%202014
    1
    http://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=0CCMQFjAG&url=http%3A%2F%2Ftaroucando.blogspot.com%2F&ei=JqrCU7zKMuDArwKuGA&usg=AFQjCNH1lnkUkzq4KhtjCOBlXHqDAOr3qg
    1
    (continua)

    ResponderEliminar
  51. [TRAZIDO DO SITE DO "OBSERVADOR (12/7)]

    EDUCAÇÃO:INDISCIPLINA VS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA!(e etc)

    «NUNO CRATO: Ser professor “é uma profissão desgastante e difícil”

    O ministro da Educação admite que a indisciplina é uma das razões que leva os professores a rescindirem os contratos, mas diz que o "caminho fundamental" não é reduzir as turmas mas disciplinar mais.

    Nuno Crato nega que o aumento de 28 para 30 alunos por turma seja significativo no problema da indisciplina

    (Autor Sara Otto Coelho)

    O ministro da Educação Nuno Crato disse não ter ficado surpreendido com a adesão de mais de 3.500 professores ao programa de rescisões com o Estado por se tratar de “uma profissão desgastante e difícil”. Em entrevista ao jornal Expresso, o ministro admitiu que a indisciplina tem aumentado na sala de aula, mas nega que o aumento de alunos por turma dificulte o trabalho do professor.

    Nuno Crato considera que os pedidos de rescisão dos professores prendem-se com o facto de se tratar de “uma profissão desgastante e difícil”, que tem piorado com o “aumento da indisciplina” que se verificou na última década, e com as dificuldades que os professores têm para chamar os alunos à atenção.

    Questionado sobre se o aumento de alunos por turma não dificulta a tarefa do professor, o ministro negou o aumento, classificando-o como “um dos grandes mitos da atualidade”. Nuno Crato destacou a média de alunos em Portugal – 22 – como “baixa em termos europeus” e considera que o aumento do limite máximo de 28 para 30 alunos por turma no ensino secundário “não é uma subida decisiva”. “Não exageremos as coisas”, disse. Para controlar a turma, o ministro sugere aos professores que “o caminho fundamental é incentivar à disciplina e o trabalho na sala de aula”.

    3.000 bolsas para desempregados que querem voltar a estudar

    Nuno Crato falou ainda de dois programas destinados aos desempregados que querem regressar aos estudos – programa Retomar – e aos estudantes que se queiram fixar nas regiões do interior – programa Mais Superior.

    No Retomar, estão previstas 3.000 bolsas de 1.200 euros anuais por cada aluno, mais 300 euros para a instituição fazer o acompanhamento individual desses alunos. O objetivo é incentivar os desempregados a retomarem os estudos (até aos 30 anos de idade)

    O programa Mais Superior vai contar com 1.000 bolsas de 1.500 euros anuais, destinados a apoiar a mobilidade dos estudantes para instituições situadas no interior do país.

    Em declarações à TSF, o presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos Superiores, Joaquim Mourato, diz que estas são boas notícias e espera que as medidas ainda venham a tempo das matrículas para o próximo ano letivo.

    (ENVIADO POR:A. MONTEIRO)

    ResponderEliminar
  52. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO CORREIO DA MANHÃ(13/7)]

    MUNDIAL/14:FIFA ELEGE OS MELHORES DOS MELHORES: CONCORDA COM AS ESCOLHAS?!

    «Mundial 2014 Messi eleito melhor jogador do Mundial

    Antes da entrega da taça à nova campeã do mundo - a equipa da Alemanha - a FIFA anunciou outros troféus do torneio.

    [Hoje, 23h10Nº de votos (0) Comentários (0) Por:T.L.P.]

    A Federação Internacional das Associações de Futebol (FIFA) anunciou este domingo, após a vitória da Alemanha frente à Argentina (1-0), após prolongamento, vários troféus relativos ao Mundial de futebol 2014.

    O jogador argentino Lionel Messi foi eleito o melhor jogador individual no torneio (Bola de Ouro). O futebolista alemão Manuel Neuer foi eleito o melhor guarda-redes do Campeonato do Mundo (Luva de Ouro). O colombiano James Rodriguez foi nomeado melhor marcador do Mundial (Bota de Ouro). O francês Paul Pogba foi eleito o melhor jogador jovem do torneio (Prémio Jogador Jovem).

    Além dos prémios individuais, a FIFA anunciou ainda um prémio coletivo, para a equipa com maior 'fair-play'. A Colômbia foi a seleção que conquistou este prémio. (Prémio Fair Play).

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/messi-e-o-melhor-jogador-do-mundial»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  53. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO JN(8/7)]

    EDUCAÇÃO:AINDA SOBRE O ENCERRAMENTO DAS 311 ESCOLAS!

    «Governo diz que encerramento de 68 escolas foi decisão das autarquias
    Publicado em 2014-07-08

    Governo diz que encerramento de 68 escolas foi decisão das autarquias
    Nuno Crato esteve na Comissão de Educação, Ciência e Cultura

    O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, sublinhou esta terça-feira, no parlamento, que há 68 escolas, na lista dos 311 estabelecimentos a encerrar, por sugestão das próprias autarquias.

    Durante cerca de duas horas e meia, os deputados da Comissão da Educação, Ciência e Cultura confrontaram o ministro da Educação, Nuno Crato, sobre algumas opções políticas, tais como as razões que levaram à decisão de encerrar mais de três centenas de escolas do ensino básico, já no próximo ano letivo.

    Para a oposição, o fecho de grande parte destas escolas é prejudicial para os alunos, mas a equipa ministerial acredita que será benéfico para os estudantes serem transferidos para escolas de maior dimensão e com mais oferta: "Será melhor se essas crianças tiverem a oportunidade de ter instalações desportivas, se tiverem um professor que lhes possa dar apoio musical, um professor que possa ajudar em algumas matérias", afirmou Nuno Crato.

    O ministro da Educação e Ciência disse que, em 102 casos, as escolas tinham menos de 21 alunos e, por isso, foi decidido, com a concordância do município, o seu encerramento.

    Apesar de as regras definirem um limite de 21 alunos, em 68 escolas, esse número de estudantes era superior mas as autarquias consideraram que era benéfico fechar a escola, afirmou Nuno Crato, dizendo que, nestes casos, havia candidatura a fundos comunitários para a construção de centros escolares e que as autarquias se tinham "comprometido a encerrar esta, esta e esta escola".

    Segundo dados do Ministério, em 74 situações, o encerramento foi decidido sem se conhecer a posição das autarquias, que até então não se tinham manifestado sobre o assunto. No entanto, em 27 casos, as escolas tinham menos de 21 alunos, as autarquias manifestaram-se contra o seu encerramento, mas os estabelecimentos entraram para a lista das escolas que, no próximo ano, não vão abrir portas.

    Em seis escolas, o encerramento foi decidido porque não tiveram alunos no ano que passado ou porque tiveram apenas estudantes no 4.º ano.

    "Nós queremos uma escola moderna para todas as crianças", resumiu Nuno Crato, lembrando que o encerramento de escolas é uma consequência da redução demográfica e do fenómeno de menos alunos inscritos nas escolas.

    Durante a comissão, Nuno Crato voltou a sublinhar que esta medida se insere numa política de melhoria do sistema de ensino e recordou que não desistiu da prova destinada aos professores que queiram ingressar na carreira.

    Outro dos temas debatidos na comissão foi a questão das ofertas formativas para adultos. Durante a audição, o secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, João Grancho, disse que havia mais de cinco mil novas inscrições de adultos nos cursos que vieram substituir as Novas Oportunidades.

    Segundo João Gancho, existem 5175 novos processos em Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) e foram reencaminhados para os CQEP 114 mil processos.

    A situação dos alunos com necessidades educativas e o número de professores e técnicos disponíveis para os apoiar foi outro dos temas discutidos pelos deputados durante a tarde desta terça-feira.

    Artigo Parcial»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  54. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF(14/7]

    «Atribuição da Bola de Ouro a Messi é injusta, diz Maradona
    Publicado hoje às 13:40

    O antigo futebolista Diego Maradona considerou que a atribuição da Bola de Ouro do Mundial2014 a Lionel Messi foi injusta e que o avançado argentino só venceu o troféu por ser um «plano de marketing» da FIFA.

    No domingo, em declarações ao canal de televisão venezuelano Telesur, Maradona criticou também as opções do selecionador Alejandro Sabella, na final que Argentina perdeu perante a Alemanha, por 1-0 após prolongamento, no Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.

    «Se pudesse dava o céu ao Messi. Mas, não é correto e é injusto quando alguém ganha algo em vez de outros que realmente merecem só por causa de um plano de marketing. Foi isso que aconteceu», afirmou o antigo jogador.

    Para Maradona, a entrada de Aguero para o lugar de Lavezzi durante o intervalo «não fez sentido nenhum» e acabou mesmo por prejudicar a Argentina.

    «Ele (Lavezzi) estava a ser fenomenal. O Aguero não teve o mesmo impacto. Não esteve bem no torneio», referiu Maradona, que é sogro do avançado do Manchester City.

    Relacionados

    Messi melhor jogador do Mundial 2014, Neuer melhor guarda-redes
    Publicado ontem às 23:13

    ResponderEliminar
  55. [TRAZIDO DO FB:JORNAL PÚBLICO(14/7)]

    METEOROLOGIA:S.PEDRO LIGOU A ESCALFETA:E AGORA "NUM" HÁ QUEM AGUENTE!

    «Oito distritos com aviso amarelo devido ao tempo quente
    LUSA 14/07/2014 - 14:40

    Entre terça-feira e quarta, prevê-se “persistência” de temperaturas elevadas.


    DANIEL ROCHA


    Oito distritos do continente vão estar sob aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, na terça e quarta-feira devido à previsão de tempo quente, informou nesta segunda-feira o Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA).

    De acordo com o IPMA, os distritos de Bragança, Évora, Guarda, Vila Real, Setúbal, Beja, Castelo Branco e Portalegre vão estar sob aviso amarelo entre as 10h00 de terça-feira e as 22h00 de quarta-feira devido à previsão de persistência de valores elevados das temperaturas máximas.

    O aviso amarelo implica uma situação de risco para determinadas actividades dependentes da situação meteorológica.

    O IPMA prevê para esta segunda-feira, no continente, céu geralmente limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade e com neblina ou nevoeiro no litoral entre o Cabo Mondego e o Cabo Raso até meio da manhã.

    Está também previsto vento em geral fraco do quadrante norte, soprando moderado de noroeste no litoral oeste, em especial durante a tarde, e pequena subida da temperatura máxima, em especial nas regiões norte e centro.

    Quanto às temperaturas, em Lisboa, Coimbra e Guarda prevê-se uma máxima de 29 graus Celsius, no Porto 26, Évora e Castelo Branco 36, em Beja 35, Bragança, Vila Real e Viseu 32, Braga 31, Funchal 25, Faro 28, Ponta Delgada 22, Angra do Heroísmo 23 e Santa Cruz das Flores 24.

    Para terça-feira, o IPMA prevê no continente céu geralmente limpo, apresentando-se temporariamente muito nublado e com neblina ou nevoeiro no litoral entre o Cabo Raso e o Cabo Mondego até meio da manhã, vento fraco e pequena subida da temperatura máxima.

    MAIS
    Direcção-Geral da Saúde emite alerta de calor para Castelo Branco»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  56. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO CORREIO DA MANHA(14/7)]

    CRISE:MINISTRA DA SAÚDE RECONHECE QUE EXISTEM SITUAÇÕES DRAMÁTICAS!

    «Estão a chegar aos hospitais pessoas em condições sociais difíceis -

    (Hoje, 16h55Nº Por:LUSA )

    O ministro da Saúde, Paulo Macedo, admitiu hoje que há casos de pessoas a chegar aos hospitais em condições sociais "difíceis", em consequência do "tempo difícil" que o país atravessa.

    Paulo Macedo comentava uma notícia divulgada hoje pela rádio Antena 1, segundo a qual há cada vez mais grávidas a chegar com fome às urgências do Hospital Amadora-Sintra e bebés a não receberam alta porque as famílias não tem condições para os acolher.

    Confrontado pelos jornalistas sobre esta situação, à margem de uma cerimónia de inauguração de serviços de medicina nuclear do Instituto Português de Oncologia de Lisboa, o ministro afirmou: "chegam-nos, de facto, pessoas em condições difíceis, próprio do tempo difícil em que estamos".

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/estao-a-chegar-aos-hospitais-pessoas-em-condicoes-sociais-dificeis---ministro»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  57. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO CORREIO DA MANHÃ(14/7)]

    EDUCAÇÃO/OLIMÌADAS DE MATEMÁTICA:???

    «Equipa nacional arrecada cinco medalhas e fica em 33º entre 109 países Portugal bate recorde nas Olimpíadas de Matemática Equipa nacional somou 123 pontos.

    (Hoje, 16h52Nº de votos (0) Comentários (0) Por:Bernardo Esteves)

    Portugal obteve a melhor pontuação de sempre nas 55ª Olimpíadas Internacionais de Matemática, que se realizaram na Cidade do Cabo, África do Sul. A equipa nacional somou 123 pontos e ficou no 33º lugar entre 109 países, igualando a classificação obtida em 2009.

    Individualmente, os seis concorrentes portugueses, alunos de 11º e 12º ano, venceram duas medalhas de prata e três de bronze. A delegação lusa foi recebida esta segunda-feira com aplausos por familiares e amigos no Aeroporto de Lisboa. “Foi uma prova complicada mas também nos divertimos”, confessou Miguel Moreira, aluno da Escola Rainha D. Amélia, em Lisboa, que ficou apenas a um ponto da medalha de ouro. David Martins, da Escola Secundária de Mirandela, também arrecadou uma medalha de prata. “O ano passado ganhei o bronze e agora com mais um ano de trabalho consegui melhorar”, disse, confessando que no próximo vai estudar Matemática para a Universidade de Oxford, em Inglaterra. “Em Portugal há bons cursos mas o mercado de emprego ainda mostra algum desdém em relação à Matemática”, disse. Pergunta CMEra bom aluno a Matemática?SIMNÃOVer Resultados As medalhas de bronze foram para Francisco Andrade (Escola Secundária Padrão da Légua, Matosinhos), Henrique Aguiar (Escola Secundária José Estevão, Aveiro) e Nuno Santos (Colégio Nossa Senhora do Rosário, Porto). Já Henrique Santos (Escola Secundária José Falcão, Coimbra) teve uma menção honrosa. “Com talento e organização é possível conseguir resultados”, afirmou Miguel Abreu, presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, entidade que organizou a participação na prova. Já a seleção e preparação dos alunos é feita pelo projeto Delfos, na Universidade de Coimbra.

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/sociedade/portugal-bate-recorde-nas-olimpiadas-de-matematica»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  58. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(14/7)]

    POLITICA NACIONAL:???

    «Virgílio Macedo "Houve imprudência e pouco bom senso de Paulo Portas"

    Em entrevista ao jornal i, Virgílio Macedo – presidente da distrital do PSD no Porto – tece rasgados elogios a Pedro Passos Coelho e lança algumas farpas à “atitude” de Paulo Portas, relembrando a sua demissão irrevogável. Para o social-democrata, a posição do então ministro dos Negócios Estrangeiros “podia ter deitado tudo a perder”, uma vez que teve "pouco bom senso".

    [POLÍTICA Houve imprudência e pouco bom senso de Paulo Portas DR
    09:00 - 14 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    A um ano das eleições legislativas, Virgílio Macedo não quer entrar com prognósticos, mas confessa que “os portugueses reconhecem” a “capacidade de resistência” de Pedro Passos Coelho. Em entrevista ao i, o presidente da distrital do PSD no Porto realça que “este ano é decisivo” e que “hoje as pessoas começam a ver alguns resultados”.

    Para o social-democrata “abre-se um novo ciclo”, mas, embora considere que “não é fácil fazer uma coligação”, não exclui a possibilidade do Governo PSD-CDS se manter para uma futura legislatura. “O PSD achava por bem resolver essa questão definitivamente, mas para dançar o tango são precisos dois”, disse.

    Face às consecutivas tensões dentro do Governo e com o Tribunal Constitucional (TC), Macedo afirmou que Passos Coelho foi “o único ator político que resistiu a todas as adversidades que foram existindo ao longo do tempo”, e aqui tece duras críticas a Paulo Portas.

    A demissão irrevogável do líder centrista – no verão do ano passado – “prejudicou” e “não ajudou” o Governo. “Houve pouco bom senso do dr. Paulo Portas ao tomar aquela atitude. Houve alguma imprudência, obviamente”, frisou. Além disso, destacou, “aquela atitude poderia ter deitado tudo a perder”.

    Mas não deitou e graças, realçou, ao primeiro-ministro que “impediu que fossemos para um segundo resgate”.»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  59. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO JORNAL PÚBLICO(14/7)]

    Notas do 9.º ano subiram a Português e a Matemática

    (GRAÇA BARBOSA RIBEIRO 14/07/2014 - 18:21)

    Os alunos parecem ter tido razão: este ano, os exames nacionais do 9.º ano foram mais fáceis.

    A Português a classificação média subiu de 49% para 56% e a Matemática de 44% para 53%. Nada que as associações de professores não tivessem previsto.

    Os alunos do 9.º ano consideraram os exames nacionais “fáceis” e os resultados, conhecidos nesta segunda-feira, mostram que eles tinham razão para isso. A Português a média das classificações subiu 7 pontos percentuais, de 49% para 56%, e na disciplina de Matemática o salto foi de 9 pontos, de 44% para 53%. Ainda assim quase um terço dos alunos (31 %) chumbou a Matemática.

    Na prova de Português (91) observou-se que 69% dos alunos obtiveram uma classificação igual ou superior a 50% e 53% obtiveram classificação igual ou superior a 50% na prova de Matemática (92), anunciou o Ministério da Educação e Ciência (MEC).

    Estes valores dizem respeito aos alunos internos que, de acordo com a mesma fonte, não terão competências muito diferentes dos que fizeram exames no ano passado. Isto a avaliar pelas notas de frequência, ou seja, pelas que lhes foram atribuídas pelos professores que os acompanharam durante o ano lectivo. A Português, os 91.986 alunos que prestaram provas foram a exame com a nota média de 3,2 (em cinco valores) tal como os colegas do ano passado; e os 92.129 que prestaram provas a Matemática em 2014 apresentaram-se também com uma classificação média igual à dos colegas que fizeram exame em 2013: 3 valores, neste caso.

    A melhoria de resultados é saudada pelo MEC, que frisa que, “em termos gerais, estas classificações evidenciam uma subida significativa em comparação com os resultados do ano anterior”. Realça ainda a “diminuição significativa da taxa de reprovação das disciplinas de Português e de Matemática em, respectivamente, 3 e 4 pontos percentuais, relativamente ao ano transacto”.

    O Instituto de Avaliação Educacional (IAVE), que também se refere aos resultados dos exames em comunicado, é mais lacónico na sua intervenção, que está marcada por alusões às afirmações dos alunos, que consideraram as provas mais fáceis do que as do ano passado, e às análises, no mesmo sentido, dos dirigentes das associações de professores e da Sociedade Portuguesa de Matemática.

    A direcção daquela organização científica, em particular, chegou a criticar a falta de complexidade do exame e registou que “uma expectável subida da média nacional em relação aos últimos anos” não permitiria, “infelizmente, concluir que houve uma melhoria objectiva do desempenho escolar”.

    Nesta segunda-feira o IAVE escreveu que, “sendo de realçar o carácter positivo da evolução dos resultados médios, em particular o facto de neste ano lectivo se situarem acima de 50% em ambas as disciplinas, a amplitude da sua variação enquadra-se dentro de limites considerados estatisticamente não relevantes”. E, na sequência de mais uma série de considerações, conclui que, “em suma, e contrariamente ao afirmado aquando da realização das provas, as variações observadas, bem como, em regra, as variações interanuais dos resultados médios agora divulgados, não permitem caracterizar as provas como «fáceis» ou «difíceis» ou fazer inferências consistentes e válidas sobra a evolução da qualidade do desempenho dos alunos”. “Apenas leituras longitudinais longas, centradas não nos resultados das provas mas antes numa análise detalhada do comportamento dos resultados de itens cujas propriedades sejam reconhecidas como similares, permitem fazer inferências com algum rigor sobre aquela evolução”, corrige.

    (...)

    (...)

    (...)

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  60. Os alunos do 9.º ano consideraram os exames nacionais “fáceis” e os resultados, conhecidos nesta segunda-feira, mostram que eles tinham razão para isso. A Português a média das classificações subiu 7 pontos percentuais, de 49% para 56%, e na disciplina de Matemática o salto foi de 9 pontos, de 44% para 53%. Ainda assim quase um terço dos alunos (31 %) chumbou a Matemática.

    Na prova de Português (91) observou-se que 69% dos alunos obtiveram uma classificação igual ou superior a 50% e 53% obtiveram classificação igual ou superior a 50% na prova de Matemática (92), anunciou o Ministério da Educação e Ciência (MEC).

    Estes valores dizem respeito aos alunos internos que, de acordo com a mesma fonte, não terão competências muito diferentes dos que fizeram exames no ano passado. Isto a avaliar pelas notas de frequência, ou seja, pelas que lhes foram atribuídas pelos professores que os acompanharam durante o ano lectivo. A Português, os 91.986 alunos que prestaram provas foram a exame com a nota média de 3,2 (em cinco valores) tal como os colegas do ano passado; e os 92.129 que prestaram provas a Matemática em 2014 apresentaram-se também com uma classificação média igual à dos colegas que fizeram exame em 2013: 3 valores, neste caso.

    (IN PÚBLICO)

    ResponderEliminar
  61. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS/DN(15/7)]

    COISAS DA EUROPA: JUNKER VAI SUBSTITUIR DURÃO BARROSO!

    «COMISSÃO EUROPEIA

    Eurodeputados portugueses a favor de Juncker
    (por Lusa Hoje Comentar)

    Jean-Claude Juncker recebeu a grande maioria dos votos dos eurodeputados portugueses na eleição para presidente da Comissão Europeia. A exceção foi do PCP e do Bloco de Esquerda.

    Carlos Zorrinho (PS), Paulo Rangel (Aliança Portugal) e Marinho e Pinto (Partido da Terra), consideram positiva e auspiciosa a eleição do luxemburguês para a liderança do executivo comunitário. João Ferreira (PCP) e Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, sustentam que Juncker representa a continuidade.

    Zorrinho, que deu conta do apoio da delegação do PS a Juncker, disse acreditar que "a sua eleição é um recomeço para o projeto europeu", pois o antigo primeiro-ministro luxemburguês "não é um socialista, mas é um democrata-cristão que percebeu bem o espírito do que deve ser o futuro da europa".

    Segundo o líder da delegação PS, Juncker "fez um extraordinário discurso, muito estimulante e motivador", sublinhando a forte aposta no investimento tecnológico para fomentar o crescimento e emprego, assim como as preocupações em matérias de política social e combate às desigualdades.

    Para Paulo Rangel, este foi "um grande dia para a Europa", porque "Jean-Claude Juncker representa um passo na evolução democrática e constitucional da Europa", já que "finalmente os cidadãos europeus têm uma palavra a dizer na escolha de titulares de cargos na UE".

    Quanto ao programa apresentado por Juncker, o deputado social-democrata considera-o "um programa de economia social de mercado e compromisso". Com esta eleição "operou-se hoje aqui no Parlamento Europeu uma mudança constitucional na Europa. Penso que são dias auspiciosos para a Europa, pois reforçou-se imenso a transparência e legitimidade na Europa".

    Também Marinho e Pinto, do MPT, destacou que a eleição de Juncker representa "um reforço da democraticidade da Comissão Europeia", sendo alguém que manifesta preocupações sociais e que "tem posições em matéria económica favoráveis a países da periferia, como Portugal e Grécia".

    "É o resultado de compromissos que se fizeram aqui, e que penso que são positivos, apesar de tudo para o futuro da UE. Tem um discurso que é novo em muitos aspetos relativamente ao seu antecessor (Durão Barroso). Será melhor? Difícil é que era pior", afirmou.

    Já para João Ferreira, do PCP, "este é um candidato proposto e apoiado pelos mesmos que propuseram e apoiaram Durão Barroso por duas vezes, portanto é um candidato da continuidade".

    "É o candidato daqueles que acham que tudo correu bem nestes anos e que o caminho a seguir é o mesmo que seguimos ate aqui: uma União Europeia com milhões de desempregados, com milhões em situação de pobreza, e desigualdades gritantes entre Estados-membros", apontou.

    Também Marisa Matias considera que, "no fundamental, continua uma dominação da política que temos tido ate aqui", pois "Jean-Claude Juncker tem mais sentido de humor, é melhor discursivamente que o seu predecessor, mas, seja como for, acho que continuamos a política de dominação dos mercados financeiros".
    Artigo Parcial»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  62. CURIOSIDADE:QUEM NOS VISITA, NESTE MOMENTO?!

    URLs de referência

    Entrada Visualizações de páginas
    http://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=11&cad=rja&uact=8&ved=0CB0QFjAAOAo&url=http%3A%2F%2Ftaroucando.blogspot.com%2F2013%2F09%2F18uma-curiosidadecomo-os-estrangeiros.html&ei=Nl_FU6CUPOip0QWenIHADw&usg=AFQjCNFJjMjGlVKlZA2q9jcMmDjdNXAEiQ&sig2=qfIaO3OmcBaXifegZpc6Dw&bvm=bv.70810081,d.ZGU
    1
    http://www.google.pt/url?url=http://taroucando.blogspot.com/&rct=j&frm=1&q=&esrc=s&sa=U&ei=bVTFU8y_AanS0QXm2YGYDw&ved=0CBQQFjAA&usg=AFQjCNESeyREJQXlzVVzlFM1oEkCpUqx7w
    1
    https://www.google.pt/
    1

    (continua)

    ResponderEliminar
  63. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF(15/7)]

    EDUCAÇÃO:O NÚMERO DE ALUNOS DESCEM DE ANO PRA ANO!(*)

    «Ensino perde quase 100 mil alunos em dois anos
    (Publicado hoje às 18:04)

    O sistema de ensino nacional perdeu quase 100 mil alunos entre os anos letivos de 2011/2012 e 2012/2013, segundo o Ministério da Educação, destacando-se o ensino básico, com menos 64.288 estudantes.

    De acordo com os dados do relatório "Estatísticas da Educação 2012/2013", houve um total de 2.139.977 alunos inscritos, entre a educação pré-escolar, ensino básico, ensino secundário, ensino pós-secundário não superior e ensino superior.

    Comparando com os dados do relatório de 2011/2012, é possível constatar que há uma redução de 98.956 alunos, já que no ano letivo 2011/2012 estiveram inscritos 2.238.933 alunos.

    Estes dados incluem alunos matriculados/inscritos e adultos em atividades de educação e formação.

    Entre os vários níveis de ensino, é no básico que a quebra é mais acentuada, passando de 1.157.811 em 2011/2012 para 1.093.523 em 2012/2013, o que representa menos 64.288 alunos.

    Por oposição, é no ensino pós-secundário não superior que se dá o único aumento de alunos, com mais 3.277 estudantes inscritos.

    O ensino superior é, de entre os vários níveis, o segundo que mais perde alunos, havendo menos 19.273 estudantes inscritos no ano letivo 2012/2013, depois de no ano letivo anterior terem sido 390.273.

    Já o ensino secundário teve uma descida de 3,1% no número de alunos, com 398.447 inscritos em 2012/2013, menos 12.791 do que em 2011/2012, quando estavam matriculados 411.238 estudantes.

    A educação pré-escolar é aquela que sente a menor redução de alunos, com uma descida de 2,1%, o que representa menos 5.881 crianças neste nível de ensino.

    Contas feitas, significa isto que, no total dos níveis de ensino não superior, ou seja, contabilizando a educação pré-escolar, ensino básico, ensino secundário e ensino pós-secundário não superior, há menos 82.960 estudantes no sistema nacional de ensino.

    Olhando apenas para a educação e formação de jovens, a quebra é menos acentuada, passando de 1.710.075 no ano letivo 2011/2012 para 1.696.696 em 2012/2013, o que representa menos 13.379 estudantes.

    Entre os 2.139.977 alunos matriculados/inscritos e adultos em atividades de educação e formação no ano letivo 2012/2013 mais de metade são homens (1.088.342/50,9%) e 1.051.635 (49,1%) são mulheres.

    Os homens estão, aliás, em maioria em quase todos os níveis de ensino, à exceção do ensino superior, onde a relação é de 53,2% de mulheres para 46,8% de homens. Artigo Parcial»

    (*)RECORDAMOS QUE ONTEM FOI DIVULGADO UM ESTUDO ONDE SE VERIFICAVA QUE ERA EM PORTUGAL ONDE A TAXA DE NATALIDADE MAIS TINHA DESCIDO NO CONJUNTO DOS 28 PAÍSES DA ZONA EURO!

    ResponderEliminar
  64. ???

    URLs de referência
    Entrada Visualizações de páginas
    http://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=11&cad=rja&uact=8&ved=0CB0QFjAAOAo&url=http%3A%2F%2Ftaroucando.blogspot.com%2F2013%2F09%2F18uma-curiosidadecomo-os-estrangeiros.html&ei=Nl_FU6CUPOip0QWenIHADw&usg=AFQjCNFJjMjGlVKlZA2q9jcMmDjdNXAEiQ&sig2=qfIaO3OmcBaXifegZpc6Dw&bvm=bv.70810081,d.ZGU
    1
    http://www.google.pt/url?url=http://taroucando.blogspot.com/2014/07/34sondagemcomo-pensa-votar-nas.html&rct=j&frm=1&q=&esrc=s&sa=U&ei=hmbFU8ilMoWe0QWO4IH4Dg&ved=0CB8QFjAC&sig2=AdTlyYBZ78EwhyAd0lHbFQ&usg=AFQjCNGGAlYddRkH7KTNAhOEtZkY0a0OhQ
    1
    Sites de referência

    ResponderEliminar
  65. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(16/7)]

    ESTUDO:ALGUNS DOS INCENTIVOS À NATALIDADE!(concordas com estas medidas?)

    «Natalidade A 'mãozinha' que o Governo pode dar a quem quer ter filhos

    O estudo encomendado pelo Governo sobre a natalidade já deu ‘frutos’.
    Da Comissão para a Política da Natalidade em Portugal saiu um relatório com um vasto conjunto de propostas a adotar para incentivar os portugueses a ter mais filhos.

    [PAÍS A 'mãozinha' que o Governo pode dar a quem quer ter filhos DR
    09:05 - 16 de Julho de 2014 | Por Goreti Pera]

    A Comissão para a Política da Natalidade em Portugal elaborou um relatório onde é elencado um conjunto de propostas que o Governo poderá adotar para apoiar os casais que optem por ter (mais) filhos.

    Numa altura em que a natalidade em Portugal está longe de chegar a níveis desejáveis e o país tem uma população envelhecida, o estudo encomendado pelo Executivo é visto como um ultrapassar de alguns obstáculos que eram colocados a quem quer mas não tem condições de aumentar o seu agregado familiar.

    Reduzir 1,5% na taxa de IRS para o primeiro filho e 2% para o segundo e seguintes é uma das propostas da comissão liderada por Joaquim de Azevedo, que destaca ainda a necessidade de as deduções à coleta serem atribuídas ‘per capita’, em vez de o serem de uma forma global. Como indica o documento, “cada filho conta”.

    Ainda no âmbito do IRS, se as propostas forem avante, os avós podem passar a deduzir as despesas de saúde e educação que têm com os netos, além de os pais poderem passar a deduzir despesas com empregadas domésticas.

    O documento propõe ainda que o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e o Imposto Sobre Veículos (ISV) sejam reduzidos tendo em conta o número de membros do agregado familiar.

    Mas os incentivos não se ficam por aqui: no âmbito do trabalho, mãe ou pai poderão partilhar voluntariamente a licença e vir a ser substituídos no trabalho durante um ano após o período de licença parental, findo o qual têm a possibilidade trabalhar em regime de part-time com o rendimento pago a 100%.

    Quem contratar mulheres grávidas ou pais/mães de filhos até aos três anos pode ficar isento de TSU e pode usufruir de mais vales sociais.

    No que diz respeito à saúde, também o pagamento de taxas moderadoras e a atribuição de médico de família devem ser revistas para as grávidas e crianças até aos seis anos, além de se alargar o apoio médico em casos de infertilidade.

    Serviços básicos como a água, resíduos e saneamento, assim como passes, devem ter preços reduzidos para famílias com mais filhos.

    De salientar que as propostas aqui elencadas fazem parte do relatório apresentado pela Comissão para a Política da Natalidade em Portugal. Resta, agora, saber o que vai ou não ser aplicado pelo Executivo.»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  66. [TRAZIDO DO FB:JORNAL PÚBLICO(15/7)]

    NATALIDADE:???

    «Passos Coelho apresenta propostas para “remover obstáculos” à natalidade
    NATÁLIA FARIA 15/07/2014 - 18:30
    Trabalho em part-time até um ano após licença parental pago a 100%, redução no IMI e nas tarifas de água, lixo e saneamento e criação do passe familiar nos transportes públicos: estas são algumas das propostas apresentadas nesta terça-feira pelo primeiro-ministro.

    MULTIMÉDIA

    Vídeo
    Menos impostos para aumentar número de bebés

    Vídeo
    Coordenador diz que famílias não devem ser penalizadas pelos impostos

    Vídeo
    Medidas natalidade são "truque partidário, com cheirinho a eleições"

    TÓPICOS
    PSD
    Pedro Passos Coelho
    IRS
    Demografia
    Envelhecimento
    Crianças
    MAIS
    CGTP quer aumento “imediato” do salário mínimo para incentivar natalidade
    Oposição e CDS não se deslumbram com medidas pró-natalidade propostas
    A possibilidade de pais e mães passarem a trabalhar em part-time remunerado a 100% até um ano após o período de licença parental é uma das propostas de promoção da natalidade incluídas no estudo encomendado pelo PSD que foi apresentado nesta terça-feira, no Porto, por Pedro Passos Coelho.

    Mais do que “premiar os nascimentos” - o que produziria um efeito “espectacular mas de curto prazo” -, a comissão independente que elaborou o estudo, coordenada por Joaquim Azevedo, da Universidade Católica, considera que o país precisa de remover os obstáculos que actualmente se colocam a quem quer ter filhos.

    Entre estes, prepondera a crónica dificuldade de conciliar o trabalho com a família. Assim, e “porque um trabalhador sem tempo e preocupado com os filhos é um trabalhador pouco produtivo", a substituição da mãe durante um ano, após o período de licença parenta,l visa, por um lado, “garantir à mãe mais tempo para o seu filho e, pela sua substituição na empresa, oportunidades de trabalho a um desempregado", ao mesmo tempo que à empresa se assegura "quem realize o trabalho”.

    As propostas apresentadas incluem a isenção da Taxa Social Única (TSU) para as empresas que contratem grávidas e mães ou pais com filhos até aos três anos de idade, a partilha flexível e em simultâneo da licença parental, a flexibilização dos horários e a revisão dos custos das creches e ainda a diminuição das despesas com manuais escolares.

    A atribuição obrigatória de médico de família a todas as mulheres grávidas, a criação de taxas familiares de água, resíduos e saneamento e a criação do passe-família para transportes públicos são outras das propostas.

    A nível fiscal, a comissão propõe também a redução de 1,5% da taxa de IRS para o primeiro filho e de 2% para o segundo filho e seguintes, a par da possibilidade de os descontos para a Segurança Social suportados pelas famílias que contratem apoio doméstico serem abatidos no respectivo IRS.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
  67. (CONT:NATALIDADE)

    A comissão sugere ainda que os avós passem a deduzir à colecta as despesas de saúde e educação que tenham com os netos, e que o Imposto Municipal Sobre Imóveis (IMI) seja reduzido em função do número de membros do agregado familiar. Propõe-se ainda a redução da taxa de imposto sobre veículos a pagar por agregados familiares com três ou mais dependentes.

    Os autores do relatório, intitulado “Por um Portugal amigo das crianças, das famílias e da natalidade (2015-2035)”, disseram querer fugir à lógica facilitista “do benefício pontual que tende a ser dado às famílias que têm filhos” e que se limita a incentivar e premiar os nascimentos, por considerarem que aquela estratégia consegue efeitos espectaculares mas “de curto prazo”.

    Procuram antes “remover os obstáculos à fecundidade desejada”. Os autores do relatório recordam, aliás, que o mais recente inquérito à fecundidade, divulgado pelo INE no final do mês passado, revelava que, em média e num cenário de ausência de quaisquer constrangimentos, as pessoas desejariam ter 2,31 filhos. Porém, a realidade fica muito aquém. Em 2013, o Índice Sintético de Fecundidade desceu para um novo mínimo: 1,21 filhos, em média, por cada mulher em idade fértil. Equivale isto a dizer que o número de nados-vivos foi de apenas 82.787, no ano passado. Abaixo dos 89.841 de 2012. Abaixo da média dos 28 estados-membros da União Europeia que é de 1,58. E abaixo, muito abaixo, daquilo que seria a média de filhos necessária para garantir a substituição de gerações e que se fixa nos 2,1 filhos por mulher.

    (CONT)

    ResponderEliminar
  68. (CONT:NATALIDADE)

    Apenas 6,3 milhões de portugueses em 2060
    “Esta situação impede a renovação das gerações e conduz a perdas drásticas da população, num horizonte de poucas décadas”, lê-se no relatório, alcandorado nas mais recentes projecções demográficas do INE que apontam o risco de a população portuguesa estar reduzida a 6,3 milhões de habitantes já em 2060, caso os indicadores da fecundidade e das migrações se mantenham nos níveis actuais.


    E a diminuição da população ameaça a sustentabilidade social do país, porque vem acompanhada de um aceleradíssimo envelhecimento. Conforme aponta o relatório, o país poderá passar a ter apenas 110 portugueses activos por cada 100 idosos, em vez dos actuais 340.

    Assim, e apesar do contexto de crise, o trabalho tem de começar já, porque “sem crianças não há sustentabilidade, nem futuro, por mais benéfica que seja a retoma da economia”. Dito de outro modo, “em vez de estarmos apenas focados nos custos de uma política de promoção da natalidade, devemos estar, hoje, particularmente focados nos custos imensos dos não-nascimentos, da não-renovação das gerações, da não sustentabilidade do país”.

    A comissão não fez, porém, previsões sobre o impacto financeiro das medidas que propõe. “Não era essa a nossa tarefa, embora tenhamos ponderado o tipo de medidas a propor e tenhamos apreciado mais concretamente a relação custo/benefício para aquilatar algumas delas e para eleger algumas e deixar cair outras”, escrevem.



    Apelo ao diálogo entre os partidos
    De igual modo, a comissão não ordenou cronologicamente a aplicação das medidas, mas deixou bem claro o apelo: tais propostas não produzirão efeitos se não houve um compromisso alargado, nomeadamente entre os diferentes partidos políticos. “O problema principal reside na capacidade de os dirigentes políticos, sociais e económicos serem capazes de se articularem e dialogarem para construírem um compromisso, de longa duração (cinco legislaturas), que viabilize a concretização deste anseio e que não o tolha, nem com penalizações sucessivas, na fiscalidade, nas empresas, na contratação, na penalização da mulher e, em especial, da mulher grávida, nem com medidas instáveis, umas que parece que são incentivadoras da natalidade, logo seguidas de outras que vão em sinal contrário”, apela o grupo, que inclui a ex-alta comissária para a Saúde Maria do Céu Machado, a psiquiatra Margarida Neto, o especialista em direito laboral Pedro Furtado Martins, a especialista em fiscalidade Ana Luísa Anacoreta Correia e a subdirectora do Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério da Solidariedade e Segurança Social, Ana Sampaio, entre outros.»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  69. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO JORNAL DO PÚBLICO)

    SUGESTÕES PRA AUMENTAR A NATALIDADE: REACÇÕES

    «Oposição e CDS não se deslumbram com medidas pró-natalidade propostas

    [MARGARIDA GOMES 15/07/2014 - 20:37]

    PS acusa Governo de ter lançado políticas “antifamílias” nestes três anos, BE diz medidas pontuais não fazem nascer mais crianças e CDS notou “pontos comuns” no documento apresentado nesta terça-feira com o relatório que Assunção Cristas coordenou.

    O PS, pela voz da presidente do Departamento das Mulheres Socialistas (DMS), diz que a natalidade deve ser encarada como uma “causa nacional”. Embora concorde com muitas das medidas propostas no estudo encomendado por Passos Coelho para inverter a diminuição de nascimentos, Isabel Coutinho faz notar que se trata de um desafio difícil, uma vez que “as políticas que o Governo implementou nos últimos três anos penalizaram muito as famílias portuguesas”.

    As medidas constam do relatório “Por um Portugal amigo das crianças, das famílias e da natalidade (2015-2035)” que, esta terça-feira, foi apresentado no Porto, pelo professor da Universidade Católica Joaquim Azevedo, coordenador da comissão independente que elaborou o estudo, no qual se afirma que o país precisa de remover os obstáculos que actualmente se colocam a quem quer ter filhos.

    Para o BE, a “questão de fundo vai manter-se. “Continuaremos a ver menos crianças nascer a cada ano, enquanto permanecer esta austeridade, precariedade no trabalho e crescente liberalização laboral". “Achar que são medidas pontuais, por muito bem-intencionadas que sejam, que vão alterar projectos de vida de quem não sabe o dia de amanhã e não vê maneira de o dinheiro chegar ao fim do mês é uma fuga para a frente de quem não quer encarar as consequências das suas políticas”, afirma o Bloco.

    O CDS prefere destacar os pontos em comum do estudo coordenado por Joaquim Azevedo com o relatório que a vice-presidente do partido Assunção Cristas coordenou e apresentou. Quanto à questão fiscal, o CDS considera-a “muito importante” e reafirma a sua esperança nos resultados da comissão de reforma do IRS, que será anunciada na sexta-feira, visto que, frisa o “seu mandato é muito claro no sentido da valorização da família e da natalidade no sistema fiscal”.

    O PCP não se quis pronunciar. Já a CGTP-IN reclama um aumento do salário mínimo para 515 euros, alterações legislativas que promovam o emprego estável e mais apoios e fiscalização a empresas, para combater a discriminação das mulheres. Estas são apenas algumas medidas que a CGTP-IN elenca no seu documento "18 linhas de força para uma política de promoção da natalidade".

    A intersindical denuncia os atropelos à lei que diz subsistirem em empresas, no que respeita à não contratação ou despedimento de grávidas ou mulheres que queiram engravidar, e defende que, “sem a alteração das políticas” do Governo, “dificilmente” o país sairá da situação em que se encontra para assistir ao nascimento de mais crianças.»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  70. PERGUNTA-SE: SERÁ QUE DESAPARECEU O COMENTÁRIO AGORINHA MESMO SUBMETIDO?! (ISTO TEM SIDO:DE 6 ENVIADOS COMEM 1...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ENTREVISTA AO Dr ANTÓNIO COSTA!(IN Jornal Público)

      ENTREVISTA DO Dr ANTÓNIO COSTA!(CONTINUAÇÃO)

      E a técnica?
      Um dos grandes problemas que estamos a viver resulta do facto de a direita ter construído esta ilusão de que as opções políticas que lhe estão subjacentes resultam de meras necessidades ou determinismos técnicos. Ora, é falso. Não podemos aceitar como determinismo técnico aquilo que assenta em opções políticas. E aquilo que reforça a democracia é a escolha democrática ser feita em torno de políticas e em nome de valores. Se há coisa que se perdeu na sociedade portuguesa foi a desvalorização dos valores e a desvalorização da política. Se me pergunta a mim se a técnica é necessária. Com certeza. Devo ser das pessoas que há mais anos consecutivos exerço funções executivas. E se as exerço é porque tenho bem a noção de que gerir o concreto não se faz só com base em valores. Não fui daquelas pessoas de fazer carreira política escondido na sexta fila da bancada do Parlamento. Desde há muitos anos que estou na primeira fila. Por isso dispenso lições sobre o exercício da acção executiva e não desvalorizo as limitações da técnica, nem acho que o voluntarismo político possa sobrepor-se.

      Não corre assim um risco de fazer uma campanha populista?
      Mas há quantos anos é que me conhece? Alguma vez me viu fazer campanha com base no populismo. Sabe que eu tenho uma enorme vantagem em relação a outras pessoas. Posso oferecer o meu passado como garantia. Quando eu era ministro da Justiça, lembrar-se-á, houve uma moda de criminalização da delinquência juvenil e de por todas as crianças criminosas na cadeia e quem resistiu a essa ofensiva populista e defendeu um modelo de prevenção e de intervenção sobre a delinquência juvenil, que deu, aliás, frutos ,fui eu. Quando era muito fácil fazer as campanhas populistas quanto à imigração, houve muito pouca gente a levantar a voz. Eu era ministro da Administração Interna quando tivemos a mais moderna lei da nacionalidade e a mais moderna lei de entrada e saída de imigrantes. Não preciso de prometer no futuro. O meu passado é garantia suficiente de que comigo não há tentações populistas.»

      (ENVIADO POR:PA/DI)

      NB:E DEPOIS DE UM PERÍODO MUUUITO ATRIBULADO/INFLAMADO MESMO, EIS QUE SE CONSEGUIU ALGUMA ACALMIA QUANDO FOI APROVADA, POR AMBAS AS PARTES, A COMISSÃO ELEITORAL, E AGORA PARECE QUE JÁ HÁ "ESPAÇO" PRA DEBATER IDEIAS!AGUARDEMOS....

      Eliminar
    2. INFORMAÇÃO ADICIONAL:

      ESTA ENTREVISTA JÁ PODERÁ SER LIDA NA INTEGRA LÁ ABAIXO OU NO POST 47 DE JULHO/2014!

      Eliminar
  71. Esta página Web não está disponível

    Menos
    A página Web em http://www.blogger.com/delete-comment.g?blogID=4420007063130429603&postID=3321504746177405818 poderá estar temporariamente inactiva ou poderá ter sido movida permanentemente para um novo endereço Web.
    Código de erro: ERR_INVALID_ARGUMENT

    ResponderEliminar
  72. UMA CURIOSIDADE:QUEM NOS VISITA NESTE MOMENTO?

    URLs de referência
    Entrada Visualizações de páginas
    http://www.google.com/url?url=http://taroucando.blogspot.com/&rct=j&frm=1&q=&esrc=s&sa=U&ei=m-DLU5XANYWp0QXiq4DICg&ved=0CBUQFjAA&usg=AFQjCNGrdAqoY1jfHks_shf5MuoJLhnqmg
    2
    http://taroucahoje.blogs.sapo.pt/
    1
    http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=como%20resolver%20err_network_changed&source=web&cd=4&ved=0CDUQFjAD&url=http%3A%2F%2Ftaroucando.blogspot.com%2F2013%2F08%2Fdiversos-de-agosto2013-informe-denuncie.html&ei=V-vLU537FOHesAS32YBw&usg=AFQjCNEEw2kZQdjYtq0393vlWzCkwSnPRQ&sig2=Mwyl6tvwccvVJcstfC1C-w
    1

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E AGORA SÃO ESTES:

      URLs de referência

      Entrada Visualizações de páginas

      http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=como%20resolver%20err_network_changed&source=web&cd=4&ved=0CDUQFjAD&url=http%3A%2F%2Ftaroucando.blogspot.com%2F2013%2F08%2Fdiversos-de-agosto2013-informe-denuncie.html&ei=V-vLU537FOHesAS32YBw&usg=AFQjCNEEw2kZQdjYtq0393vlWzCkwSnPRQ&sig2=Mwyl6tvwccvVJcstfC1C-w
      1
      http://www.google.pt/accounts/Logout2?ilo=1&ils=s.PT&ilc=2&continue=http%3A%2F%2Fwww.blogger.com%2Flogout-redirect.g%3FblogID%3D4420007063130429603&zx=1906810015
      1

      (CONT.)

      Eliminar
  73. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS/DN(20/7)]

    AGENDA DO TC:???

    «JUSTIÇA
    TC está a apreciar 4 pedidos de fiscalização sucessiva
    por LusaHoje10 comentários

    O Tribunal Constitucional tem em apreciação as normas do orçamento retificativo que alargaram a contribuição extraordinária de solidariedade, os aumentos dos descontos para os subsistemas públicos de saúde, e mais dois pedidos de fiscalização sucessiva, sem prazo.
    Os requerimentos do PS e dos deputados do PCP, BE e PEV para a fiscalização de normas do orçamento retificativo (lei 83/2014, que altera o Orçamento do Estado para 2014) deram entrada no dia 27 de março.
    Os juízes estão a apreciar a constitucionalidade de duas normas do retificativo: o artigo 76.º, que alarga a base de incidência da CES, com cortes nas pensões acima dos mil euros, a pedido do PS e do PCP, BE e PEV, e o artigo 14.º, que aumenta os descontos para a ADSE e restantes subsistemas de saúde dos funcionários públicos, a pedido do PCP, BE e PEV.
    O requerimento mais recente teve origem no PCP, BE e PEV que suscitaram, a 30 de junho, a fiscalização do diploma que introduziu novos aumentos dos descontos para a ADSE, ADM e SAD, de 2,5 para 3,5 por cento, que aqueles deputados consideram representar "um verdadeiro imposto".
    Antes destes pedidos, deram entrada em janeiro um requerimento do PCP, BE e PEV reclamando a inconstitucionalidade de dois artigos do decreto-lei 133/2013 que estabelecem novas reduções "de caráter temporário" dos valores de complementos de pensão, subsídios de refeição, ajudas de custo e subsídios de deslocação dos trabalhadores das empresas do Estado como o Metro, Carris ou CTT.
    Ainda sem resposta do TC está um pedido do Provedor de Justiça, apresentado em fevereiro, sobre algumas normas do decreto-lei 133/2012, que alterou as regras de acesso e prestação do Rendimento Social de Inserção.
    A norma contestada por José de Faria Costa impõe que os cidadãos nacionais tenham que residir pelo menos há um ano em Portugal para poder requerer o Rendimento Social de Inserção.
    Ao contrário dos pedidos de fiscalização abstrata preventiva da constitucionalidade, os processos de fiscalização sucessiva não têm um prazo na lei para serem julgados.
    O regime geral das férias judiciais aplica-se também aos juízes do Tribunal Constitucional nos processos de fiscalização sucessiva, prevendo a lei que os conselheiros gozam férias entre 15 de agosto e 14 de setembro, devendo "ficar assegurada a permanente existência do quórum de funcionamento do plenário e de cada uma das secções do Tribunal".
    O Governo já admitiu que pretende pedir ao Presidente da República que envie para fiscalização preventiva diplomas que apenas entrarão em vigor em janeiro de 2015, nomeadamente a nova fórmula de cortes salariais e a solução definitiva que substituirá a CES, a contribuição de sustentabilidade.
    Depois de receber os diplomas e se optar por essa via, Cavaco Silva terá oito dias para requerer a apreciação preventiva da constitucionalidade e os juízes 25 dias para decidir, um prazo que pode ser encurtado se o chefe de Estado invocar motivo de urgência.
    Segundo a lei de Organização, Funcionamento e Processo do Tribunal Constitucional, o regime de férias aplica-se apenas "aos processos de fiscalização abstracta não preventiva da constitucionalidade e legalidade de normas jurídicas e aos recursos de decisões judiciais", não afetando os pedidos de fiscalização preventiva.
    Artigo Parcial

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  74. [TRAZIDO DO FB:LUSA/NOTÍCIAS AO MINUTO(?/7)]

    NATALIDADE:MAIS REACÇÕES SOBRE INCENTIVOS À NATALIDADE PROPOSTO PELA COMISSÃO

    « Natalidade Vice do PSD diz que "ataques" ao relatório revelam "caminho certo"
    O vice-presidente do PSD, Marco António Costa, disse hoje, na tomada de posse dos órgãos da Comissão Concelhia de Pombal, que os "ataques" ao relatório sobre a natalidade revelam que o documento "está no caminho certo".
    PAÍS Vice do PSD diz que ataques ao relatório revelam caminho certo

    [21:53 - 19 de Julho de 2014 | Por Lusa]

    "O interesse que o relatório suscitou, os ataques que lhe foram feitos e as declarações de apoio revelam que é um relatório que está no caminho certo, que coloca questões centrais para o nosso futuro coletivo", afirmou o também porta-voz do PSD.

    Marco António Costa salientou que a "primeira batalha" está ganha, uma vez que "a natalidade é um tema da agenda política" e "foi o PSD que o trouxe" para a discussão.

    "A segunda batalha que vencemos é a de que a sociedade civil está viva, atuante, atenta e alerta para este tema, que tem a ver com a sustentabilidade do futuro e não apenas com os próximos anos", acrescentou.

    O social-democrata sublinhou que o PSD "não está a fazer esse trabalho para ganhar votos nas próximas eleições legislativas", até porque "pensar o país a 20 ou 30 anos não dá votos", mas "dá futuro ao país".

    O Governo apelou esta semana a todas as forças partidárias e parceiros sociais para que haja mobilização em torno de uma estratégia nacional para uma política de natalidade, após a apresentação pública no Porto do relatório da comissão independente para uma política de natalidade para Portugal, encomendado pelo PSD e coordenado pelo professor universitário Joaquim Azevedo.

    O relatório "Por um Portugal amigo das crianças, da família e da natalidade", que apresenta uma estratégia até 2035, propõe, entre outras medidas, que após o período atualmente em vigor da licença parental, a mãe possa trabalhar em 'part time' e receber a totalidade do ordenado durante mais um ano.

    (CONT.)

    ResponderEliminar
  75. (MAIS REACÇÕES AO RELATÓRIO DA NATALIDADE:CONTINUAÇÂO)

    Marco António Costa criticou ainda o silêncio do PS sobre o dossiê dos fundos comunitários, referindo que "não se ouviu nada" dos socialistas, que não tiveram "uma palavra de apreço" numa semana importante para os próximos anos dos portugueses.

    "O Governo fechou, esta semana, um dos dossiês mais estratégicos para Portugal nos próximos anos - o dossiê dos fundos comunitários. Serão 25 mil milhões de euros que nos próximos anos serão colocados ao dispor de Portugal, e que são determinantes para o nosso futuro coletivo. Era exigível que o PS tivesse saudado o Governo por ter conseguido fechar um dossiê importantíssimo", afirmou.

    Marco António Costa apelou ainda ao consenso político e, citando o ex-ministro socialista Luís Amado, que esteve presente numa conferência dos 40 anos do PSD, referiu: "Disse que, sendo militante do PS, estava ali para mostrar que em determinados momentos é preciso darmos as mãos e encontrar espaços de consenso para tornar possível que a sociedade portuguesa progrida com consenso".

    O vice-presidente do PSD e a secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e Igualdade, Teresa Morais, marcaram presença hoje, em Pombal, na tomada de posse do deputado do PSD eleito por Leiria Pedro Pimpão como presidente da Comissão Concelhia de Pombal.

    Pedro Pimpão apresentou uma Mesa da Assembleia constituída apenas por mulheres, num total de seis, sendo este órgão liderado por Fernanda Guardado.

    Teresa Morais considerou que "uma presença tão expressiva de mulheres, quer na assembleia quer nos órgãos eleitos, é um exemplo a seguir".

    Salientando que não pretende afastar os homens, a responsável sublinhou que o que se pretende é uma participação equilibrada e paritária: "As mulheres que têm aqui a oportunidade de participação política reforçada constituem um exemplo e motivação para outras mulheres que ainda não entraram nesta vida ativa".»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  76. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(20/7)]

    DISPUTA DA LIDERANÇA DO PS: Dr JOSÉ SEGURO AVANÇA C/MAIS PROPOSTAS PRÓ SISTEMA POLITICO PORTUGUÊS!(regime de incompatbilidades)

    «Anúncio Seguro avança com lei das incompatibilidades no Parlamento
    O líder socialista António José Seguro disse, durante uma sessão com militantes em Braga, que pretende avançar até 15 de setembro com um projeto para alterar a lei das incompatibilidades, a apresentar no Parlamento. Depois de anunciar a medida, o secretário-geral socialista instou os presentes a responder à pergunta: “Quem assim vos fala é um líder fraco?”, em claro 'ataque' ao anúncio, após as Europeias, de que Costa estaria disponível para chefiar o PS.

    POLÍTICA Seguro avança com lei das incompatibilidades no Parlamento

    [Reuters19:11 - 20 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    O Partido Socialista vai avançar com um projeto para uma nova lei das incompatibilidades no Parlamento, até 15 de Setembro. Quem o garante é António José Seguro, que anunciou esta intenção num encontro com militantes do partido, em Braga, reporta o Diário de Notícias.

    O líder rosa, que disputa com António Costa a liderança do partido, reforçou ainda ser necessário separar de forma mais clara a política e os negócios, tentando evitar que "um deputado quando não esteja a trabalhar em exclusivo" no Parlamento "tenha de explicar de onde vem o dinheiro dos seus rendimentos".

    No mesmo encontro, Seguro disse ainda que pretende apresentar propostas para alterar o atual sistema eleitoral, afirmando que o atual modelo apenas permite ratificar escolhas e não escolher diretamente os líderes políticos do país. “Os portugueses não querem apenas ratificar, mas também escolher. [Por isso, o PS apresentará] uma proposta de reforma do sistema político que permita a eleição de deputados em listas abertas”, anunciou.

    Após a exposição das suas propostas políticas, Seguro tirou um momento para se dirigir diretamente aos presentes no encontro, deixando no ar uma pergunta e, ao mesmo tempo, um pequeno ataque a António Costa e à oposição.

    "Quero fazer-vos uma pergunta e quero que me respondam com sinceridade: quem assim vos fala é um líder fraco?”, questionou e, após resposta negativa da plateia, reforçou "nunca se esqueçam que é por Portugal, e pelos portugueses que precisam de nós, que aqui estamos".»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  77. [TRAZIDO DO FB: JORNAL PÚBLICO(20/7)]

    [DISPUTADA LIDERANÇA DO PS: E AOS POUCOS E POUCOS VAMOS CONHECENDO AS IDEIAS DOS 2 CANDIDATOS!(antónio conta]

    «ENTREVISTA

    "Seria um privilégio para o país poder ter o engenheiro António Guterres como Presidente da República"

    [SÃO JOSÉ ALMEIDA e NUNO SÁ LOURENÇO 20/07/2014 - 07:31]

    António Costa diz que quer devolver o protagonismo à política e aos valores. Garante que tem os militantes do PS com ele, rejeita fazer comparações com o actual secretário-geral, e garante que, se for líder, Seguro tem lugar nas listas para as legislativas.

    Aos 53 anos, António Costa é candidato a candidato a primeiro-ministro pelo PS nas primárias de 28 de Setembro. Presidente da Câmara de Lisboa, já foi deputado, eurodeputado, secretário de Estado e ministro dos Assuntos Parlamentares e também ministro da Administração Interna e da Justiça.

    Tem dito que não vai fazer promessas. Mas se não tiver propostas concretas como quer que confiem em si? Quando apresenta o seu programa?

    Temos de colocar este processo em perspectiva. É uma caminhada que tem uma primeira etapa a 28 de Setembro e depois tem uma etapa decisiva, chamada eleições legislativas. Apresentarei o programa de Governo antes das legislativas e depois do Congresso do PS. Porque, aliás, há que aproveitar muito do trabalho que foi feito. Há que contar com o contributo de todos aqueles que me apoiam e os que não apoiam neste momento. Este é o momento de apresentar uma estratégia política, linhas orientação geral e a visão que tenho para o país.

    Mas tem de ter um documento.
    No âmbito da agenda da década tenho definido bem os domínios de acção. Dia 26 vou organizar uma convenção nacional em Aveiro em torno de diferentes temas da agenda da década e que devem enformar as prioridades que devem marcar a elaboração de um programa de governo e uma alternativa do PS.

    O seu discurso aposta muito no regresso da política, contra um discurso tecnocrático.
    Essa é uma opção política de base. Até porque um dos problemas que nós temos hoje é perceber que a técnica é um instrumento. Agora aquilo que comanda, na qual assenta a escolha democrática, é a escolha política.

    Faz um discurso político, que procura devolver esperança e confiança as pessoas e que procura mobilizar com base no carisma, mas depois falta o resto.
    É evidente que há uma componente de liderança que é fundamental. Na escolha de uma liderança há que ter e conta a capacidade de liderança. E um dos requisitos de liderança é o incutir energia, força inspiradora e de mobilização de quem nos dirige. É uma opção política de fundo hoje repor a política no comando dos destinos do país. E a política antes de assentar em opções técnicas, assenta na escolha de valores. A vida em sociedade não é simplesmente vivermos lado a lado, uns com os outros. É uma partilha de valores e os laços sociais que entre nós estabelecemos.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. [DISPUTADA LIDERANÇA DO PS: E AOS POUCOS E POUCOS VAMOS CONHECENDO AS IDEIAS DOS 2 CANDIDATOS!(antónio conta)]-CONTINUAÇÃO


      E a técnica?
      Um dos grandes problemas que estamos a viver resulta do facto de a direita ter construído esta ilusão de que as opções políticas que lhe estão subjacentes resultam de meras necessidades ou determinismos técnicos. Ora, é falso. Não podemos aceitar como determinismo técnico aquilo que assenta em opções políticas. E aquilo que reforça a democracia é a escolha democrática ser feita em torno de políticas e em nome de valores. Se há coisa que se perdeu na sociedade portuguesa foi a desvalorização dos valores e a desvalorização da política. Se me pergunta a mim se a técnica é necessária. Com certeza. Devo ser das pessoas que há mais anos consecutivos exerço funções executivas. E se as exerço é porque tenho bem a noção de que gerir o concreto não se faz só com base em valores. Não fui daquelas pessoas de fazer carreira política escondido na sexta fila da bancada do Parlamento. Desde há muitos anos que estou na primeira fila. Por isso dispenso lições sobre o exercício da acção executiva e não desvalorizo as limitações da técnica, nem acho que o voluntarismo político possa sobrepor-se.

      Não corre assim um risco de fazer uma campanha populista?
      Mas há quantos anos é que me conhece? Alguma vez me viu fazer campanha com base no populismo. Sabe que eu tenho uma enorme vantagem em relação a outras pessoas. Posso oferecer o meu passado como garantia. Quando eu era ministro da Justiça, lembrar-se-á, houve uma moda de criminalização da delinquência juvenil e de por todas as crianças criminosas na cadeia e quem resistiu a essa ofensiva populista e defendeu um modelo de prevenção e de intervenção sobre a delinquência juvenil, que deu, aliás, frutos ,fui eu. Quando era muito fácil fazer as campanhas populistas quanto à imigração, houve muito pouca gente a levantar a voz. Eu era ministro da Administração Interna quando tivemos a mais moderna lei da nacionalidade e a mais moderna lei de entrada e saída de imigrantes. Não preciso de prometer no futuro. O meu passado é garantia suficiente de que comigo não há tentações populistas.»

      (ENVIADO POR:PA/DI)

      NB:E DEPOIS DE UM PERÍODO MUUUITO ATRIBULADO/INFLAMADO MESMO, EIS QUE SE CONSEGUIU ALGUMA ACALMIA QUANDO FOI APROVADA, POR AMBAS AS PARTES, A COMISSÃO ELEITORAL (ver post 22), E AGORA PARECE QUE JÁ HÁ "ESPAÇO" PRA DEBATER IDEIAS!AGUARDEMOS....

      Eliminar
  78. [TRAZIDO DO FB:JORNAL SOL(19/7)]

    AINDA SOBRE A NATALIDADE:CDS JÁ TINHA APRESENTADO MTAS DESTAS PROPOSTAS!(ver postes 45 e 46)

    «Política: CDS já tinha plano para natalidade há sete anos

    [Margarida Davim Margarida Davim | 19/07/2014 14:40:54 1207 Visitas]

    Assuncao Cristas tambem propunha quociente familiar no IRS
    (Jose Sergio/SOL)

    CDS já tinha plano para natalidade há sete anos

    "Introduzir [no IRS] um quociente familiar que entre em linha de conta com o número de filhos”, baixar os preços da água para as famílias numerosas, incentivar o trabalho em part-time dos pais e dar apoios aos avós que cuidam dos netos. São ideias que constam de um relatório elaborado em Novembro de 2007 por Assunção Cristas, mas que parecem tiradas a papel químico das ideias apresentadas esta semana por um grupo nomeado pelo PSD para propor um plano de incentivo à natalidade.


    “No fundo, é um trabalho que não traz novidade nenhuma”, aponta uma fonte do CDS, explicando que muito do que é agora proposto por Joaquim Azevedo - o técnico que liderou o trabalho encomendado por Pedro Passos Coelho - já podia estar em prática caso o primeiro-ministro tivesse usado as ideias do grupo orientado por aquela que é agora a sua ministra da Agricultura. As propostas feitas por Assunção Cristas e Pedro Mota Soares - que também fazia parte do grupo de trabalho do CDS e é hoje ministro da Segurança Social - estão na gaveta há sete anos, apesar de o documento arrancar com uma alusão à “sirene de alarme” que o baixo número de nascimentos verificado em 2006 fez soar. Nesse ano, já Assunção Cristas garantia que o tema era urgente, sublinhando que se estava então perante os mais fracos índices de natalidade desde que se iniciaram os registos oficiais em 1935.

    Pedro Passos Coelho, que encomendou o estudo em Fevereiro na qualidade de líder do PSD, quis pôr a natalidade na agenda, assumindo o tema como uma prioridade para as próximas legislaturas. Mas o anúncio das propostas de Joaquim Azevedo acabou por ser abafado pelo balde de água fria lançado pelo próprio Passos Coelho, quando admitiu que seria preciso estudar quanto custarão as medidas antes de as pôr em prática.

    “Não sei a consequência orçamental e fiscal destas medidas. Teremos que encontrar também alternativas que possam acomodar estes impactos”, reconheceu Passos na apresentação do relatório que não contempla qualquer quantificação dos custos das ideias propostas.

    “Tem, pelo menos, o mérito de pôr o tema na ordem do dia”, comenta um dirigente do CDS, que não esconde que não é animador o facto de as medidas apresentadas para fomentar a natalidade estarem ainda sujeitas a uma análise de custos para se saber se poderão vir a ser postas em prática.

    Não é, no entanto, disfarçável o mal-estar entre os centristas pelo facto de o PSD estar agora a fazer bandeira com um tema que historicamente é caro ao CDS. “Ainda bem que o PSD percebeu que é um assunto importante e que acaba por chegar a conclusões semelhantes às que chegou Assunção Cristas há sete anos”, desabafa uma fonte da direcção de Paulo Portas.

    margarida.davim@sol.pt»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO JORNAL PÚBLICO(?)]

      EXAMES DA 2ª CHAMADA:???

      «(NATÁLIA FARIA 21/07/2014 - 19:46)

      Associação de Professores de Matemática considera que prova da segunda fase de Matemática do 12.º ano “prejudica mais uma vez os alunos”, mas a Sociedade Portuguesa de Matemática diz que o exame é “adequado”


      (Resultados dos exames serão divulgados no dia 4 de Agosto DANIEL ROCHA)

      O exame de Matemática do 12.º ano foi “demasiado extenso” e “não respeitou o programa” curricular, segundo a Associação de Professores de Matemática (APM), cujo vice-presidente Jaime Carvalho considera que os alunos medianos, com médias do secundário entre os 10 e os 12 valores “não têm hipótese nenhuma no exame”.

      A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM), pelo contrário, considera que o exame está em conformidade com o programa dos 11º e 12º anos e que “atendendo a que algumas questões são de tipo análogo a outras já presentes em exames de anos anteriores ou em testes intermédios”, o exame de ontem “permite que o aluno médio, que se tenha preparado devidamente, possa obter uma classificação que reflita adequadamente o seu nível de conhecimentos e preparação”.

      Repete-se assim a discrepância de opiniões evidenciada já no exame da 1ª fase, realizado no dia 26 de Junho, e cujos resultados constituíram a principal excepção na melhoria geral de notas nas várias disciplinas. A média fixou-se nos 7,8 valores contra os 8,2 valores do ano anterior.

      Com 29.490 alunos inscritos (embora apenas 27.722 tenham comparecido), o exame terá os seus resultados divulgados no dia 4 de Agosto. O vice-presidente da APM não prognostica nada de bom. “Este exame voltou a ser mais difícil do que os que foram sendo dados ao longo do ano lectivo e o seu grau de exigência não está adequado”, considera, para lembrar que, no exame da primeira fase, já se tinha verificado uma discrepância de três valores entre os resultados dos exames e a classificação final interna das escolas. “Uma prova não se pode fazer só para alunos dotados e esta variação de três valores significa que um aluno de 12 valores tira 9 no exame, o que o impede, na prática, de se candidatar aos cursos em que a Matemática seja a disciplina específica, como as Ciências, Engenharia e Economia”, sustenta Jaime Carvalho.

      Depois de ter reunido um grupo de professores que resolveu e analisou a prova, a APM concluiu que, além de extensa, a prova “insiste exageradamente no cálculo”. Acresce que “não respeita o programa porque, mais uma vez, não incluiu nenhuma questão de aplicações da Matemática, tal como acontecera na primeira fase, e isto é anacrónico porque no teste intermédio que os alunos tiveram de fazer em Abril havia uma questão dessas”. Por último, Jaime Carvalho e Silva sustenta que a questão 1.2 “é relativa à resolução de uma equação com números complexos que não faz parte do programa”.

      Considerando que “os alunos estão mais uma vez a ser prejudicados”, o vice-presidente da APM critica ainda o facto de a prova começar “por uma questão das mais difíceis", o que terá feito com que muitos alunos tenham perdido "demasiado tempo logo na primeira questão”.

      A média de 7,8 valores registada nos exames da 1ª fase foi a mais baixa dos últimos oito anos. Em 2007 a Matemática A obteve 9,4 valores, tendo subido para os 12,5 no ano seguinte.»

      (ENVIADO POR:A.M.)

      NB:AQUI, AS MÉDIAS REFERIDAS NA 1ª CHAMADA, DIZEM RESPEITO À TOTALIDADE DOS ALUNOS QUE REALIZARAM A PROVA (alunos internos e externos).

      Eliminar
  79. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO JORNAL PÚBLICO(?)]

    EXAMES DA 2ª CHAMADA:???

    «(NATÁLIA FARIA 21/07/2014 - 19:46)

    Associação de Professores de Matemática considera que prova da segunda fase de Matemática do 12.º ano “prejudica mais uma vez os alunos”, mas a Sociedade Portuguesa de Matemática diz que o exame é “adequado”


    (Resultados dos exames serão divulgados no dia 4 de Agosto DANIEL ROCHA)

    O exame de Matemática do 12.º ano foi “demasiado extenso” e “não respeitou o programa” curricular, segundo a Associação de Professores de Matemática (APM), cujo vice-presidente Jaime Carvalho considera que os alunos medianos, com médias do secundário entre os 10 e os 12 valores “não têm hipótese nenhuma no exame”.

    A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM), pelo contrário, considera que o exame está em conformidade com o programa dos 11º e 12º anos e que “atendendo a que algumas questões são de tipo análogo a outras já presentes em exames de anos anteriores ou em testes intermédios”, o exame de ontem “permite que o aluno médio, que se tenha preparado devidamente, possa obter uma classificação que reflita adequadamente o seu nível de conhecimentos e preparação”.

    Repete-se assim a discrepância de opiniões evidenciada já no exame da 1ª fase, realizado no dia 26 de Junho, e cujos resultados constituíram a principal excepção na melhoria geral de notas nas várias disciplinas. A média fixou-se nos 7,8 valores contra os 8,2 valores do ano anterior.

    Com 29.490 alunos inscritos (embora apenas 27.722 tenham comparecido), o exame terá os seus resultados divulgados no dia 4 de Agosto. O vice-presidente da APM não prognostica nada de bom. “Este exame voltou a ser mais difícil do que os que foram sendo dados ao longo do ano lectivo e o seu grau de exigência não está adequado”, considera, para lembrar que, no exame da primeira fase, já se tinha verificado uma discrepância de três valores entre os resultados dos exames e a classificação final interna das escolas. “Uma prova não se pode fazer só para alunos dotados e esta variação de três valores significa que um aluno de 12 valores tira 9 no exame, o que o impede, na prática, de se candidatar aos cursos em que a Matemática seja a disciplina específica, como as Ciências, Engenharia e Economia”, sustenta Jaime Carvalho.

    Depois de ter reunido um grupo de professores que resolveu e analisou a prova, a APM concluiu que, além de extensa, a prova “insiste exageradamente no cálculo”. Acresce que “não respeita o programa porque, mais uma vez, não incluiu nenhuma questão de aplicações da Matemática, tal como acontecera na primeira fase, e isto é anacrónico porque no teste intermédio que os alunos tiveram de fazer em Abril havia uma questão dessas”. Por último, Jaime Carvalho e Silva sustenta que a questão 1.2 “é relativa à resolução de uma equação com números complexos que não faz parte do programa”.

    Considerando que “os alunos estão mais uma vez a ser prejudicados”, o vice-presidente da APM critica ainda o facto de a prova começar “por uma questão das mais difíceis", o que terá feito com que muitos alunos tenham perdido "demasiado tempo logo na primeira questão”.

    A média de 7,8 valores registada nos exames da 1ª fase foi a mais baixa dos últimos oito anos. Em 2007 a Matemática A obteve 9,4 valores, tendo subido para os 12,5 no ano seguinte.»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    NB:AQUI, AS MÉDIAS REFERIDAS NA 1ª CHAMADA, DIZEM RESPEITO À TOTALIDADE DOS ALUNOS QUE REALIZARAM A PROVA (alunos internos e externos).

    ResponderEliminar
  80. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(21/7)]

    QUAL VAI SER O FUTURO DA COLIGAÇÃO PSD/CDS?!(a opinião de miguel sousa tavares)

    «Sousa Tavares "CDS não quer assinar já um cheque em branco com o PSD"
    No seu comentário semanal no ‘Jornal da Noite’ da SIC, Miguel de Sousa Tavares afirma que uma possível coligação entre o Partido Socialista (PS) e o CDS poderá fazer tremer o PSD, que “quer forçar já um acordo” com os centristas.

    [POLÍTICA CDS não quer assinar já um cheque em branco com o PSD DR
    20:20 - 21 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    “Já vimos um governo de coligação entre o Partido Socialista e o CDS, e isso prejudica o PSD que quer forçar já um acordo com o CDS”, disse Miguel de Sousa Tavares quando questionado sobre a possibilidade do PS se unir ao centro.

    No seu espaço de análise na SIC, o comentador garante que o “CDS quer respostas antes de se comprometer com um ano de distância”, frisando que os centristas continuam à espera de respostas a questões referentes com a baixa do IRS, a execução orçamental, as linhas para o Orçamento do próximo ano e até mesmo a escolha de um candidato para Belém.

    Para Miguel de Sousa Tavares, o “CDS não quer assinar já um cheque em branco com o PSD”, deixando no ar a possibilidade da coligação governativa não se voltar a repetir.»

    (ENVIADO POR:A.M.)

    ResponderEliminar
  81. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO CM(23/7)]

    ???

    Emigração Grupo de 15 portugueses enganado em França Viveram em condições lamentáveis durante 15 dias, depois de partirem com a esperança de trabalharem um ano com um salário de 12 euros à hora. Notícia exclusiva da edição em papel (Clique para saber como funcionam os exclusivos CM)

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/grupo-de-15-portugueses-enganado-em-franca

    ResponderEliminar
  82. [TRAZIDO DO SITE DA REVISTA VISÃO(25/7)]

    POLITICA NACIONAL:???

    «Página inicial | Actualidade | Portugal | Exame aos deputados

    Exame aos deputados

    Quem trabalhou mais e menos, quem mais interveio ou quem ficou em silêncio, quem faltou mais e quem foi mais assíduo na sessão legislativa que terminou este mês

    Inês Rapazote e Isabel Nery (artigo publicado na VISÃO nº1114, de 10 de julho)
    11:00 Sexta feira, 25 de Julho de 2014 | 1 comentário
    910 11 Comentar Imprimir Email

    Estivéssemos nós no final do ano letivo e o socialista Francisco Assis estaria chumbado por faltas. Nem a justificação de ter tido, durante esta sessão legislativa, muito trabalho político na preparação das eleições europeias (afinal, foi o cabeça de lista do PS) lhe serviria de atenuante. Entre justificadas e não justificadas, faltou a 46 sessões plenárias, quase tantas vezes quantas as que esteve presente (55). Mas a questão deixou de importar. Assis não terá de prestar qualquer tipo de provas, para se mostrar apto a "passar de ano". A interrupção dos trabalhos está por dias (as férias parlamentares devem começar após o debate de dia 25) e a verdade é que Francisco Assis interrompeu o mandato de deputado no dia 1 de julho, para assumir o seu lugar no Parlamento Europeu.

    No extremo oposto, a passar de ano com grande distinção, está o líder parlamentar do PCP, João Oliveira. Não faltou uma única vez, e teve uma produção exemplar. Só em plenário, apresentou 183 iniciativas legislativas e efetuou 42 intervenções, muito acima de qualquer outro deputado, mesmo os do PCP que, tradicionalmente, estão no topo da tabela (ver infografia). Só que, bem vistas as coisas, o mérito não é só dele. O facto de ser presidente do grupo parlamentar comunista faz com que assine quase todas as iniciativas apresentadas pela sua bancada.

    No terceiro lugar desta lista de deputados-legisladores aparece Mariana Mortágua, que não é líder parlamentar do Bloco de Esquerda, mas conta com 128 iniciativas e 73 intervenções. Destaca-se, no trabalho em plenário, não há dúvida. Mas onde dispara é nos requerimentos e perguntas feitas a outras entidades. Os primeiros requerem informação complementar (papelada), as segundas procuram um esclarecimento sobre qualquer coisa.

    (CONT)

    ResponderEliminar
  83. (CONT.)

    Os números não falam por si
    Com a energia e curiosidade dos seus 28 anos, Mortágua não teve qualquer pudor em apresentar 3 454 requerimentos e perguntas, durante a terceira sessão legislativa. Um deles (um texto e seis perguntas sobre os serviços prestados pelos CTT) foi enviado a mais de 3 mil entidades (3 087, para sermos precisos). Outro, sobre direitos de passagem, foi replicado 310 vezes. Não lhe retira mérito, mas não se pode dizer que tenha escrito 3 454 textos sobre problemáticas diferentes. esse é mais o género de Carla Cruz, e dos seus 291 requerimentos apresentados com a chancela do PCP.

    Em tom divertido, José Lino Ramos, do CDS, confessa que até gostava que se dissesse que trabalha "muito, muito". Cabe-lhe a medalha de prata relativa ao número de requerimentos e perguntas mas, explica, tal tem a ver com o facto de estar na 11.ª Comissão parlamentar (ao todo são 12), que "tutela" o poder local. "Ainda que trabalhasse dez vezes mais na Comissão de Negócios Estrangeiros, nunca poderia obter esse resultado, porque a natureza dessa Comissão não se presta a isso." Nota máxima pela honestidade. Interessa, pois, saber o que é que cada parlamentar faz com a informação recolhida.

    A quantidade estrondosa de requerimentos de Mariana Mortágua prende-se com a mesma problemática. "Recebemos várias queixas de que o serviço [de distribuição dos CTT] não era feito diariamente e o secretário de Estado garantia que era", explicou à VISÃO. "A forma mais eficaz porque pormenorizada de saber era perguntar a todos os presidentes de junta como era feita a distribuição." Apertaram a malha e estão agora a receber as respostas, a compilá-las numa base de dados para poderem, a seu tempo, "provar que as razões das denúncias existiam". E os dados recolhidos deverão ser usados num próximo debate, "para g arantir que o ser viço é feito diariamente, como manda a lei".

    (CONT)

    ResponderEliminar
  84. (CONT.)

    A cada um o tempo que merece
    A avaliação dos deputados é possível de fazer, mas não é tão linear quanto parece. Tudo tem de ser visto e ponderado. Convém não crucificar (nem elogiar) ao primeiro olhar. Como comparar, por exemplo, a performance de Ana Sofia Bettencourt com a de Maria João Ávila? São ambas do PSD, ambas não apresentaram nem perguntas nem requerimentos. Nenhuma das duas interveio em plenário. E tanto uma como outra, só subscreveu uma iniciativa parlamentar (de que não são primeiras nem segundas subscritoras).

    Explica-se: Ana Sofia Bettencourt suspendeu o mandato durante quase seis meses para assumir o cargo de vereadora da Câmara de Cascais e só voltou em abril. Ou seja, teve apenas quatro dos dez meses de Parlamento para mostrar o que vale. E não pertenceu a nenhuma comissão (é apenas suplente). Maria João Ávila esteve em São Bento durante toda a sessão. Eleita pelo círculo Fora da Europa, poderiam esperar-se várias ausências em missão parlamentar. Errado. Só fez uma viagem, em fevereiro, com o Presidente da República, a Toronto. Outro caso: Eduardo Ferro Rodrigues. Economista, ex-ministro, ex-representante de Portugal na OCDE, é apenas suplente na Comissão dos Negócios Estrangeiros. No plenário, só se encontra registada uma iniciativa por si subscrita, com outros deputados, sobre o processo de venda da coleção Miró, e três declarações de voto.

    Atrizes e músicas também sabem legislar
    Os grupos parlamentares maiores têm menos espaço para cada deputado. Nem todos podem, por exemplo, intervir (recorde-se a "guerra" de Manuel Maria Carrilho, a quem não era dada oportunidade de falar as vezes que entendia). A gestão mediática é criteriosa e a gestão política também. Nem todos podem, nos grupos maiores, ser presidente ou vice-presidente de uma comissão. Nem sequer coordenadores. Um problema de que Os Verdes não padecem. Pelo contrário. Heloísa Apolónia e José Luís Ferreira têm de fazer milagres para se desdobrar. Quer queiram quer não, cada um tem a cargo três comissões como efetivos e outras três como suplentes. Têm de gerir o tempo e as guerras... e, mesmo assim, nenhum dos dois se deu ao luxo de faltar a uma reunião plenária. Licenciados em Direito, terão certamente facilidade em escrever projetos de lei, de resolução ou de deliberação (cada um conta com mais de 35 iniciativas apresentadas).

    A formação académica não parece, porém, suficiente para explicar a produção legislativa. Hoje, um terço dos deputados têm licenciatura em Direito. Arménio Santos e Carlos Costa Neves, do PSD, são ambos advogados e não tomaram uma única iniciativa durante esta sessão. Inês de Medeiros é atriz e tomou 10 e Gabriela Canavilhas, música, nove; Pedro Filipe Soares é matemático e assinou 133 e Paulo Sá, doutorado em Física, 158.

    O trabalho parlamentar não se reduz ao que se vê na televisão. Nem é tão linear como se poderia esperar, o que dificulta toda e qualquer avaliação. Um licenciado em Direito pode não produzir iniciativas mas ter a responsabilidade de presidir a uma comissão ou de exercer um cargo que o obriga a viajar muito (Adão Silva, do PSD, esteve em duas missões de observação eleitoral). Ou estar mergulhado numa qualquer comissão eventual ou de inquérito (que não são permanentes). Um deputado pode investir algum do seu tempo nos debates nas escolas ou nas sessões de esclarecimento (é o caso de João Prata, professor, que foi oito vezes à Guarda). Ou sair periodicamente da capital para se encontrar com os seus eleitores, onde quer que seja o seu círculo eleitoral (Acácio Pinto, Elza Pais, Hélder Amaral e José Junqueiro, todos eleitos por Viseu, a cerca de 300 quilómetros de Lisboa efetuam assiduamente esses contactos).

    Enfim, o ano letivo acabou mas a sessão parlamentar continua até setembro. É apenas interrompida agora, porque os deputados, apesar de tudo, também merecem férias.



    Ler mais: http://visao.sapo.pt/exame-aos-deputados=f790808#ixzz38W83pn1n

    ResponderEliminar
  85. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF(25/7)]

    POLITICA NACIONAL:???

    «Parlamento aprova reintrodução dos cortes salariais no setor público
    Publicado hoje às 14:27

    A Assembleia da República aprovou hoje, apenas com os votos dos partidos que sustentam o Governo, PSD e CDS-PP, a reintrodução dos cortes entre 3,5% e 10% nos salários do setor público acima dos 1.500 euros.

    A medida prevê também a reversão dos cortes já em 2015, devolvendo no próximo ano 20% do valor reduzido, e «conforme disponibilidade orçamental e da evolução da massa salarial» num prazo máximo de cinco anos.

    Os deputados do PSD e CDS-PP votaram a favor, enquanto PS, PCP, Bloco de Esquerda e Verdes votaram contra a proposta de lei do Governo para a reintrodução dos cortes nos salários acima dos 1.500 euros. PCP e BE ainda apresentaram requerimentos para fazer cair a medida, mas acabaram por ser rejeitados.

    A deputada do BE Mariana Aiveca acabou por acusar o Governo de estar «a roubar os salários» da função pública, o que motivou uma resposta do líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, «repudiando a linguagem» usada.

    O Parlamento aprovou ainda as medidas que substituem a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) ou seja a nova Contribuição de Sustentabilidade, o agravamento das contribuições para a Segurança Social e o aumento da taxa máxima do IVA.

    Os votos dos partidos que sustentam o Governo, PSD e CDS-PP, bastaram para aprovar a introdução da nova contribuição de sustentabilidade, já que PS, PCP, BE e Verdes votaram contra esta medida. PCP e Bloco apresentaram requerimentos que pretendiam fazer cair estas medidas, considerando que a nova contribuição «padece de inconstitucionalidade manifesta» e «visa tornar definitivo o corte nas pensões».

    Relacionados

    Jerónimo acusa PM de ter requisitado Cavaco para fiscalização preventiva
    Publicado hoje às 16:58
    Aprovado regime sancionatório dos maus tratos contra animais
    Publicado hoje às 15:13
    Divergências no Parlamento sobre situação em Gaza
    Publicado hoje às 14:45
    AR: Voto a condenar admissão da Guiné Equatorial na CPLP chumbado mas divide PS
    Publicado hoje às 14:22»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  86. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF(25/7)]

    ESTUDO EUROPEU:???

    «Maioria dos portugueses receia que pior da crise ainda está para vir
    Publicado hoje às 12:50

    Os portugueses são dos cidadãos europeus mais insatisfeitos e pessimistas com a situação económica, com uma maioria (52%) a recear que o impacto da crise no emprego vai piorar, segundo um inquérito divulgado pela Comissão Europeia.

    O "eurobarómetro da primavera" revela que, pela primeira vez desde há vários anos, uma maioria dos europeus considera que a situação económica melhorará nos próximos 12 meses e crê que o impacto da crise sobre o mercado de trabalho já atingiu o seu máximo, mas os portugueses encontram-se entre aqueles que permanecem pessimistas.

    De acordo com o inquérito, 96% dos portugueses consideram «má» a situação económica no país - o valor mais alto entre os 28, juntamente com Grécia e Espanha, e muito acima da média da UE, de 63% -, e 52% temem que «o pior está ainda para vir» no mercado de trabalho, sendo
    Portugal um dos seis Estados-membros onde este sentimento predomina (juntamente com França, Chipre, Grécia, Eslovénia e Itália), enquanto no conjunto da UE já são mais aqueles que pensam que o pior já passou (47% contra 44%).

    Por outro lado, mais de um terço dos portugueses (38%) admite recear cair em situação de pobreza -- o nono valor mais alto da UE, numa classificação encabeçada pelos gregos -, e uma grande maioria (70%) considera que o principal problema com que o país se confronta é o desemprego, embora, a nível pessoal, apontem na sua maioria (47%) o aumento dos preços e inflação.

    Com uma esmagadora maioria (85%) a manifestar pouca confiança no Governo nacional (contra 68% na média europeia), Portugal é também dos países onde mais inquiridos (33%) consideram que quem está em melhores condições de tomar ações efetivas contra a crise é a União Europeia (contra 24% da média comunitária).»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  87. VOILÁ UM NOVO VISITANTE:

    «VOILÁ UM NOVO VISITANTE:

    408 Request Time-out

    Your browser didn't send a complete request in time.»

    ResponderEliminar
  88. CURIOSIDADE:QUEM NOS VISITA:

    URLs de referência
    Entrada Visualizações de páginas
    https://www.google.pt/
    5
    http://www.google.com/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&docid=aITmE2ST4-4I6M&tbnid=yOfyZd0esL9WIM:&ved=0CAUQjRw&url=http%3A%2F%2Ftaroucando.blogspot.com%2F2014_03_01_archive.html&ei=pMLTU7KyGc7mPJ6XgaAP&bvm=bv.71778758,d.ZGU&psig=AFQjCNHnLVXvK5P10c1OxHM2N5ZiZNlSUw&ust=1406473234537724
    1
    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
  89. [TRAZIDO DO FB:CONTA DA TSF(25/7)]

    DIA MUNDIAL DOS AVÓS/ESTUDO:A IMPORTÂNCIA DOS NETOS NA VIDA DOS AVÓS

    «Envelhecer é melhor com os netos
    (Publicado ontem às 16:20)

    A propósito do Dia dos Avós, que se celebra este sábado, a investigadora Sofia von Humboldt diz que a relação dos idosos com os netos é a que mais contribui para que envelheçam de uma forma saudável, mais do que com os filhos e os cônjuges.

    Sofia von Humboldt desenvolveu um conjunto de estudos que visou aferir os fatores que os idosos consideram como mais importantes para um «ajustamento positivo ao seu processo de envelhecimento».

    Os estudos, que envolveram duas amostras com 1.270 e 1.291 idosos com mais de 75 anos, revelaram que a importância dada à interação com os netos é «significativamente superior» em relação à que têm com os filhos e os cônjuges.

    «Estávamos à espera que fossem os filhos e os cônjuges a terem um peso mais significativo», mas o que verificámos foi que para os entrevistados os netos são mais importantes para «envelhecerem melhor e de uma forma saudável"» disse à agência Lusa a investigadora da Unidade de Investigação de Psicologia e Saúde do ISPA - Instituto Universitário.

    A investigadora, que falava à Lusa a propósito do Dia Nacional do Avós, que se assinala no sábado, disse que os idosos valorizaram não o facto de estarem ocupados, mas sim as relações que mantém com os netos do ponto de vista emocional.

    «O facto de terem netos obriga-os a ter ritmos próprios» e serem participativos na vida dos netos, com responsabilidade, o que é encarado de uma forma positiva.
    «Isto acontece numa fase da vida em que os idosos procuram relações, não em quantidade ou diversidade, mas em profundidade do ponto de vista afetivo e sócio emocional», sendo que os «netos conseguem contribuir para isso», explicou.

    Os resultados do estudo indicaram ainda que os netos, mais do que os cônjuges, fornecem uma importante rede de apoio, comunicação e assistência, em particular quando a saúde e mobilidade dos idosos diminuiu, em idades mais avançadas.

    Quando os idosos chegam a uma idade mais avançada centram-se, muitas vezes, nos aspetos do corpo relacionados com a doença, a dor ou a capacidade física.

    O poderem pegar ao colo os netos, dar um abraço, um beijinho faz com que tenham «um contacto físico muito natural e que não vem carregado com nenhum simbolismo associado à doença».

    A criação do Dia Nacional dos Avós foi aprovada na Assembleia da República, a 22 de maio de 2003, por iniciativa da deputada social-democrata Ana Manso, eleita pelo distrito da Guarda.
    Artigo Parcial»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  90. [TRAZIDO DO JORNAL PÚBLICO(26/7)]

    DIA MUNDIAL DOS AVÓS: IMPORTÂNCIA DOS AVÓS NA VIDA DOS NETOS E RESTANTE FAMILIA!

    «Avós já não substituem infantários mas têm papel fundamental na vida dos netos

    (ANA BÁRBARA MATOS 26/07/2014 - 07:42)

    Envelhecimento, aumento da idade da reforma e cortes nas pensões estão a transformar a prestação de cuidados dos avós aos netos. O recurso aos avós para cuidados a tempo inteiro tem muitas vezes razões económicas, sendo que a crise tem agudizado a ajuda financeira dos avós.
    Este sábado é Dia Mundial dos Avós.

    Os avós portugueses são, entre os europeus, dos que mais cuidam dos netos a tempo inteiro, segundo um estudo recente. Esta é, contudo, uma realidade em transformação, de acordo com a investigadora em sociologia da família Karin Wall, que diz que os avós deixaram de ser “a principal solução de guarda das crianças” devido à assumida importância da pré-escola. Os avós mantêm, ainda assim, um papel “fundamental” na família e na prestação de cuidados aos netos.

    Os países do sul da Europa, entre os quais Portugal, são os que apresentam uma maior percentagem de avós a cuidar de netos a tempo inteiro, revela o estudo A prestação de cuidados pelos avós na Europa, publicado recentemente pela Fundação Calouste Gulbenkian. Entre os 11 países estudados, Portugal é o que apresenta a mais elevada percentagem de mães com filhos com idades inferiores a seis anos que trabalham a tempo inteiro, o que justifica, em parte, a maior dependência dos cuidados intensivos prestados pelos avós.

    Os autores concluem que esta tendência relaciona-se com a falta de creches e infantários a preços acessíveis, limitadas prestações sociais pagas aos pais, e poucas oportunidades para as mães trabalharem a tempo parcial. No entanto, a socióloga Karin Wall considera “abusiva” a explicação e lembra que a rede de infantários tem crescido nos últimos anos e que a escola primária em Portugal é a tempo inteiro. A investigadora confere que a geração de avós dos últimos dez anos tem tomado conta dos netos a tempo inteiro, mas afirma que a situação está a mudar.

    “Agora há uma aceitação geral de que a criança com dois ou três anos deve ir para o jardim-de-infância”, afirma. Cerca de 40% das crianças são criadas em creches e infantários, portanto, os avós continuam a dar apoio no dia-a-dia, mas já não substituem o cuidado e o acompanhamento pedagógico profissional. No entanto, um terço das crianças, sobretudo antes de irem para a pré-escola, ainda são criadas pelos avós, que são uma solução ocasional “importantíssima”.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (CONTiNUAÇÃO)

      É o caso, por exemplo, de Teresa Brandão, agora com quatro anos. Passava os dias “e até as noites” com a avó Maria José e o avô Costa, mas ao completar três anos foi para a pré-escola. “Deixou-me muita pena”, lamenta a avó “Zeza”, recordando como passavam os dias em brincadeiras e a contar histórias com lições de vida. “A Teresa é uma terceira filha para mim, usufruo mais dela e acompanho todos os seus passos”, explica, para recordar que com a sua filha "tinha que trabalhar”.

      Karin Wall diz que esta é uma grande mudança nas famílias: “Os avós já não são uma figura de autoridade, querem brincar, cuidar, criar laços afectivos. Assumem um papel de vigilância dos filhos e netos, um pouco à rectaguarda”. No entanto, num cenário em que avós, filhos e netos convivem no mesmo agregado familiar, muitas vezes os avós adquirem um maior protagonismo e “substituem” os pais. O avô Costa e a avó Maria José garantem: “Mesmo quando os pais estão em casa, ela prefere estar na nossa casa. Quando cai e magoa-se, só chama pela avó”.

      “É preciso negociar a forma de coordenação entre educação parental e a educação dada pelos avós, que normalmente é mais permissiva”, defende Karin Wall. Maria José considera que actualmente os pais são mais rigorosos, mas recusa a ideia de que os avós “estragam” os netos: “O que eu fazia à minha filha é o que faço à minha neta”. A avó ressalva, contudo, a importância de não haver um “choque” entre pais e avós. A socióloga considera-os normais, mas defende a existência de mais informação sobre como gerir as diferenças inter-geracionais.

      O recurso aos cuidados a tempo inteiro dos avós tem muitas vezes razões económicas, mas o impacto financeiro do apoio dos avós vai para além do dinheiro poupado em jardins-de-infância ou actividades. Karin Wall refere que os estudos em que tem participado – o mais recente no ano passado – revelam que o apoio financeiro dos avós aos filhos e netos é muito importante, sobretudo nas famílias desfavorecidas.

      Maria José e Basílio Costa, avós de Teresa, confirmam: “Também ajudamos financeiramente. Sentimo-nos na obrigação”.

      A socióloga alerta, no entanto, que a crise está a ter um “impacto terrível” no apoio financeiro. “Com os cortes nas pensões, os avós têm menos possibilidades de ajudar”. Também o estudo A prestação de cuidados pelos avós na Europa refere que o “papel vital” dos avós na prestação de cuidados infantis “pode colidir com as suas capacidades de autofinanciamento numa situação de crise e cortes nas pensões”.

      MAIS
      Portugal é o país com mais mães com filhos menores de seis anos a trabalhar a tempo inteiro

      Eliminar
  91. [TRAZIDO DO FB:JORNAL PÚBLICO(25/7)]

    EXAMES:RESULTADOS DOS EXAMES DE "RECUPERAÇÃO DO 1º e 2º CICLOS

    «Apoio extra “recupera” mais de um terço dos alunos a Português, mas poucos a Matemática

    (ANDREIA SANCHES 25/07/2014 - 21:44)

    Resultados da 2.ª fase dos exames no 4.º e 6.º anos mostram que a maioria das crianças continua a ter negativa. Na Matemática, são mais de 14 mil os que têm 2 ou menos valores.


    [“O impacto dessas notas na passagem de ciclo só será conhecido após a sua análise pela escola", diz ministério NELSON GARRIDO]

    Entre 35% e 38% dos alunos melhoraram a Português nas provas destinadas a recuperar quem tem piores resultados. Menos (entre 5% e 13%) fizeram o mesmo a Matemática. Foram divulgadas nesta sexta-feira as classificações da 2.ª fase dos exames finais de 1.º e 2.º ciclo.

    Estas provas são realizadas essencialmente por alunos que após reunião do conselho de turma ficam retidos e aos quais é dada a possibilidade de frequentar um período de apoio extraordinário, oferecido pelas escolas, que se prolonga pelas férias adentro — uma espécie de segunda oportunidade de melhoria de nota e de aprovação.

    Segundo o comunicado do Ministério da Educação e Ciência (MEC), no 1.º ciclo, os resultados indicam que em Português 38% dos alunos conseguiram passar de uma classificação negativa para uma classificação positiva, ficando assim aprovados à disciplina. Esse foi também o caso para 13% dos alunos que realizaram a prova de Matemática.

    Estes são dados muito diferentes dos observados no ano passado. Há um aumento da percentagem de alunos com classificações superiores ao nível 2 (numa escala de 1 a 5 valores) na prova de Português, de 7% para 38%. Quanto à prova de Matemática observa-se uma diminuição de 22% para 13% — ou seja, menos crianças conseguiram recuperar resultados nesta disciplina.

    Mas a principal novidade deste ano é que os alunos do 2.º ciclo do ensino básico foram igualmente abrangidos por esta possibilidade de ter apoio extraordinário antes do exame. Os resultados são estes: 35% das crianças conseguiram recuperar em Português e 5% em Matemática.

    “O impacto dessas notas na passagem de ciclo só será conhecido após a sua análise pela escola à luz das demais classificações dos alunos”, lembra o comunicado do ministério. Que recorda ainda: “Os alunos que realizaram esta 2.ª fase dos exames nacionais são aqueles que demonstraram maiores dificuldades ao longo do ano lectivo. Não é surpreendente que as médias das classificações das provas finais sejam relativamente baixas.”

    Assim, no 1.º ciclo, 87% continuam a ter apenas 1 ou 2 valores no exame de Matemática (mais de 3000 chumbam na prova) e no 2.º ciclo a percentagem é de 95%, o que corresponde a 11 mil crianças. A Português a taxa de negativas é, no 1.º ciclo, de 62% (1500 crianças) e de 65% no 2.º ciclo (mais de 5500 crianças).

    Em Maio, 220 mil alunos do 4.º e do 6.º ano fizeram provas nacionais. No caso das crianças mais novas, a classificação média na prova da língua materna subiu de 48,7% para 62,2%. No 6.º ano, o destaque foi para as notas de Matemática, que continuaram a baixar: mais de metade dos finalistas do 2.º ciclo não chegaram à positiva e a classificação média nacional afundou-se um pouco mais, para os 47,3% (os dados então divulgados eram apresentados não numa escala de 1 a 5 mas numa escala de 1% a 100%).

    Apenas uma pequena parte desses alunos prestaram provas nesta 2.º fase: 2443 alunos do 4.º ano (1.º ciclo) fizeram o exame de Português e 3569 o de Matemática. No 6.º ano (2.º ciclo) 8477 fizeram Português e quase 12 mil Matemática.

    O ministério faz questão de sublinhar “o esforço dos professores neste período suplementar” de apoio, que permitiu que os alunos tivessem uma segunda oportunidade e reforçassem a base a partir da qual iniciarão o próximo ano lectivo.

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  92. ???

    «
    Esta página Web não está disponível

    Menos
    A página Web em http://govome.inspsearch.com/search/web?fcoid=417&fcop=topnav&fpid=2&q=taroucando&ql= poderá estar temporariamente inactiva ou poderá ter sido movida permanentemente para um novo endereço Web.
    Código de erro: ERR_INVALID_ARGUMENT»

    ResponderEliminar
  93. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(?)]

    LÍDER DO PSD-MADEIRA:???

    «Alberto João Jardim "Esqueçam que existi. Deixem-me em paz"

    Quarenta anos. Quarenta ‘redondos’ anos a comandar a Madeira.
    Quarenta anos que Alberto João Jardim quer que terminem agora, ou no máximo em outubro do próximo ano. Em entrevista ao Expresso, o social-democrata falou de Passos Coelho, com quem não “acerta”, da falta de “dinheiro para brincadeiras” [leia-se uma possível candidatura a Belém] e da vontade de ser esquecido. É um ‘rei’ que já não quer mais brincar aos tronos.

    [POLÍTICA Esqueçam que existi. Deixem-me em paz DR
    08:34 - 26 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    “Agora deixem-me à vontade. Não tenho planos por enquanto. Não se metam na minha vida, esqueçam que eu existi. Deixem-me em paz”. Alberto João Jardim não diz: “não quero ser mais presidente do governo [regional da Madeira].

    É o fim de 40 anos no poder e engane-se se pensa que Jardim tem novas ‘rotas’ em mente. Ao Expresso, o social-democrata garante que apenas fica na liderança da Madeira até outubro “se o partido quiser” e refuta já qualquer hipótese de se candidatar a Belém. “É louco! Tenho 71 anos”, justificou.

    Alberto João Jardim está ‘cansado’ mas não deixa de louvar o seu trabalho feio nas últimas quatro décadas. “Se a Madeira estivesse cansada não me tinha dado dez maiorias absolutas”, atira, frisando que procurou sempre “ter razão” ao invés “de força”.

    Depois de “garantir já” que não é candidato às próximas eleições, o madeirense destaca ainda que não irá “ficar num cargo se o partido não quiser”, frisando que entrega a presidência da região “se o novo líder preferir eleições antecipadas”.

    Mas Jardim não está apenas cansado da liderança, está cansado do PSD. “Eu nunca estive tão diferenciado de um governo do meu partido como deste. Aliás, talvez por relações pessoais, não sei…”, diz, justificando que, “nunca” teve “uma grande relação com o primeiro-ministro”.

    A diferença entre o liberalismo de Passos e o conservadorismo de Jardim é de maneira tal “que a gente não acerta”. Além disso, o presidente do Governo Regional da Madeira critica ainda o facto de Passos ser um “primeiro-ministro frio”, sem capacidade de contornar algumas situações, destacando, aqui, que deveria “ter sido mais reivindicativo em relação aos credores”.

    “Sabe, a política é feita de pessoas e famílias, a política não é só Orçamento do Estado”, critica.»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  94. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(25/7)]

    POLITICA NACIONAL:O QUE FIZERAM OS N/POLITICOS ANTES DE PARTIREM PRA VACANSES?!

    «Parlamento Maus-tratos a animais, cortes salariais e jogo online a plenário

    O último plenário da atual sessão legislativa deverá aprovar hoje a criminalização dos maus-tratos aos animais de companhia, a contribuição de sustentabilidade, as reduções salariais e o regime de jogo 'online'.

    [POLÍTICA Maus-tratos a animais, cortes salariais e jogo online a plenário Lusa:06:30 - 25 de Julho de 2014 | Por Lusa]

    Nem todas as matérias constam do guião ainda provisório das votações, que na quinta-feira já contava com 17 páginas, como o regime do jogo ´online' e a iniciativa sobre a fixação dos cortes nas subvenções dos partidos e os limites de despesas das campanhas eleitorais, sendo a última discutida numa reunião da comissão de Assuntos Constitucionais que antecede o plenário.

    O último plenário antes das férias parlamentares é tradicionalmente um plenário longo, tendo sido exclusivamente convocado para votações, mas não é o fim dos trabalhos parlamentares, que prosseguem até ao final do mês de julho nas comissões.

    Matérias como a maternidade de substituição e a transformação da violação num crime público, que se encontram em discussão em grupos de trabalho, passarão para a próxima sessão legislativa.

    Os deputados deverão aprovar a contribuição de sustentabilidade, que substitui a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES), solução que inclui o acréscimo do IVA e da TSU (com efeito a 1 de janeiro de 2015), bem como a reposição das reduções salariais.

    O parlamento votará também a proposta do Governo para os jogos ´online', em forma de autorização legislativa, que propõe um "regime aberto, por licença, sem concessão de exclusivos", contando com a oposição anunciada do deputado do CDS-PP Ribeiro e Castro.

    A criminalização dos maus-tratos a animais de companhia, que abrange o abandono, é outro dos projetos de lei que vai a votação, estabelecendo uma "pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias" para quem pratique esses maus-tratos, que, no caso de morte do animal de companhia ou ferimentos graves que deixem sequelas pode ir "até dois anos ou com pena de multa até 240 dias".

    Esta iniciativa legislativa já se encontra no guião provisório de votações, ao contrário das iniciativas acerca das subvenções partidárias, que serão discutidas na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, que tem uma reunião marcada para as 10:00, duas horas antes do início do plenário.

    Nesta discussão, o PS tem ficado isolado na defesa da interpretação que faz dos cortes aprovados em 2010 e de 2013, afirmando que não são cumulativos e classificando a proposta da maioria como "uma trapalhada contra o PS, que ganhou as eleições [autárquicas de 2013] livremente e tem direito ao que tem direito".

    O parlamento deverá também aprovar as propostas de lei que alteram a Lei de Defesa Nacional e a Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas, que preveem o reforço das competências do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas.

    Os deputados votam também a proposta de lei do Governo que altera os estatutos da Casa do Douro (CD), que se transformará numa associação de direito privado e de inscrição voluntária, uma iniciativa legislativa que está inserida num plano do executivo relativo à dívida de cerca de 160 milhões de euros da instituição, que passa ainda por um acordo de dação em cumprimento, que visa a entrega de vinho para pagamento da dívida.

    (ENVIADO POR:VOCÊS SABEM)

    ResponderEliminar
  95. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(26/7)]

    (NOVOS)CORTES NOS VENCIMENTOS DA FP!

    «Fiscalização Cortes nos salários têm até dia 8 de agosto para chegar ao Ratton

    O Presidente da República tem até ao dia 8 de agosto para enviar os novos cortes aprovados na Assembleia da República para o Tribunal Constitucional, que se encarregará da fiscalização preventiva, segundo o Observador.

    [POLÍTICA Cortes nos salários têm até dia 8 de agosto para chegar ao Ratton DR:17:52 - 26 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    Se quiser cumprir o pedido do primeiro-ministro, Cavaco Silva terá de enviar, até ao dia 8 de agosto, os novos cortes nos salários os e pensões para o Tribunal Constitucional (TC).

    De acordo com a Comissão de Orçamento e Finanças, citada pelo Observador, os diplomas ficarão na Assembleia da República até à próxima quarta-feira, para a redação final, devendo chegar a Belém no dia seguinte.

    Começam, então, a contar os oito dias que o Presidente da República tem para os enviar para apreciação dos juízes do Palácio Ratton.

    A fiscalização preventiva foi pedida a Cavaco Silva por Pedro Passos Coelho, que teme assim cair em novas inconstitucionalidades e que pretende tornar o processo mais rápido.

    (ENVIADO POR:VOCÊS SABEM)

    ResponderEliminar
  96. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(26/7)]

    DISPUTA DA LIDERANÇA DO PS/PREPRAÇÃO DAS PRIMÁRIAS DO PS:NÚMERO DE SIMPATIZANTES POR DISTRITO

    «PS Lisboa regista mais simpatizantes inscritos que o Porto

    O Porto pode até ser a maior distrital do Partido Socialista (PS), mas a verdade é que o maior número de simpatizantes inscritos para as eleições primárias ocorre em Lisboa. Segundo o Expresso, só na capital portuguesa já se registaram cerca de oito mil simpatizantes.

    [POLÍTICA Lisboa regista mais simpatizantes inscritos que o Porto DR
    11:15 - 26 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    A cerca de dois meses das eleições primárias no Partido Socialistas (PS) são já perto de 20 mil os simpatizantes inscritos para votar. Este número é visto com bons olhos no Largo do Rato uma vez que, em 90.000 militantes, a média dos que vota ronda apenas os 30 mil.

    De acordo com a edição desta semana do Expresso, é em Lisboa que o maior número de inscritos se encontra. Para já, contam-se cerca de oito mil (40% do total).

    No Porto, onde se situa a maior distrital do país, inscreveram-se pouco mais de três mil simpatizantes.

    Dos perto de 20 mil, cerca de 80% encontra-se em apenas seis distritos do país: Lisboa, Porto, Setúbal, Braga, Coimbra e Aveiro.

    Os dados avançados pelo Expresso dizem respeito apenas às inscrições online, estando ainda por contar as feitas presencialmente nas sedes do partido.»

    (ASSINA:VOCÊS SABEM)

    ResponderEliminar
  97. [TRAZIDO DO FB:NOTÍCIAS AO MINUTO(27/7)]

    [POLITICA NACIONAL: E A "AVALIAÇÃO DOS DEPUTADOS PORTUGUESES CONTINUA:ONTEM, EM RELAÇÃO AO "TRABALHO PARLAMENTAR" E HOJE, EM RELAÇÃO À ASSIDUIDADE/FALTAS!]

    Assembleia Dos 230 deputados, só 33 tem nota máxima na assiduidade
    Dos 230 deputados que compõem a Assembleia da República, há 33 que nunca faltaram a uma única sessão de plenário, segundo o Jornal de Notícias. A terceira sessão da XII legislatura terminou esta sexta-feira. As férias de plenário estendem-se até 17 de setembro.

    [POLÍTICA Dos 230 deputados, só 33 tem nota máxima na assiduidade DR:09:43 - 27 de Julho de 2014 | Por Notícias Ao Minuto]

    Nas sessões de plenário que decorrem na Assembleia da República, sentam-se no hemiciclo 230 deputados.

    Destes, conta o Jornal de Notícias na sua edição deste domingo, 33 tiveram nota máxima no que diz respeito à assiduidade, na terceira sessão da XII legislatura, que terminou esta sexta-feira.

    Nuno Serra, Laura Esperança e Carlos Santos Silva, do PSD, os socialistas Ana Paula Vitorino e Idália Serrão, Pedro Filipe Soares, do Bloco de Esquerda, o comunista João Oliveira e Heloísa Apolónia, dos Verdes, são alguns dos ‘bons alunos’.

    “É injusta a imagem que alguns eleitores têm dos deputados. Há dias com muitas horas. Pensar em jantar é quase sempre impossível. E voltamos a reunir em finais de agosto”, contou ao Jornal de Notícias Nuno Serra, membro de três comissões.

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  98. [TRAZIDO DO JORNAL PÚBLICO(26/7)]

    [EXAMES DE RECUPERAÇÃO DO 1º E 2º CICLOS: UM ARTIGO DE OPINIÃO]

    Apoio extra para alunos fracos a Matemática e Português "é um engodo"
    [MARIA JOÃO LOPES 26/07/2014 - 21:20]

    Os resultados das provas de recuperação divulgados na sexta-feira foram fracos. No interior do país, houve crianças que não frequentaram o período de apoio extraordinário por falta de transporte público para irem até à escola.

    As notas fracas dos exames da 2.ª fase dos alunos do 4.º e 6.º não supreenderam os docentes [DANIEL ROCHA]

    [MAIS: Apoio extra “recupera” mais de um terço dos alunos a Português, mas poucos a Matemática]

    Mais acompanhamento ao longo do ano e turmas pequenas. Para professores contactados pelo PÚBLICO, estas duas medidas ajudariam mais as crianças com dificuldades do que o chamado período de “acompanhamento extraordinário”, de cerca de um mês, que existe no final do ano lectivo para os alunos do 1.º ciclo e do 2.º ciclo que ficam retidos e prestam depois provas na 2.ª fase dos exames de Português e de Matemática. “O período de recuperação é um engodo”, diz a presidente da Associação de Professores de Matemática, Lurdes Figueiral.

    Os resultados dos exames de Português e Matemática do 4.º e 6.º anos, conhecidos na sexta-feira, não surpreenderam os docentes. No 1.º ciclo, 87% tiveram 1 ou 2 valores a Matemática (ou seja, negativa). No 2.º ciclo, a percentagem foi de 95%. A Português a taxa de negativas foi, no 1.º ciclo, de 62% e no 2.º ciclo de 65%.

    Estas provas, uma espécie de segunda oportunidade, são feitas sobretudo por alunos que, após reunião do conselho de turma, ficam retidos e aos quais é dada a possibilidade de frequentarem um período de apoio extraordinário, oferecido pelas escolas, que se prolonga pelas férias adentro.

    Este ano, 2443 alunos do 4.º ano fizeram exame de Português na 2.ª fase e 3569 de Matemática. No 6.º ano, foram 8477 a Português e quase 12 mil a Matemática.

    (CONT.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (CONTINUAÇÃO)

      «
      Lurdes Figueiral defende, porém, que não é num mês – entre a realização das reuniões e afixação dos resultados da 1.ª fase de exames e a realização da 2.ª – que se consegue recuperar alunos com fraco desempenho: “São alunos mais fracos, é evidente, com mais dificuldades, mas este apoio extraordinário não os ajuda a recuperar, não serve para nada”, diz a dirigente que defende turmas mais pequenas, em vez de “30 ou mais alunos” por professor.

      O novo presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, Fernando Pestana da Costa, concorda: “Os resultados são obviamente maus, mas não surpreendentes. É praticamente impossível num mês e pouco fazer recuperação de alunos com deficiências graves [no que respeita a conhecimentos de Matemática]. Claro que há casos em que os alunos tiveram maus resultados por problemas pontuais, estavam maldispostos, ou outras razões, e esses casos podem ser recuperados”, defende.

      Mas, “na maioria” das situações, o que está em causa é a “preparação base” e, para estes, o apoio extraordinário revela-se “muito pouco eficiente”.

      Embora salientando que existe apoio continuado em algumas escolas, este podia ser melhorado: “Há escolas com turmas desdobradas, turmas com mais do que um professor em que um deles dá mais atenção a alunos com mais dificuldades. Mas devia haver um incentivo maior”, diz o dirigente. Refere-se a “mais meios” para ultrapassar as “dificuldades” que decorrem da relação entre o “número de docentes” e o “tamanho das turmas”.

      A ineficácia do apoio extraordinário não acontece só na Matemática. Para a presidente da Associação de Professores de Português, Edviges Ferreira, dominar os conteúdos desta disciplina demora “meses”, até “anos”, e “não é num mês” que o aluno adquire competências.

      Embora admitindo que, em alguns estabelecimentos de ensino, existe apoio continuado, Edviges Ferreira considera que “é pouco”, até porque que “as escolas não têm bolsas de horas para terem apoio pedagógico acrescido ao longo do ano”: “Os professores não têm horas disponíveis para isso.”

      Edviges Ferreira defende que a solução passaria pela identificação “logo no início do ano, no máximo no final do primeiro período”, dos alunos com dificuldades: “Esses tinham de ter mais horas e ser encaminhados para apoio pedagógico acrescido.” Mas para isso era preciso haver “menos alunos por turma e mais professores nas escolas.”

      Falta de transportes
      Os problemas que o apoio extraordinário levanta não ficam por aqui. O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares, Manuel Pereira, garante que há alunos que não foram a estas aulas por falta de transporte: “O país não é todo igual. No interior, há transportes públicos durante o período lectivo; terminadas as aulas, acabam.”

      Por exemplo, no caso do agrupamento de escolas de Cinfães, do qual Manuel Pereira é director, esta situação fez com que aqueles que vivem longe da escola – alguns “a 30 quilómetros” – não usufruíssem plenamente do apoio extraordinário.

      Para alguns dias, conseguiram apoio de juntas de freguesia para cedência de transporte; outras soluções passaram por boleias, por exemplo de encarregados de educação que iam levar e buscar um grupo de crianças. “Mas, mesmo assim, alguns não conseguiam vir diariamente”, conta Manuel Pereira. No caso de Cinfães, estipulou-se que, durante um mês e de manhã, haveria um bloco de 90 minutos de Português e um outro de Matemática para os alunos que iam à 2.ª fase às duas disciplinas (cerca de 30 em cada uma).

      (ENVIADO POR:PA/DI)

      Eliminar
  99. (ENVIADO DO BLOG ASAS DA MONTANHA)

    PRECONCEITO:SE É LÍDER "NUM" DEIXE DE LER!(vale apena ler)

    «O PRECONCEITO

    Há um ditado popular que reza assim: "Nós só somos bons enquanto os nossos vizinhos quiserem."

    O ditado popular não se refere à bondade ou maldade de coração, nem à reta ou desordenada consciência. Frisa apenas a opinião que os outros poderão ter de cada um de nós.

    E como o preconceito ou uma ideia falsa, mil vezes repetidos, formam a opinião geral, pode muito bem acontecer que uma pessoa boa seja mediocrizada, um medíocre seja divinizado, um pérfido seja entronizado como referência.

    Não é só nos mídia que existem os "fazedores de opinião". Nas relações sociais normais eles existem e, porventura, com mais força. E todos conhecemos pessoas que têm especial jeito para desempenhar tal papel, queimando quem lhes desagrada ou não lhes interessa e promovendo os da sua simpatia ou quem lhes faz o jogo.

    Há uns anos, participava numa refeição onde estava presente um presidente de Câmara de uma autarquia do sul do país. A certa altura, falava-se da gestão do pessoal, das relações pessoais, das tricas e licas que acontecem quando muita gente trabalha junta.

    Referia o autarca que, quando um funcionário lhe vinha dizer mal deste ou daquele seu colega, ficava sempre com "a pulga atrás da orelha". É que, dizia, normalmente havia interesses pouco claros. Inimizades, vinganças, invejas, desejo de subir na carreira derrubando quem obstaculizava, favorecimentos, mau íntimo, etc, formavam a panóplia de motivos que levavam o referido funcionário a destilar veneno contra o seu colega ou colegas.

    O autarca em causa dizia ainda ter muito pouca paciência para aturar situações do género que sempre desvalorizava e rapidamente terminava, afirmando que o líder deve estar acima sem se deixar enveredar por intrigas. E convicto, testemunhava: "Jamais permito que numa reunião alguém diga mal de um colega seu ausente!"

    No fim da conversa, veio aquele vibrar de alma que apreciei demais: "Se porventura dou por mim a pensar mal de um funcionário só porque um colega dele falou mal dele, não descanso enquanto não tenho uma conversa com a pessoa atingida. E olhem que, normalmente, descubro que havia veneno por trás..."

    São líderes assim que são verdadeiramente líderes e não fantoches.

    (POSTADO POR ASAS DA MONTANHA/QUARTA-FEIRA, 23 DE JULHO DE 2014)

    ResponderEliminar
  100. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  101. MOVIMENTO DE INTERVENÇÃO CÍVICA DE TAROUCA/MOVIMENTO LILÁS

    Caros Tarouquenses

    Um Movimento desta natureza, tem a sua acção centrada nas PESSOAS, embora não feche os olhos a outros aspectos da vida. Assim, a questão da "Creche Camarária", como já o havíamos dito, pra nós, é um "Não Problema", porquanto:

    1º)Sabemos que as famílias estão satisfeitas com os serviços prestados pelas duas creches actualmente existentes.

    Se assim não fosse, tomaríamos uma posição de denúncia junto das entidades responsáveis, através de uma carta aberta ou outra.

    2º)Não temos conhecimento que alguma mãe/avó, tenha tido necessidade em deixar o seu trabalho (ou recusar uma oportunidade de emprego), devido à falta de de vaga nas creches existentes ou devido ás mensalidades de algumas das creches serem muito elevadas.

    Se assim fosse, denunciariamos a situação e passaríamos a participar nas acções de protesto, levadas acabo pelas famílias, contra o encerramento da Creche Camarária.

    ###

    OUTROS ASPECTOS:

    #Mas porque estamos a viver a maior crise dos últimos 60/80 anos compreendemos que sejam precisas "atenções redobradas", na gestão dos dinheiros públicos. Acontece é que, até ao momento, NINGUÉM explicou quanto se poupa ao erário público, com o eventual encerramento da Creche Camarária (que agora tem quse 30 crianças e não meia dúzia)

    #Por último, lamentamos a forma como os pais foram informados (20 dias antes) e ainda que no processo de encerramento da referida creche, não tenha havido um protocolo escrito, pra assegurar a "transferência" das criança de uma mais "tranquila" e prevendo mensalidades especiais prós filhos dos Bombeiros Voluntários, como de resto já o tinhamos dito por aí.

    VOTOS PRA QUE TUDO CORRA PELO MELHOR!

    ASSINA: MICdTAROUCA/MOVIMENTO LILÁS

    (após editação)x

    ResponderEliminar
  102. MAIS UMA VISITA INESPERADA:

    «Esta página Web não está disponível

    Menos
    A página Web em http://www.google.pt/accounts/Logout2?ilo=1&ils=s.PT&ilc=2&continue=http%3A%2F%2Fwww.blogger.com%2Flogout-redirect.g%3FblogID%3D4420007063130429603&zx=-1363648991 poderá estar temporariamente inactiva ou poderá ter sido movida permanentemente para um novo endereço Web.
    Código de erro: ERR_INVALID_ARGUMENT»

    ResponderEliminar
  103. [TRAZIDO DO FB:CONTA DO DIÁRIO DE NOTÍCIA/DN(22/7)]

    ???

    «DAVID CAMERON SOBRE IMIGRANTES ILEGAIS
    "Vamos encontrar-vos, vamos enviar-vos para casa"

    [por Editado por Patrícia Viegas Ontem (...)]

    O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou hoje uma série de novas medidas para reduzir a imigração. "Quando vos encontrarmos, e nós vamos encontrar-vos, vamos garantir que vocês são enviados de volta ao país de onde vieram", afirmou em entrevista à BBC, dirigindo-se aos imigrantes ilegais no Reino Unido.

    Entre as medidas figuram uma limitação dos subsídios de desemprego e familiares a um máximo de três meses, face aos seis atuais - algo que será aplicável aos cidadãos oriundos da União Europeia a partir de novembro. Segundo o jornal 'The Guardian', o governo terá já afirmado que esta medida poupará cerca de 500 milhões de libras (cerca de 632 milhões de euros) aos contribuintes britânicos.

    Outra das principais medidas é uma fiscalização mais aguda dos estabelecimentos de ensino superior, para evitar receber cidadãos que usaram a inscrição em falsas universidades para conseguir obter um visto. Num artigo publicado ontem no jornal britânico 'The Telegraph', Cameron afirmava que o seu Governo fechou já 750 estabelecimentos universitários "fantasmas".

    O primeiro-ministro tem fortalecido o seu discurso contra a imigração durante o último ano, todavia, e mesmo com o anúncio das recentes medidas, continua a ser criticado, nomeadamente pelo Ukip, o partido eurocético e anti-imigração liderado por Nigel Farage, por não ser suficientemente duro em relação à imigração.

    Numa entrevista à estação britânica BBC, Cameron, citado pelo jornal 'The Guardian', afirmava: "As pessoas querem saber que nós temos um sistema de imigração justo e legal, mas em termos de imigração ilegal, nós vamos encontrar-vos, nós vamos enviar-vos para casa."»

    (ENVIADO POR:PA/DI)

    ResponderEliminar
  104. E COMO DIRIA O ZECA AFONSO: ELES COMEM TUDO, ELES COMEM:E NÃO DEIXAM NADA!


    VEJAM:

    «Web Resultados

    (10)POLITICA NACIONAL:"TRANSPIRAÇÕES" SOBRE O CONSELHO DE ...
    taroucando.blogspot.com/…0politica-nacionaltrans...
    ... não está disponível Menos A página Web em http://taroucando.blogspot.pt/2014/07/10politica-nacionaltranspiracoes-sobre.html poderá estar ...
    TAROUCAndo: (11)O QUE NOS VAI TRAZER O 1ºFIM-DE-SEMANA?(de ...
    taroucando.blogspot.com/…1o-que-nos-vai-trazer-o...
    ... não está disponível Menos A página Web em http://taroucando.blogspot.pt/2014/07/11o-que-nos-vai-trazer-o-1fim-de.html poderá estar temporariamente ...
    TAROUCAndo: (107)MAIS ACTIVIDADES PREVISTA PRÓ FINAL DE MAIO ...
    taroucando.blogspot.pt/…/107mais-actividades-pre...
    ... não está disponível Menos A página Web em http://taroucando.blogspot.pt/2014/05/107mais-actividades-prevista-pro-final.html poderá estar temporariamente ...
    TAROUCAndo: (10)ESTUDO EUROPEU: COMO ESTAMOS DE APOIOS À ...
    taroucando.blogspot.com.br/…/estudo-europeu-como...
    ... não está disponível Menos A página Web em http://taroucando.blogspot.pt/2014/06/estudo-europeu-como-estamos-de-apoios.html poderá estar temporariamente ...
    TAROUCAndo: (25)DISPUTA DA LIDERANÇA NO PS: CONGRESSO OU ...
    taroucando.blogspot.pt/…5disputa-da-lideranca-no...
    ... não está disponível Menos A página Web em http://taroucando.blogspot.pt/2014/06/16psdisputa-da-liderancaponto-de.html poderá estar temporariamente inactiva ...»

    ENFIM...


    ProfAnónima

    ResponderEliminar